A motivação para o esporte: um estudo descritivo com atletas profissionais de futebol

  • Rogério da Cunha Voser Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Miguel Angelo Duarte Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • José Augusto Evangelho Hernández Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Juliano da Cunha Okubo Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Palavras-chave: Psicologia do Esporte, Esporte, Motivos, Jogadores

Resumo

A presente investigação buscou analisar os fatores motivacionais para o esporte que influenciam os atletas profissionais a participarem de competições de futebol. O estudo caracterizado por uma investigação descritiva teve como sujeitos do estudo 15 atletas do sexo masculino profissionais de futebol de um clube federado de Porto Alegre. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados o questionário criado por Gill e colaboradores, (1983), composto de 30 questões, divididas em 8 categorias (status; equipe; forma física; energia liberada; habilidades; amigos; diversão e outros / situacionais) e avaliadas numa escala de Likert de 4 pontos: 04 extremamente importante; 03 bastante importante; 02 pouco importante; 01 nada importante. Os dados coletados foram analisados através do Programa Estatístico SPSS 20.0. Os resultados obtidos apresentaram uma tendência para as dimensões de aprimoramento das habilidades e jogar em equipe. Dessa maneira, indica-se que os profissionais responsáveis pela comissão técnica devam estar atentos a estes aspectos motivacionais que poderão influenciar seus atletas na melhora do desempenho.

 

ABSTRACT 

Sports motivation: a descriptive study with professional football athletes

The present research sought to analyze the motivational factors for the sport that influence the professional athletes to participate in football competitions. The study characterized by a descriptive investigation had as subjects of the study 15 male athlete’s professionals of football of a federated club of Porto Alegre. The questionnaire created by Gill et al., (1983), composed of 30 questions, divided into 8 categories (status, team, physical form, liberated energy, abilities, friends, fun and others / situational) and evaluated on a 4-point Likert scale: 04 extremely important; 03 quite important; 02 little important; 01 nothing important. The data collected were analyzed through the SPSS 20.0 Statistical Program. The results obtained showed a tendency towards the dimensions of improvement of the abilities and to play in team. In this way, it is indicated that the professionals responsible for the technical committee should be attentive to these motivational aspects that may influence their athletes in improving performance.

Biografia do Autor

Rogério da Cunha Voser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutor em Ciências da Saúde na PUCRS, em 2006. Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Escola de Educação Física da UFRGS, em 1998. Especialista em Ciências do Futebol e do Futebol de Salão pelas Faculdades Integradas Castelo Branco Centro Educacional de Realengo, em 1990. Licenciado em Educação Física pela ESEF-UFPEL, em 1988. Graduado em Fisioterapia pela ULBRA, em 1999. Foi atleta de várias equipes de Futsal do estado, atuou na Espanha, preparador físico do Inter/ULBRA e técnico da equipe juvenil da ULBRA. Tem experiência em escolas do município e particular. Consultor de vários cursos de Graduação e Especialização. É avaliador de Cursos Superiores e.MEC-INEP. Atualmente é Professor Associado nível 1 da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nas Disciplinas de Futsal, Bases das Práticas Corporais: esporte, Supervisão de estágio do Bacharelado e de TCC1 e TCC2. Na mesma Instituição é coordenador do NAU (Núcleo de Avaliação da Unidade - ESEFID/UFRGS).É um dos lideres do Grupo de Estudos em Esporte (GEE) da UFRGS/CNPQ. É coordenador do Programa Institucional de Bolsa de iniciação à Docência/PIBID - Educação Física da UFRGS. É vice-coordenador da Equipe Colaboradora 18 (RS) do Programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte. Desenvolve Projetos de Extensão Universitária na área do Futsal. Já trabalhou também na ULBRA, PUCRS, Facos e São Judas Tadeu/RS. Ministra cursos de Futsal e Iniciação aos Esportes por todo o Brasil (extensão e pós-graduação). Autor dos livros Iniciação ao futsal: abordagem recreativa; Análise das Intervenções Pedagógicas em Programas de Iniciação ao Futsal; A Criança e o Esporte: uma perspectiva lúdica; Futsal: princípios técnicos e táticos; Futsal e a Escola: uma perspectiva pedagógica; Futebol: História, Técnica e Treino de Goleiro; Ensino dos Esportes Coletivos: uma abordagem recreativa; PIBID na Educação Física: uma proposta metodológica e práticas para o ensino do esporte na escola e Futsal: ensino através dos jogos de inteligência e capacidade tática.
Miguel Angelo Duarte, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Bacharel em Nutrição (2014) UNISINOS. Acadêmico em Educação Física pela ESEFID/UFRGS. Atualmente desenvolve atividades de orientação nutricional, prescrição de dietas e suplementação com ênfase em nutrição esportiva. Bolsista do Núcleo de Avaliação da Unidade e Bolsista BIC-UFRGS Iniciação Científica. Possui qualificação internacional concedida pela Sociedade Internacional para Avanço da Cineantropometria (ISAK). Tem como áreas de interesse o esporte, avaliação, cineantropometria e nutrição.
José Augusto Evangelho Hernández, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Bacharel em Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Especialista em Hipnoterapia Ericksoniana pelo Instituto Milton Erickson. Especialista em Psicologia do Esporte pelo Conselho Federal de Psicologia. Mestre e Doutor em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi professor da graduação e pós-graduação dos cursos de Psicologia e Educação Física da ULBRA/Canoas/RS, onde atuou como psicólogo do Sport Club Ulbra em diversas modalidades desportivas. Além disso, ocupou os cargos de coordenador de TCC e de Pós-Graduação Lato sensu da Psicologia. Foi professor convidado do pós-graduação da Educação Física da PUCRS e da FACOS/Osório/RS. Foi professor substituto da graduação e convidado da pós-graduação da ESEF-UFRGS. Foi professor da Faculdade Sogipa de Educação Física na graduação e pós-graduação e, também, da Instituição Educacional São Judas Tadeu. Atualmente, é docente do Departamento de Fundamentos da Psicologia e do Programa de Pós Graduação em Psicologia Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Parecerista Ad Hoc do Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos - Satepsi do Conselho Federal de Psicologia, da FAPERJ, da FACEPE e revisor de diversos periódicos nacionais e internacionais. Tem experiência de pesquisa em gênero (gender schema theory), relacionamentos íntimos (amor e satisfação conjugal), psicologia do esporte (rendimento, saúde e educação) e adaptação e validação de instrumentos e medidas em psicologia.
Juliano da Cunha Okubo, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Estudou Especialização em Futebol na instituição de ensino Universidade Federal de Viçosa. Anterior: Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, Professor de Educação Física na empresa ACM Esportes Centro.

Referências

-Arnal, J.; Rincón, D.; Latorre, A. Investigación educativa: metodologias de investigación educativa. Barcelona. Universidade de Barcelons. 1991.

-Becker Junior, B. El efecto de tecnicas de imaginacion sobre patrones lectroencefalograficos, frecuencia cardiaca y en el rendimiento de practicantes de baloncesto con puntuaciones altas y bajas en el tiro libre. Tesis doctoral. Facultad de Psicología. Universid de Barcelona. Barcelona. 1996.

-Bernardes, A. G.; Yamaji, B. H. S.; Guedes, D. P. Motivos para prática de esporte em idades jovens: Um estudo de revisão. Motricidade. Vol. 11. Núm. 2. p.163-173. 2015.

-Fonseca, A. Motivos para a prática desportiva: Investigação desenvolvida em Portugal. Rev. Critica de Desporto e Educação Física. Vol. 1. p. 49-62. 1995.

-Gill, D. L.; Gross, J. B.; Huddleston, S. Participation Motivation in Youth Sports. International Journal of Sport Psychology. Vol. 14. p.1-14. 1983.

-Gomes, C. M. R. Motivação para a prática do futebol: motivos para a prática, objetivos de realização e crenças quanto às causas de sucesso, de jovens pertencentes a escalões de formação de Futebol. Porto. Faculdade de Desporto da Universidade do Porto. 2006.

-Guedes, D.P.; Netto, J. E. S. Motivos para a prática de esportes em atletas-jovens e fatores associados. Journal of Physical Education. Núm. 24. Vol. 1. p. 21-31. 2013.

-Interdonato, G. C.; Miarka, B.; Oliveira, A. D.; Gorgatti, M. G. Fatores motivacionais de atletas para a prática esportiva. Motriz. Vol. 14 Núm. 1. p. 63-66. 2008.

-Lopes, P.; Nunomura, M. Motivação para a prática e permanência na ginástica artística de alto nível. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 21. Núm. 3 p. 177-187. 2007.

-Marques, M. G. Psicologia do Esporte: aspectos em que os atletas acreditam. Canoas: Ed. Ulbra, 2003.

-Mendes, P. M.; De Macedo, C. M. A.; Peruchi, L. H.; Arantes, J. P.; Motivação em atletas de alto rendimento no futebol de campo. XVI Congresso de iniciação científica da Universidade de Mogi das Cruzes. 2013.

-Scalon, R. M. Fatores motivacionais que influem na aderência e no abandono dos programas de iniciação desportiva pela criança. Dissertação Mestrado em Ciências do Movimento Humano. Escola de Educação Física da UFRGS. Porto Alegre. 1998.

-Vasconcelos-Raposo, J.; Mahl, A. Orientação cognitiva de atletas profissionais de futebol do Brasil. Motricidade. Vol. 4. Núm. 1. p. 253-265. 2005.

-Zanetti, M. C.; Lavoura, T. N.; Machado, A. A. Motivação no esporte infanto juvenil. Conexões. Vol. 6. 2008.

Publicado
2017-09-10
Como Citar
Voser, R. da C., Duarte, M. A., Hernández, J. A. E., & Okubo, J. da C. (2017). A motivação para o esporte: um estudo descritivo com atletas profissionais de futebol. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 9(35), 399-405. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/539
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original