Padrões de trocas de treinadores de futebol no Campeonato Brasileiro de Futebol Série A 2016

  • Juan Wipel Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Heitor Luiz Furtado Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Cahuane Corrêa Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Leonardo Gomes Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Palavras-chave: Futebol, Treinadores, Demissão, Aproveitamento

Resumo

A presente pesquisa tem como principal objetivo identificar o padrão das trocas de treinadores na série A do Campeonato Brasileiro 2016. Trata-se de um estudo descritivo/exploratório, na qual foram inseridas todas as equipes participantes do Campeonato Brasileiro de Futebol Série A 2016. Foram analisadas ao todo 38 rodadas, nas quais as informações foram coletadas rodada por rodada diretamente de portais eletrônicos, pelos sites dos clubes e anexados em Plataforma Eletrônica Excel. Os resultados encontrados mostram que, houve 36 trocas de treinadores em 38 rodadas (contando com técnicos interinos e que pediram demissão), apontando quase uma troca por rodada. Na maioria das vezes, a demissão foi efetivada pelo baixo aproveitamento das equipes durante as rodadas. Apenas três equipes não demitiram seus treinadores ao longo da competição, o que aponta para uma alta rotatividade, culminando em uma intensa instabilidade no cargo. Os dados apresentados denotam para a complexidade de análise deste objeto, na medida que vários fatores podem contribuir para tais acontecimentos, desde questões que afetam os resultados propriamente ditos, perpassando por questões polí­ticas, relações com a torcida e até mesmo com a imprensa.

Biografia do Autor

Juan Wipel, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Graduando em Bacharel em Educação Fí­sica pela Universidade Regional de Blumenau FURB

Heitor Luiz Furtado, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Possui Licenciatura Plena em Educação Fí­sica pela Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB (2009). Mestre em Educação pela Universidade do Vale Do Itajaí­ UNIVALI (2012). Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação Fí­sica UFPR na linha de pesquisa Esporte, Lazer e Sociedade. Professor na Universidade Regional de Blumenau FURB e na Universidade do Vale do Itajaí­. Possui experiência na na educação fí­sica escolar, iniciação desportiva, direcionando seus estudos para a área da epistemologia da educação fí­sica, , pedagogia do esporte e futebol e futsal. Membro do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte - CBCE

Cahuane Corrêa, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Possui graduação em Educação Fí­sica pela Universidade Federal do Paraná (2015). Tem experiência na área de Educação Fí­sica, com ênfase em Educação Fí­sica escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: educação fí­sica, educação infantil, educação fí­sica escolar, formação inicial e jogos/brincadeiras tradicionais/populares. É mestranda no programa de Pós-graduação em Educação Fí­sica na linha de pesquisa Esporte, Lazer e Sociedade pela Universidade Federal do Paraná. Estuda Antiguidade Clássica, com ênfase nas concepções de corpo

Leonardo Gomes, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Graduando em Educação Fí­sica-Licenciatura, Universidade Federal do Paraná

Referências

-Ayomide, A. Epl club managers that were fired in the 2015/2016 season. 2016. Disponível em: <https://sports.naij.com/830874-assessing-premier-league-managers-sacked-effect-teams-left-behind.html>. Acesso em: 08 jul. 2017.

-Costa, I. T.; Samulski, D. M. O perfil de liderança dos treinadores de futebol do Campeonato Brasileiro Série A/2005. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 20. Num. 3. p. 175-184, 2006.

-Costa, I. T.; Samulski, D. M.; Da Costa, V. T. Análise do perfil de liderança dos treinadores das categorias de base do futebol brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 23. Num. 3. p. 185-194. 2009.

-Fernandes, J. C. P.; Moura, D. L.; Antunes, M. M.; Lima, R. L. Uma análise do perfil dos treinadores ex-atletas. Esporte e Sociedade, Campinas, set. 2013.

-Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas; 1999.

-Marturelli Junior, M. A organização do trabalho de treinadores de futebol: estratégias de ação e produtividade de equipes profissionais. 2002. 102 f. Tese (Mestrado), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

-Rede Globo de Televisão. Profissão Treinador. Rio de Janeiro: 2017.

-Talamoni, G. A.; Oliveira, F. I. Da S.; Hunger, D. As configurações do futebol brasileiro: análise da trajetória de um treinador. Movimento, Porto Alegre. Vol. 19. Num. 1. p. 73-93. 2009.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
Wipel, J., Furtado, H. L., Corrêa, C., & Gomes, L. (2018). Padrões de trocas de treinadores de futebol no Campeonato Brasileiro de Futebol Série A 2016. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 10(40), 513-522. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/576
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original