Liga Nacional de Futsal 2018: Análise da incidência de gols

  • Guilherme Armando de Moraes Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.
  • José Donizeti Crippa Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.
  • Adinã Fernandes Leme Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.
  • João Guilherme Cren Chiminazzo Unicamp
Palavras-chave: Futsal, Frequência de gol, Análise de Desempenho

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar a frequência de gols das partidas de Futsal da Liga Nacional de Futsal de 2018. Foram analisados 1122 gols ocorridos nas 194 partidas da Liga Nacional de Futsal, no ano de 2018, na categoria adulto masculino. Os gols foram divididos em 4 períodos de 5 minutos em cada tempo de jogo, sendo 1º período (0:00 a 5:00 minutos), 2º período (5:01 a 10:00 min.); 3º período (10:01 a 15:00 min.) e 4º período (15:01 a 20:00 min.). As frequências (absoluta e relativa), média e desvio padrão foram usados para descrever as variáveis do estudo. Os resultados revelam que a média de gols foi superior no final dos jogos em relação aos demais períodos e que o mando de campo influenciou na ocorrência de gols na Liga de Futsal de 2018. Conclui-se através deste estudo que o futsal exige uma atenção técnica, tática e física nos minutos finais de cada tempo de jogo quando ocorre o maior número de gols, tornando-se primordial a reorganização de treino destes aspectos das equipes, afim de minimizar este fenômeno e evitar que o resultado final do jogo seja comprometido.

Biografia do Autor

Guilherme Armando de Moraes, Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.

José Donizeti Crippa, Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.

Adinã Fernandes Leme, Grupo de Estudos em Futebol e Futsal – GEFF/Unifaj, Jaguariúna-SP, Brasil.

João Guilherme Cren Chiminazzo, Unicamp

Graduado em Educação Física - Unicamp

Doutor em  Ciência do Esporte - Unicamp

Docente Universitário -  Unifaj

Referências

-Alves, I. P.; Bueno, L. Análise dos golos na primeira fase da liga futsal 2012. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 4. p. 118-123. 2012.

-Amaral, R.; Garganta, J. A modelação do jogo em Futsal. Análise sequencial do 1x1 no processo ofensivo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Núm. 3. p. 298-310. 2005.

-Ascensão, A.; e colaboradores. Fisiologia da fadiga muscular. Delimitação conceptual, modelos de estudo e mecanismos de fadiga de origem central e periférica. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Núm. 1. p. 108-123. 2003.

-Bandeira, C.R.; Rodrigues, H. M.; Navarro, A.C. Perfil dos técnicos de futsal feminino participantes dos jogos abertos do interior em 2008 no estado de São Paulo. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Sâo Paulo. p.193-203. 2009.

-Boksem, M. A. S.; Meijman, T. F.; Lorist, M. M. Effects of mental fatigue on attention: An ERP study. Cognitive Brain Research. Vol. 25. Núm. 1. p. 107-116. 2005.

-Dickel, J. R. A Influência do Fator Local de Jogo no Resultado Final da Partida na Liga Nacional de Futsal. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2012.

-Fukuda, J. P. S.; Santana, W. C. Análises dos gols em jogos da liga futsal 2011. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 4. Núm. 11. p. 62-66. 2012.

-Garganta, J. A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Núm. 1. p. 57-64. 2001.

-Koski, R. H.; e colaboradores. A caracterização do esforço físico no Futsal. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 1. Núm. 2. p. 134-143. 2009.

-Leme, A. F. Análise do comportamento de jovens atletas de futsal mediante interferências de torcedores durante competição. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 5. Núm. 17. p. 213-220. 2013.

-Massardi, F. P.; Oliveira, M. C.; Navarro, A. C. A incidência de gols na liga futsal feminina nos anos 2010 e 2011. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 3. Núm. 9. p.229-235. 2011.

-Mota, D. D. C. F.; Cruz, D. A. L. M.; Pimenta, C. A. M. P. Fadiga: uma análise do conceito. Acta Paulista de Enfermagem. Vol. 18. Núm. 3. p. 285-293. 2005.

-Navarro, A. C.; Costa, J. S. O momento do gol na copa do mundo de futsal 2004. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 1. Núm. 2. p.129-133. 2009.

-Nunes, R. F. H.; e colaboradores. Comparação de indicadores físicos e fisiológicos entre atletas profissionais de futsal e futebol. Motriz. Vol. 18. Núm. 1. p. 104-112. 2012.

-Pestana, E.; e colaboradores. Análise dos gols e tendência com a equipe campeã em um campeonato de Futsal regional do Brasil. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 9. Núm. 34. p. 327-332. 2017.

-Pinheiro, A. M.; e colaboradores. Análise do volume de jogo em atletas de futsal do campeonato mundial. Corpoconsciência. Vol. 20. Núm. 3. p. 50-56. 2016.

-Rampinini, E.; e colaboradores. Effect of match-related fatigue on short-passing ability in young soccer players. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 40. Núm. 5. p. 934-942. 2008.

-Santana, W. C.; e colaboradores. Análise dos gols em jogos de futsal feminino de alto rendimento. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 21. Núm. 4. p.157-165. 2013.

-Santana, W. C.; Ribeiro, D. A. Idades de início de atletas de futsal de alto rendimento na prática sistemática e em competições federadas da modalidade. Pensar a Prática. Vol. 13. Núm. 2. p.1-17. 2010.

-Silva, D. Si.; Medeiros, N. C.; Silva, A. C. D. Vantagem em casa no campeonato brasileiro de futebol: efeito do local do jogo e da qualidade dos times. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 12. Núm. 2. p.148-154. 2010.

-Siqueira, O. D.; e colaboradores. O tempo de incidência dos gols em equipes de diferentes níveis competitivos da liga nacional de futsal. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 36. Núm. 2. p. S789-S801. 2014.

-Smith, M. R.; e colaboradores. Mental fatigue impairs soccer-specific physical and technical performance. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 48. Núm. 2. p.267-276. 2016.

-Souza, C. T.; e colaboradores. Avaliação sérica de danos musculares e oxidativos em atletas após partida de futsal. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 12. Núm. 4. p. 1269-274. 2010.

-Souza, N. M.; Santana, W. C. Análise dos gols em jogos da liga futsal: comparação entre as épocas 2013, 2014 e 2015. Motricidade. Vol. 14. Núm. S1. p. 134-141. 2018.

-Voser, R.; e colaboradores. Fator local e sua influência no futebol: análise quantitativa do campoenato brasileiro série A. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 2. p.191-194. 2014.

Publicado
2020-09-07
Como Citar
Moraes, G. A. de, Crippa, J. D., Leme, A. F., & Chiminazzo, J. G. C. (2020). Liga Nacional de Futsal 2018: Análise da incidência de gols. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 12(48), 202-208. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/917
Seção
Artigos Científicos - Original