A mulher no mundo do futebol: participação nas aulas de educação física

  • Adelmax Pedral Cruz Curso de Educação Física, Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil.
  • Valeria Silva da Conceição Curso de Educação Física, Centro Universitário UNIAGES, Paripiranga-BA, Brasil.
  • Frederico Barros Costa Curso de Educação Física, Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil; Laboratório de Biociências da Motricidade Humana (LABIMH), Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil.
  • Cássio Murilo Andrade Lima Junior Laboratório de Biociências da Motricidade Humana (LABIMH), Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil; Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente da Universidade Tiradentes (UNIT), Brasil.
  • Jymmys Lopes dos Santos Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão-SE, Brasil.
  • Fábio Antonio da Silva Departamento de Ensino e Pesquisa, Autarquia Municipal de Saúde, Apucarana-PR, Brasil.
  • Lucio Marques Vieira-Souza Laboratório de Biociências da Motricidade Humana (LABIMH), Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil; 5 - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão-SE, Brasil; Curso de Educação Física do Estado de Minas Gerais (UEMG), Campus Passos-MG, Brasil.
Palavras-chave: Futebol feminino, Educação Física, Âmbito escolar, Preconceito, Discriminação

Resumo

Introdução: A luta da mulher pelos seus objetivos, e contra o preconceito, vem de longas datas, inclusive no esporte. No futebol, devido a questões culturais, sempre existiu forte discriminação contra a participação feminina. No âmbito escolar, verifica-se que muitas meninas demonstram interesse na modalidade, apesar das barreiras que ainda enfrentam. Objetivo: o objetivo do presente estudo é identificar a participação da mulher nas aulas de Educação Física. Materiais e métodos: O estudo se caracteriza como uma pesquisa de abordagem quali-quantitativa, com caráter explicativo. A amostra foi constituída por 48 alunas, com faixa etária entre 11 e 17 anos, matriculadas regularmente no Ensino fundamental II de uma escola localizada numa cidade do interior da Bahia. Para a coleta de dados, foi elaborado um questionário composto por sete perguntas objetivas. Resultados: 79% das entrevistadas relataram ter sido introduzidas ao futebol em ambiente escolar, 4% em clubes e 17% na rua. Quanto às barreiras, 75% relataram ter sofrido discriminação, e todas relataram oposição dos colegas, 67% relataram ter participado dos jogos internos na modalidade, e todas relataram haver treinamento feminino na escola. Discussão: Os achados estão em consonância com os dados evidenciados na literatura, e explicita as grandes barreiras enfrentadas pelo futebol feminino, apesar da crescente popularidade do futebol em meio as mulheres.  Conclusão:  Ainda existem fatores que contribuem negativamente para visibilidade do futebol feminino, como a rejeição e o preconceito. Sugere-se que novos debates sejam fomentados com a finalidade de remover tais barreiras.

Referências

-Araujo, A. S.; Brito, C. M. D. O Futebol Feminino e as Representações dos Estudantes Sobre Gênero e Lazer em uma Instituição Escolar. Revista Interdisciplinar Sulear. Vol. 0. Num. 1. p. 81-90. 2019.

-Batista, F. L.; Cardoso, V. D.; Nicoletti, L. P. O professor de educação física escolar e a influência da motivação em sua prática pedagógica. Revista Educação em Debate. Vol. 41. Num. 80. p. 172-184. 2019.

-Calheiros, S. T. P.; Souza, T. M. F. Correlação entre medidas indiretas de mensuração do VO2 máx em jogadoras de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 5. Num. 15. p. 60-67. 2013.

-Cardoso, J. P.; Acco Junior, J. As oportunidades da prática do futsal e futebol feminino no ambiente escolar. Santa Catarina. UNISUL. 2020.

-Costa, M. G. B. Perspectivas para o futebol feminino: um estudo a partir do pelotas/phoenix. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 8. Num. 31. p. 379-386. 2016.

-Ferreira, T.; Moreira, E. C. Educação física escolar e futebol: o que pensam os alunos do ensino médio. Motrivivência. Vol. 31. Num. 58. p. 1-17. 2019.

-Gavião, P. C. S.; Clodomiro, P. F.; Ilha, P. V. Adesão, permanência e barreiras percebidas na prática do futebol feminino. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 10. Num. 40 Supl. 1. p. 550-556. 2018.

-Kerne, F. Futebol feminino na escola na perspectiva de alunas do ensino fundamental. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 6. Num. 22. p. 278-284. 2014.

-Lisbôa, I.; Medeiros, W.; Roberto, J.; Sales, R. Análise dos índices de massa corpórea nas categorias de base do futebol feminino de São José dos Campos-SP. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 6. Num. 19. p. 3-6. 2014.

-Maffei, W. S.; Verardi, C. E. L.; Carvalho, B. J. O interesse feminino pelo Futebol na escola. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 11. Num. 45. p. 507-514. 2019.

-Salvani, L.; Marchi Júnior, W. “Guerreiras de chuteiras” na luta pelo reconhecimento: relatos acerca do preconceito no futebol feminino brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo. Vol. 30. Num. 2. p. 303-311. 2016.

-Santos, P. R. B.; Santos da Silva, A. A importância dos jogos cooperativos no ambiente escolar. Revista Relações Sociais. Vol. 3. Num. 3. p. 0251-0261. 2020.

-Silva, J. E.; Voltolini, J. C.; Brito, R. S. Associação entre massa corporal, estatura e VO2 máx com medidas de desempenho físico em atletas de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 7. Num. 23. p. 59-66. 2015.

-Silva, S. P.; Silva, D. P.; Albuquerque, M. R. Efeito da idade relativa no futebol feminino: uma análise no decorrer das edições das copas do mundo feminina fifatm. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 10. Num. 37. p. 116-123. 2018.

Publicado
2022-03-24
Como Citar
Cruz, A. P., Conceição, V. S. da, Costa, F. B., Lima Junior, C. M. A., Santos, J. L. dos, Silva, F. A. da, & Vieira-Souza, L. M. (2022). A mulher no mundo do futebol: participação nas aulas de educação física. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 13(55), 581-588. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1118
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original