A periodização tática sob a justificativa das neurociências: habituação e reestruturação das tomadas de decisão

Dênis de Lima Greboggy, Walan Robert Silva

Resumo


O presente estudo tem como objetivo descrever a metodologia de treinamento do futebol Periodização Tática (PT), criada pelo professor português Vitor Frade (Campos, 2007; Carvalho, 2006; Gomes, 2006), e especificamente argumentar e por consequência fundamentar com “pilares” pertencentes às neurociências esta forma diferente, “polêmica” e contextual de organização e operacionalização do treinamento do futebol. Os exercícios de forma jogada em inferioridade, igualdade e superioridade numérica podem estar relacionados com novas aprendizagens e formação de memórias, bem como alterações neuronais. A metodologia periodização tática pode envolver uma modificação da expressão genética neuronal por meio da produção de novas proteínas em determinadas estruturas neurais, habituando os jogadores a se adaptarem muito facilmente às situações inúmeras que estão expostos no decorrer de um jogo.

 

ABSTRACT 

The tactical periodization under the justification of the neurosciences: Habituación and restructuring of the decision making

The present study aims to describe the training methodology of the Football Periodization (PT), created by Portuguese professor Vitor Frade (Campos, 2007; Carvalho, 2006; Gomes, 2006), and specifically to argue and therefore to base with "pillars" belonging to the neurosciences this different, "controversial" and contextual form of organization and operationalization of football training. Exercises played in inferiority, equality, and numerical superiority may be related to new learning and memory formation, as well as neuronal changes. The tactical periodization methodology may involve a modification of neuronal gene expression through the production of new proteins in certain neural structures, accustoming the players to adapt very easily to the numerous situations that are exposed during the course of a game.


Palavras-chave


Neurociências; Futebol, Periodização Tática

Texto completo:

PDF

Referências


-Barbosa, A. Diferenças entre periodização convencional, periodização táctica e treino integrado. Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 122. 2008.

-Beck, J. S. Terapia Cognitiva para Desafios Clínicos: o que fazer quando o básico não funciona. Porto Alegre. Artmed. 2007. p. 328.

-Bompa, T. O. Periodização: Teoria e Metodologia do Treinamento. 4ª edição. São Paulo. Phorte. 2002. p. 423.

-Borella, M. D. P.; Sacchelli, T. Os efeitos da prática de atividades motoras sobre a neuroplasticidade. Vol. 17. Núm. 2. 2009.

-Callegaro, M. M.; Fernandez, J. L. Pesquisas em neurociência e suas implicações na prática psicoterápica. Psicoterapias abordagens atuais. 3ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2007. p. 851-872.

-Campos, C. C. A. A Singularidade da Intervenção do Treinador como a sua Impressão Digital na Justificação da Periodização Tática como um "Fenomenotécnica". Annals of Physics. 2007.

-Campos, D. M. de S. Psicologia da Aprendizagem (38th ed., p. 301). Petrópolis: Editora Vozes. 2010.

-Carvalho, R. P. F. A Operacionalização da Forma de Jogar que se pretende (Modelo de Jogo) e a sua Representação Mental: O papel da Consciência e o contributo das Neurociências na compreensão do Sucesso da Periodização Táctica. 2006.

-Casarin, R. V.; Oliveira, R. Periodização táctica: princípios estruturantes e erros metodológicos na sua aplicação no futebol. Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 144. 2010.

-Castillo, J. A. R.; Ruiz, G. El resurgimiento del inconsciente: Su história desde la psicología científica y el estudio del aprendizaje implícito. Univ. Psychol. Bogotá. Vol. 3. Núm. 2. p.147-164. 2004.

-Castro, G.; Carvalho, E. A.; Almeida, M. C. Ensaios de Complexidade. (G. Castro; E. A. Carvalho; M. C. Almeida, Eds.). 3ª edição. Porto Alegre. Sulina. 2002. 245.

-Damasio, A. R. O Erro de Descartes: Emoção, Razão e o Cérebro Humano São Paulo. Companhia das Letras. 1996. p.337.

-Ferrari, E. A. D. M.; Campinas, U. E. D.; Cerutti, S. M. Plasticidade Neural: Relações com o Comportamento Neural Plasticity: Relations With Behavior And Experimental Approaches. Vol. 17. p.187-194. 2001.

-Gaiteiro, B. R. V. N. A ciência oculta do sucesso: Mourinho aos Olhos da Ciência. 2006.

-García, E. G.; Veiga, E. C. O construtivismo e as funções mentais. Diálogo Educ. Curitiba. Vol. 7. Núm. 20. p.91-102. 2007. DOI: 10.1590/S0034-71672006000500019.

-Garganta, J. Modelação táctica do jogo de futebol. Estudo da organização da fase ofensiva em equipas de alto rendimento. A Investigação em Futebol-Estudos Ibéricos. 1997.

-Gazzaniga, M. S.; Ivry, R. B.; Mangun, G. R. Neurociência Cognitiva: A Biologia da Mente. Porto Alegre. Artmed. 2006. p. 767.

-Gomes, M. S. Do Pé como Técnica ao Pensamento Técnico dos Pés Dentro da Caixa Preta da Periodização Tática - um Estudo de Caso. 2006.

-Izquierdo, I.; Medina, J. H.; Vianna, M. R.; Izquierdo, L. A.; Barros, D. M. Separate mechanisms for short- and long-term memory. Behavioural brain research. Vol. 103. Núm. 1. p.1-11. 1999. Disponível em:

-Jog, M. S.; Kubota, Y.; Connolly, C. I.; Hillegaart, V.; Graybiel, A. M. Building neural representations of habits. Science. Vol. 286. p.5445-1745. DOI: 10.1126/science.286.5445.1745. 1999.

-Knapp, P.; e colaboradores. Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática Psiquiátrica. São Paulo. Artmed. 2004. p. 520.

-Kolb, B.; Whishaw, I. Q. Neurociência do Comportamento. Manole. 2002.

-Lefrançois, G. R. Teorias da Aprendizagem: O que a velha senhora disse. Tradução da 5ª. edição norte-americana. São Paulo. Cengage Learning. 2008. p. 479.

-Magill, R. A. (2000). Aprendizagem Motora, conceitos e aplicações. São Paulo. Edgard Blucher. 2000. p.369.

-Manuel, J. Modelação táctica do jogo de Futebol Modelação táctica do jogo de Futebol. 1997.

-Marques Júnior, N. K. Periodização Tática: Uma nova organização do Treinamento para duplas masculinas de Voleibol na areia de Alto Rendimento. R. Min. Educ. Fis. Viçosa. Vol. 14. Núm. 1. p.19-45. 2006.

-Mombaerts, E. Fútbol: entrenamiento y rendimiento Colectivo. Barcelona: Editorial Hispano Europea. 1998. p. 124.

-Oliveira, B.; Amieiro, N., Resende, N., & Barreto, R. (2006). Mourinho, Por que tantas vitórias? Lisboa. gradiva. 2006. p. 220.

-Pellegrini, A. M. A Aprendizagem de habilidades motoras I: O que muda com a prática? Rev. paul. Educ. Fís. Vol. 3. p. 29-34. 2000.

-Schacter, D. L. Implicit memory: History and current status. Journal of Experimental Psychology: Learning, Memory and Cognition. Vol. 13. Núm. 3. p. 501-518. 1987. DOI: 10.1037/0278-7393.13.3.501.

-Schmidt, R. A.; Wrisberg, C. A. Aprendizagem e Performance motora. 2ª edição. Porto Alegre. Artmed. 2001. p. 352.

-Squire, L.; Berg, D.; Bloom, F.; Lac, S. D.; Ghosh, A.; Spitzer, N. Fundamental Neuroscience. Physical review letters. 3ª edição. Vol. 106. San Diego. Elsevier. 2008. p. 1277.

-Teodorescu, L. Problemas de teoria e metodologia nos jogos desportivos. 2ª edição. Lisboa. Livros Horizonte. 2003. p. 222.

-Verkhoshanski, Y. Treinamento Desportivo: Teoria e Metodologia. Gomes, A. C.; Oliveira, P. R. Porto Alegre. Artmed. 2001. p. 215.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Antonio Coppi Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui