Pesquisas sobre posse de bola no futebol e o desejável respeito à pluralidade cultural

  • Gabriel Melo de Oliveira Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina-PR, Brasil.
Palavras-chave: Futebol, Posse de bola, Cultura de jogo

Resumo

Sendo o percentual de posse de bola um exemplo de indicador quantitativo de performance bastante estudado e discutido, é notável que há muita controvérsia, na literatura, sobre a relação entre muito tempo de posse de bola durante uma partida e sucesso. O objetivo deste estudo é observar a não-linearidade na forma como as equipes vencem seus jogos a partir dos percentuais de posse de bola em uma grande amostra como alvo. Foram analisados os dados de 3 competições europeias de clubes de futebol da temporada 2016/17: Série A (Campeonato Italiano), La Liga (Campeonato Espanhol) e Premier League (Campeonato Inglês). Após análise dos critérios de inclusão e exclusão na pesquisa, foram selecionados 887 dados de posse de bola das equipes vitoriosas (300 do Campeonato Italiano, 291 do Campeonato Espanhol e 296 do Campeonato Inglês). As médias e desvios padrão dos percentuais de posse de bola demonstraram não haver uma linearidade. Já as ligas analisadas (italiana 51,91% ± 10,33% / espanhola 52,4% ± 10,56% / inglesa 53,21% ± 11,61%) obtiveram valores próximos, de uma forma geral. A não-linearidade dos resultados inibe aferir que mais ou menos posse de bola é melhor para se obter vitórias, ou seja, inviabiliza um algorítmico preditor de futebol vencedor, como é defendido por alguns estudos. Como conclusão, também suportamos a ideia de que pesquisas científicas deveriam se preocupar menos em encontrar tais algorítmicos. Todavia, poderiam pesquisar e conceber o jogo a partir de procedimentos heurísticos que respeitem a pluralidade cultural do jogar dos clubes.

Biografia do Autor

Gabriel Melo de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina-PR, Brasil.
Bacharel Ciências do Esporte (UEL)

Referências

-Barp, E.; Medeiros, C. Análise estatística da posse de bola e finalização no Campeonato Brasileiro Série A de 2016. 2017.

-Castelão, D.; Garganta, J.; Afonso, J.; Teoldo, I. Análise sequencial de comportamentos ofensivos desempenhados por seleções nacionais de futebol de alto rendimento. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 2015. p. 230-236.

-Chassy, P. Team Play in Football: How Science Supports F. C. Barcelona’s Training Strategy. Scientific Research. 2013. p. 7-12.

-Collet, C. The possession game? A comparative analysis of ball retention and team success in European and international football, 2007-2010. Journal of Sports Sciences. 2013. p. 123-136.

-Garganta, J. Modelação táctica do jogo de futebol - Estudo da organização da fase ofensiva em equipas de alto rendimento. Tese de Doutorado em Ciências do Desporto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física. Porto. Portugal. Universidade do Porto. 1997.

-Garganta, J. A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise de jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Vol. 1. Num. 1. 2001. p. 57-64.

-Garganta, J. Modelação táctica em jogos desportivos: a desejável cumplicidade entre pesquisa, treino e competição. In: Tavares, F.; Graça, A.; Garganta, J.; Mesquita, I. (eds). Olhares e Contextos da Performance nos jogos desportivos. Porto. Portugal. 2008. p. 108-121.

-Hughes, M.; Bartlett. R. The use of performance indicators in performance analysis. Journal of Sports Sciences. 2002. p. 739-754.

-Jankovic, A.; Leontijevic, B.; Pasic, M.; Jelusic, V. Influence of certain tactical attacking patterns on the result achieved by the teams participants of the 2010 FIFA World Cup in South Africa. Physical Culture. 2010. p. 34-45.

-Jones, P.D.; James, N.; Mellalieu, S.D. Possession as a performance indicator in soccer. International Journal of Performance Analysis in Sport. 2004. p. 98-102.

-Lago, C. The influence of match location, quality of opposition, and match status on possession strategies in professional association football. Journal of Sports Sciences. 2009. p. 1462-1469.

-Lago, C.; Martín, R. Determinants of possession of the ball in soccer. Journal of Sports Sciences. 2007. p. 969-974.

-Lago-Peñas, C.; Dellal, A. Ball Possession Strategies in Elite Soccer According to the Evolution of the Match-Score: the Influence of Situational Variables. Journal of Human Kinetics. 2010. p. 93-100.

-Lago-Peñas, C.; Lago-Ballesteros, J.; Dellal, A.; Gómez, M. Game-related statistics that discriminated winning, drawing and losing teams from the Spanish soccer league. Journal of Sports Science and Medicine. 2010. p. 288-293.

-Lago-Ballesteros, J.; Lago-Peñas, C. Performance in Team Sports: Identifying the Keys to Success in Soccer. Journal of Human Kinetics, 2010. p. 85-91.

-Lewis, M. Moneyball: o homem que mudou o jogo. Rio de Janeiro. Intrínseca. 2015. p. 336.

-Manuel Sérgio. Filosofia do Futebol. Portugal. Prime Books. 2012. p. 174.

-Papahristodoulou, C. An Analysis of UEFA Champions League Match Statistics. International Journal of Applied Sports Sciences. 2008. p. 67-93.

-Sabino, A.; Geraque, E.; Cosenzo, L. Campeonato e Corinthians derrubam a tese da posse de bola para vencer. 2017. Disponível em: http://www.folha.uol.com.br/esporte/2017/08/1911362-campeonato-e-corinthians-derrubam-tese-da-posse-de-bola-para-vencer.shtml. Acesso em: 20/11/2017.

-Sarmento, H.; Anguera, M.; Campaniço, J.; Resende, R.; Leitão, J. Manchester United, Internazionale Milano and FC Barcelona - What’s Different? Sport Mont. Maia. 201? p. 50-56.

-Sarmento, H.; Pereira, A.; Matos, N.; Campaniço, J.; Anguera, M.; Leitão, J. English Premier League, Spain’s La Liga and Italy’s Serie’s A - What’s Different? International Journal of Performance Analysis in Sport. Maia. 2013. p. 773-789.

-Silva, P.M.; Castelo, J.; Santos, P. Caracterização do processo de análise do jogo em clubes da 1ª liga portuguesa profissional de futebol na época 2005/2006. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. 2011. p. 441-453.

-Szwarc, A. Effectiveness of brazilian and german teams and the teams defeated by them during the 17th Fifa World Cup. Kinesiology. Gdansk. 2004. p. 83-89.

Teoldo, I.; Guilherme, J.; Garganta, J. Para um futebol jogado com ideias: concepção, treinamento e avaliação do desempenho tático de jogadores e equipes. Curitiba. Appris. 2015. p. 319.

-Yilmaz, M.; Ünözkan, H. A study on mathematical model of determining three Istanbul football clubs winning or losing. Nigde University Journal of Physical Education and Sport Sciences. Ancara. Vol. 9. 2015. p. 94-104.

Publicado
2020-08-25
Como Citar
de Oliveira, G. M. (2020). Pesquisas sobre posse de bola no futebol e o desejável respeito à pluralidade cultural. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 11(46), 611-618. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/841
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original