Panorama da produção científica acerca da inserção e participação feminina no futebol brasileiro pós-revogação do decreto-lei nº 3.199/1941

  • Lucas Vasconcelos Paulino Graduando do Curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Estadual de Montes Claros-MG, Brasil.
  • Sarah Carine Gomes Aragão Mestre em História, Docente da Universidade Estadual de Montes Claros-MG, Brasil.
Palavras-chave: Futebol Feminino, Decreto Lei - 3.199, Imprensa, Esporte

Resumo

Introdução: A prática esportiva do futebol feminino vem sendo difundida na sociedade contemporânea, trazendo diversas reflexões acerca dos paradigmas que permeiam tal modalidade, principalmente no tocante à inserção e visibilidade desta nas mídias comunicativas. Objetivo: Analisar o panorama de produção científica acerca da inserção do futebol feminino e sua representação pela imprensa, pós-revogação do Decreto-Lei 3.199. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo qualitativo de caráter exploratório, por meio de pesquisa bibliográfica realizada com artigos científicos, disponíveis nas bases de dados Scielo, Medline, Pubmed e Google Acadêmico no período correspondente a pós-revogação do Decreto-Lei 3.199 compreendido entre os anos de 1979 até a Copa do Mundo de 2019. Os descritores aplicados foram: futebol feminino, futebol, mulheres no esporte, Decreto-Lei 3.199. Em inglês: women’sfootball, football, women in sport, Decrere-law. Após a seleção do material, foi realizada a primeira leitura superficial para confirmar se o material se adequava ao objetivo proposto. Em seguida, uma leitura mais aprofundada a fim de identificar a presença da prática do futebol feminino, características de sua invisibilidade e como a imprensa representa as mulheres no futebol brasileiro. Por fim, uma leitura analítica a fim de ordenar e sumariar as informações visando responder ao problema proposto no estudo. Resultados: 12 artigos foram selecionados, estando estes em sua maioria indexados na plataforma Scielo. Conclusão: A inserção da mulher nas mídias de comunicação e esfera futebolística mostrou-se pequena se comparada ao homem, estando atrelada a falta de fomentos, patrocínios e propagação no cenário esportivo brasileiro e mundial.

Referências

-Araújo, M. L.; Silveira, R. As trajetórias de jogadoras de futebol: os processos de socialização em jogo. Espaço Plural. Ano 14. Núm. 29. p. 271-279. 2013.

-Azevedo, W.W. A percepção do torcedor em relação ao futebol feminino e masculino. TCC Bacharelado em Educação Física. Universidade tecnológica Federal do Paraná. Curitiba. 2019.

-Bueno, N. C. A (in) visibilidade das mulheres em programas esportivos de TV: um estudo de casos no Brasil e em Portugal. Tese de Doutorado em Comunicação. Pós-Graduação em Comunicação, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC), Universidade Estadual Paulista. Bauru. 2018.

-Carvalho, R.M.; Machado Filho, R.; Gonçalves, G.I.F.; Nascimento Filho, N.; Pessoa, G.A. O preconceito no futebol feminino no Brasil. Revista de Trabalhos Acadêmicos-Campus Niterói. Núm. 17. 2018.

-Cunha Filho, M. M. Futebol e mídia: uma análise da divulgação do futebol feminino brasileiro pela mídia online. TCC Bacharelado e Licenciatura em Educação Física. Faculdade de Educação Física. Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia. 2020.

-Darido, S. C. Futebol feminino no Brasil: do início à prática pedagógica. Motriz. Vol. 8. Núm. 2. p. 6-15. 2002.

-Ferreti, M. A. C.; Zuzzi, R. P.; Viana, A. E. S.; Vilha Junior, F. M. O futebol feminino nos jogos olímpicos de Pequim. Motriz. Vol. 17. Núm. 1. p. 117-127. 2011.

-Firmino, C. B.; Ventura, M. S. Sou atleta, sou mulher: a representação da seleção brasileira de futebol feminino na cobertura dos Jogos Olímpicos em Londres (2012). In: Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 18, Bauru, 2013. Anais [...], Intercom: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Bauru. São Paulo. 2013.

-Franzini, F. Futebol é “coisa para macho”?:pequeno esboço para uma história das mulheres no país do futebol. Revista Brasileira de História. Vol. 25. Núm. 50. 2015.

-Freitas, A. F.; Borba, B. L.; Ribeiro, S. F.; Silva, C. F. O futebol no jornal das moças: as aproximações e os distanciamentos das mulheres. Corpoconsciência. Vol. 23. Núm. 2. p. 63-74. 2019.

-Gabriel, B. J.; Freitas Júnior, M. A. O discurso acerca da seleção brasileira presente na Folha de S. Paulo durante o ano de realização da “Germany World Cup”. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 30. Núm. 2. p. 371-383, 2016.

-Gil, A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª edição. São Paulo. Atlas. 2008.

-Goellner, S. V. Mulher e esporte no Brasil: entre incentivos e interdições elas fazem história. Pensar a Prática. Vol. 8. Núm. 1. 2005a.

-Goellner, S. V. Mulheres e futebol no Brasil: entre sombras e visibilidades. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol.19. Núm. 2. p. 143-151. 2005b.

-Januário, S.B. Marta em notícia: a (in)visibilidade do futebol feminino no Brasil. FuLiA/UFMG. Vol. 2. Núm. 1. 2017.

-Miranda, H. C.; silva, C. D. Nas linhas do campo: a participação feminina em programas esportivos com comentaristas. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 40, Curitiba, 2017. Anais [...], Intercom: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Curitiba. Paraná. 2017.

-Mourão, L.; Morel, M. As narrativas sobre o futebol feminino. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 26. Núm. 2. p. 73-86. 2005.

-Chartier, R.; e colaboradores. A história cultural. Entre práticas e representações. Lisboa. Difel. Vol. 1. p. 12. 1990.

-Roque, L. A. O. As dificuldades encontradas no futebol de campo feminino no Brasil. Projeto de Pesquisa Curso de Licenciatura em Educação Física. Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Goiânia. 2020.

-Salvini, L.; Marchi Júnior, W. Guerreiras de chuteiras na luta pelo reconhecimento: relatos acerca do preconceito no futebol feminino brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 30. Núm. 2. p.303-311. 2016.

-Salvini, L.; Souza, J.; Marchi Júnior, W. Entre fachadas, bastidores e estigmas: uma análise sociológica do futebol feminino a partir da teoria da ação social de ErvingGoffman. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 29. Núm. 4. 2015.

-Santos, D. S.; Medeiros, A. G. A. O futebol feminino no discurso televisivo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 34. Núm. 1. p. 185-196. 2012.

-Santos, I. C. As mulheres no mundo da arbitragem futebolística: a construção dos corpos e a dominação masculina no futebol. Seminários Interlinhas. Vol. 2. Núm. 1. 2014.

-Schuster, P. R.; Silveira, F. N. A desconstrução da narrativa sobre mulher e futebol na mídia: o drible do blog dibradoras. Movendo Ideias. Vol. 25. Núm. 1. p. 17-27. 2020.

-Silva Júnior, A.O.; Freitas, M.J.T.; Félix, J. Corpo e tecnologias digitais: implicações de gênero no futebol feminino. Revista Temas em Educação. Vol. 28. Núm. 3. p. 276-294. 2019.

-Souza, J.S.S.; kniknik, J.D. A mulher invisível: gênero e esporte em um dos maiores jornais diários do Brasil. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 21. Núm. 1. p. 35-48. 2007.

-Souza, M. T. O.; Capraro, A. M.; Jensen, L. Olhos masculinos nascidos para a contemplação do belo: a relação entre esporte e mulher na crônica esportiva brasileira. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 39. Núm. 4. 2017.

-Tedeschi, L. A. As mulheres e a história: uma introdução metodológica. Dourados-MS, Editora UFGD. 2008.

Publicado
2022-06-20
Como Citar
Paulino, L. V., & Aragão, S. C. G. (2022). Panorama da produção científica acerca da inserção e participação feminina no futebol brasileiro pós-revogação do decreto-lei nº 3.199/1941. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 14(57), 171-179. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1218
Seção
Artigos Científicos - Revisão