Fatores motivacionais em atletas de categoria de base de um clube de futebol de Porto Alegre

  • Giordano da Silva Notari Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
  • Rogério da Cunha Voser Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
  • Miguel Angelo dos Santos Duarte Junior Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
  • José Augusto Evangelho Hernandez Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Palavras-chave: Motivação, Esportes, Iniciação esportiva

Resumo

O futebol é um dos esportes mais praticados no Brasil, o que faz com que crianças e jovens tenham grande interesse no esporte. Um dos principais fenômenos de ordem psicológica no esporte é a motivação. Os aspectos motivacionais que levam à prática esportiva são importantes no planejamento e objetivos das atividades. Esta pesquisa de cunho quantitativo e descritivo, de corte transversal, tem por objetivo analisar e descrever os fatores motivacionais para a prática esportiva de atletas das categorias de base de um clube de futebol da cidade de Porto Alegre. Como instrumento de coleta de dados foi utilizada a "Escala de Motivos para Prática Esportiva" (EMPE), para população brasileira e é composta por 33 questões. Como a medida foi feita em uma escala ordinal, foram estabelecidos os seguintes critérios: "nada importante" (para o nível 0), "pouco importante" (para os níveis 1, 2 e 3), "importante" (para os níveis 4, 5 e 6), "muito importante" (para os níveis 7, 8 e 9), e "totalmente importante" (para o nível 10). Posteriormente, as questões foram agrupadas em 7 fator motivacionais, assim denominados: status, condicionamento físico, energia, contexto, técnica, afiliação e saúde. Resultados: o fator saúde teve a maior média (m:9,2), seguida pelos fatores técnica (m:9,0), afiliação (m:8,6), condicionamento físico (m:8,5), status (m:8,5), contexto (m:8,0) e energia (m:7,9). Conclusão: o fator saúde foi o mais relevante para os atletas analisados, o que pode estar relacionado com as informações contemporâneas sobre um modo de vida saudável, no qual o esporte destacasse como importante componente.

 

ABSTRACT 

Motivational factors in athletes of base category of a football club of Porto Alegre

Football is one of the most practiced sports in Brazil, which makes children and young people have a great interest in sports. One of the main psychological phenomena in sports is motivation. The motivational aspects that lead to sports practice are important in the planning and objectives of the activities. This cross - sectional quantitative and descriptive research aims to analyze and describe the motivational factors for the athletic practice of athletes of the basic categories of a football club in the city of Porto Alegre. As a data collection instrument, the "Motivation Scale for Sports Practice" (EMPE) was used for the Brazilian population and it is composed of 33 questions. As the measure was done on an ordinal scale, the following criteria were established: "not important" (for level 0), "unimportant" (for levels 1, 2 and 3), "important" (for levels 4 , 5 and 6), "very important" (for levels 7, 8 and 9), and "totally important" (for level 10). Subsequently, the questions were grouped into 7 motivational factors, so-called: status, physical conditioning, energy, context, technique, affiliation, and health. Results: the health factor had the highest mean (m: 9.2), followed by the technical factors (m: 9.0), affiliation (m: 8.6), physical conditioning (m: 8.5), status m: 8.5), context (m: 8.0) and energy (m: 7.9). Conclusion: the health factor was the most relevant for the athletes analyzed, which may be related to the contemporary information on a healthy way of life, in which the sport stands out as an important component.

 

Biografia do Autor

Giordano da Silva Notari, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
Bacharel em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018) tem experiência em iniciação esportiva atuando em escolinhas de futebol e futsal.
Rogério da Cunha Voser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
Doutor em Ciências da Saúde na PUCRS, em 2006. Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Escola de Educação Física da UFRGS, em 1998. Especialista em Ciências do Futebol e do Futebol de Salão pelas Faculdades Integradas Castelo Branco Centro Educacional de Realengo, em 1990. Licenciado em Educação Física pela ESEF-UFPEL, em 1988. Graduado em Fisioterapia pela ULBRA, em 1999. Foi atleta de várias equipes de Futsal do estado, atuou na Espanha, preparador físico do Inter/ULBRA e técnico da equipe juvenil da ULBRA. Tem experiência em escolas do município e particular. Consultor de vários cursos de Graduação e Especialização. É avaliador de Cursos Superiores e.MEC-INEP. Atualmente é Professor Associado nível 1 da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nas Disciplinas de Futsal, Bases das Práticas Corporais: esporte, Supervisão de estágio do Bacharelado e de TCC1 e TCC2. Na mesma Instituição é coordenador do NAU (Núcleo de Avaliação da Unidade - ESEFID/UFRGS).É um dos lideres do Grupo de Estudos em Esporte (GEE) da UFRGS/CNPQ. É coordenador do Programa Institucional de Bolsa de iniciação à Docência/PIBID - Educação Física da UFRGS. É vice-coordenador da Equipe Colaboradora 18 (RS) do Programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte. Desenvolve Projetos de Extensão Universitária na área do Futsal. Já trabalhou também na ULBRA, PUCRS, Facos e São Judas Tadeu/RS. Ministra cursos de Futsal e Iniciação aos Esportes por todo o Brasil (extensão e pós-graduação). Autor dos livros Iniciação ao futsal: abordagem recreativa; Análise das Intervenções Pedagógicas em Programas de Iniciação ao Futsal; A Criança e o Esporte: uma perspectiva lúdica; Futsal: princípios técnicos e táticos; Futsal e a Escola: uma perspectiva pedagógica; Futebol: História, Técnica e Treino de Goleiro; Ensino dos Esportes Coletivos: uma abordagem recreativa; PIBID na Educação Física: uma proposta metodológica e práticas para o ensino do esporte na escola e Futsal: ensino através dos jogos de inteligência e capacidade tática.
Miguel Angelo dos Santos Duarte Junior, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre-RS, Brasil
Mestrando em Ciências do Movimento Humano na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS desde 2017. Bacharel em Nutrição (2014) UNISINOS. Acadêmico em Educação Física pela ESEFID/UFRGS. Filiado ao Projeto Esporte Brasil (PROESP-Br UFRGS). Atualmente desenvolve atividades de orientação nutricional, prescrição de dietas e suplementação. Experiência como bolsista do Núcleo de Avaliação da Unidade, Bolsista de Iniciação Científica BIC-UFRGS e Programa Instituição de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID. Possui qualificação internacional concedida pela Sociedade Internacional para Avanço da Cineantropometria (ISAK). Tem como áreas de interesse o esporte, avaliação, cineantropometria e nutrição.
José Augusto Evangelho Hernandez, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Bacharel em Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Especialista em Hipnoterapia Ericksoniana pelo Instituto Milton Erickson. Especialista em Psicologia do Esporte pelo Conselho Federal de Psicologia. Mestre e Doutor em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi professor da graduação e pós-graduação dos cursos de Psicologia e Educação Física da ULBRA/Canoas/RS, onde atuou como psicólogo do Sport Club Ulbra em diversas modalidades desportivas. Além disso, ocupou os cargos de coordenador de TCC e de Pós-Graduação Lato sensu da Psicologia. Foi professor convidado do pós-graduação da Educação Física da PUCRS e da FACOS/Osório/RS. Foi professor substituto da graduação e convidado da pós-graduação da ESEF-UFRGS. Foi professor da Faculdade Sogipa de Educação Física na graduação e pós-graduação e, também, da Instituição Educacional São Judas Tadeu. Atualmente, é docente do Departamento de Fundamentos da Psicologia e do Programa de Pós Graduação em Psicologia Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Parecerista Ad Hoc do Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos - Satepsi do Conselho Federal de Psicologia, da FAPERJ, da FACEPE e revisor de diversos periódicos nacionais e internacionais. Tem experiência de pesquisa em gênero (gender schema theory), relacionamentos íntimos (amor e satisfação conjugal), psicologia do esporte (rendimento, saúde e educação) e adaptação e validação de instrumentos e medidas em psicologia.

Referências

-Andrade, R. L. Influência os processos de ensino-aprendizagem treinamento no conhecimento tático processual no escalão Sub-11 de formação do futebol. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG. Belo Horizonte. 2010.

-Bandeira, Thiago. Motivação do Treinamento Físico para Alta Performance. 2010. Disponível em: <http://www.universidadedofutebol.com.br/2010/06/1,14734> Acesso em: 28 nov. 2017.

-Barroso, M. L. C. Validação do Participation Motivation Questionnaire adaptado para determinar motivos de prática esportiva de adultos jovens brasileiros. 2007.

-Berleze, A.; Vieira, L. F.; Krebs, R. J. Motivos que levam crianças à prática de atividades motoras na escola. R. da Educação Física/UEM, Maringá. Vol. 13. Num. 1. p. 99-107, 2002.

-Carraveta, E. O jogador de futebol. Porto Alegre: Mercado aberto, 2001.

-Filgueira, F. M. Objetivos dos Pais em Relação à Prática do Futebol na Iniciação. Revista Mineira de Educação Física. Vol. 13. Num. 1. p. 96-110. 2005.

-Fiorese, L. V. A relação entre a percepção de competência de atletas adolescentes e seus motivos para a prática esportiva. Dissertação de Mestrado. UFSM, 1993.

-Gaya, A. C. Ciências do movimento humano: introdução à metodologia da pesquisa. Porto Alegre: Artmed, 2008.

-Gomes, C. M. R. Motivação para a Prática do Futebol: Motivos para a prática, objectivos de realização e crenças quanto às causas de sucesso, de jovens pertencentes a escalões de formação de Futebol. Trabalho de monografia. Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, 2006.

-Gonçalves, G. H. T.; Klering, R. T.; Pacheco, C. H.; Balbinotti, M. A. A.; Balbinotti, C. A. A. Motivos à prática regular de futebol e futsal. Saúde e Desenvolvimento Humano. Vol. 3. Num. 2. p. 7-20. 2015.

-Lorenzi, G.; Voser.; R. C.; Hernández, J. A. E. A motivação para a prática do futebol de crianças com idade entre 09 a 12 anos. 2011. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd155/a-motivacao-para-a-pratica-do-futebol-de-criancas.htm>. Acesso em: 16 nov. 2017.

-Miranda, R.; Ribeiro, L. C. Motivação: a compreensão teórica para a melhoria do desempenho atlético nos treinamentos e competições. Revista Treinamento Desportivo. Vol. 2. Num. 1. p 79-88. 1997.

-Paim, M. C. C. Fatores Motivacionais e Desempenho no Futebol. Revista da Educação Física/UEM, Maringá. Vol. 12. Num. 2. p.73-79. 2001a. Disponível em: <http://eduem.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/viewFile/3748/2580>. Acesso em: 03 dez. 2017.

-Paim, M. C. C. Motivos que levam adolescentes a praticar o futebol. Revista Digital. Vol. 7. Num. 43. 2001b.

-Pansera, S. M.; Valentini, N. C.; Santayana S. M.; Berleze, A. Motivação intrínseca e extrínseca: diferenças no sexo e na idade. Psicologia Escolar e Educacional. Vol. 20. Num. 2. 2016.

-Peres, A. L. X.; Saldanha, R. P. Motivação para a prática esportiva dos jovens: uma revisão integrativa. SEFIC 2017, 2017.

-Reis, C. A. M. Análise dos fatores determinantes para o abandono de adolescentes no futsal. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 6. Num. 19. 2013. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/246>

-Samulski, D. Psicologia do Esporte: Comparação do esportista e não esportista. UFMG, Belo Horizonte: 1990.

-Santos, M. A. G. N.; Manoel, R. V. Fatores motivacionais na prática do futebol. Revista Hórus, Ourinhos. Vol. 4. Num. 2. p. 220-230. 2010. Disponível em: <http://www.faeso.edu.br/horus/artigosanteriores/2010/fatoresmotivacionais.pdf>. Acesso em: 28 dez. 2017.

-Sena, A. C.; Hernandez, J. A. E.; Duarte Junior, M. A. S.; Voser, R. C. Fatores motivacionais que influenciam na prática do Futsal: um estudo de uma escolinha na cidade de Porto Alegre. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 9. Num. 35. p. 416-421. 2017. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/550>

-Voser RC. Iniciação ao futsal, abordagem recreativa. 3.ed. Canoas, Brasil: Editora da ULBRA; 2004.

-Voser, R. C.; Hernández, J. A. E.; Okubo, J. C.; Duarte Junior, M. A. S. A motivação para o esporte: um estudo descritivo com atletas profissionais de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, Edição Especial: Pedagogia do Esporte, São Paulo. Vol. 9. Num. 35. p.399-405, 2017. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/539>

-Voser, R. C.; Hernández, J. A. E.; Ortiz, L. F. R.; Voser, P. E. G. A motivação para a prática do futsal: comparação entre atletas federados do sexo masculino e feminino. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, São Paulo. Vol. 6. Num. 21. p.196-201. 2014. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/287/234>

-Voser, R. C.; Moreira, C. M.; Voser, P. E. G.; Hernandez, J. A. E. A motivação para prática do Futsal: Um estudo com atletas na faixa etária entre 13 e 18 anos. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 8, n. 28, p. 39-45, 2016. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/384>

Publicado
2019-01-20
Seção
Artigos Científicos - Original