A influência do estágio maturacional na aptidão aeróbia de atletas de futebol da categoria sub-15

Marília Padilha Martins Tavares, Heloiana Karoliny Campos Faro, Luiz Fernando de Farias Júnior, Arnaldo Luis Mortatti, Hassan Mohamed Elsangedy

Resumo


A pesquisa tem como objetivo verificar se há diferenças da aptidão aeróbia entre os níveis 3 e 4 do estágio maturacional púbere em atletas pareados por idade cronológica da categoria sub-15 de um time profissional de futebol. A amostra foi constituída de 18 indivíduos eutróficos, com 15 anos de idade, participantes regulares do treinamento de futebol de um time profissional, classificados conforme os estágios de maturação sexual do estágio púbere, estágio 3 (G3; n=8) e estágio 4 (G4; n=10). Foram mensurados a massa corporal e estatura, gordura corporal relativa (GCR), frequência cardíaca máxima (FCmáx) e volume de oxigênio máximo (VO2máx). A normalidade dos dados foi verificada pelo teste de Shapiro-Wilk. Para os dados com distribuição normal foi realizado o teste t de Student para amostras independentes e para os dados não normais, foi utilizado o teste de Mann-Whitney, sendo adotado o p valor de 0,05. Após coleta de dados, não foram encontradas diferenças entre os grupos da massa corporal, estatura, gordura corporal relativa e FCmáx, quanto ao VO2máx também apresentaram resultados diferentes entre os grupos G3 e G4 do estágio púbere (p=0,789). Nesse sentido, com base nestes resultados, conclui-se que apesar dos diferentes níveis maturacionais (3 e 4) no estágio púbere, não apresentam diferença em sua aptidão aeróbia, mostrando então que nessa amostra estudada a maturação sexual não obteve tanta influência quanto a aptidão aeróbia dos atletas estudados.

 

ABSTRACT 

The influence of maturational stage in aeropia fitness of athletes of the sub-15 category football 

The research aims to verify if there are differences in aerobic fitness between levels 3 and 4 of the mature maturational stage in athletes matched by chronological age of the sub-15 category of a professional football team. The sample consisted of 18 eutrophic individuals, 15 years of age, regular participants of the football training of a professional team, classified according to the stage of sexual maturation of the pubertal stage, stage 3 (G3; n = 8) and stage 4 G4; n = 10). Body mass and height, relative body fat (GCR), maximum heart rate (HRmax) and maximum oxygen volume (VO2max) were measured. The normality of the data was verified by the Shapiro-Wilk test. For the data with normal distribution, the Student's t-test was performed for independent samples and for the non-normal data, the Mann-Whitney test was used, and the value of 0.05 was used. After data collection, no differences were found between the groups of body mass, stature, relative body fat and HRmax, and VO2max also presented different results between the G3 and G4 groups of the pubertal stage (p = 0.789). In this sense, based on these results, it is concluded that despite the different maturational levels (3 and 4) in the pubertal stage, they do not present any difference in their aerobic fitness, showing that in this sample, sexual maturation did not have as much influence as the aptitude aerobic performance of the studied athletes.


Palavras-chave


Adolescentes; Maturação; Aptidão cardiorrespiratória

Texto completo:

PDF

Referências


-Almeida, J. A.; e colaboradores. Validade de Equações de Predição em Estimar o VO 2max de Brasileiros Jovens a Partir do Desempenho em Corrida de 1600m Predictive Equations Validity in Estimating the VO2 max of Young. Vol. 16. p. 57-60. 2010.

-Araujo, S. De; de Oliveira, A. Aptidão física em escolares de Aracaju. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 10. Num. 3. p. 271-276. 2008.

-Arruda, M.; Hespanhol, J. E. Treinamento de força em futebolistas. Phorte. 2009.

-Basset, D. R.; Howley, E. T. Maximum oxygen uptake: “classical” versus “contemporary” viewpoints. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 29. Num. 5. p. 591-603. 1997.

-Broekhoff, J. Effects of physical activity on pregnancy BJOG: An International Journal of Obstetrics and Gynaecology, 2012. Disponível em:

-Castagna, C.; e colaboradores. Aerobic fitness and yo-yo continuous and intermittent tests performances in soccer players: a correlation study. Journal of strength and conditioning research / National Strength & Conditioning Association. Vol. 20. Num. 2. p. 320-325. 2006.

-Cyrino, E. S.; e colaboradores. Aptidão aeróbia e sua relação com os processos de crescimento e maturação. R da Educação Física/UEM. Vol. 13. Num. 1. p. 17-26. 2002a.

-Cyrino, E. S.; e colaboradores. Efeitos do treinamento de futsal sobre a composição corporal e o desempenho motor de jovens atletas. Revista Brasileira de Ciencia e movimento. Brasilia. Vol. 10. p. 41-46. 2002b.

-FIFA. FIFA Big Count 2006: 270 million people active in football. FIFA Communications Division. Information Services. 2007.

-Figueira, F. R.; Flores, T.; Navarro, A. C. Identificação do volume de oxigênio máximo através do teste de Yo-Yo em atletas de futebol da categoria sub 14 do Grêmio Futebol Porto Alegrense. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 1. Num. 1. p. 127-141. 2009. Disponível em:

-Gil, S.; e colaboradores. Physiological and anthropometric characteristics of young soccer players according to their playing position: relevance for the selection process. J Strength Cond Res. Vol. 21. Num. 2. p. 438-445. 2007.

-Helsen, W. F.; Starkes, J. L.; Winckel, J. A. N. V. A. N. Effect of a change in selection year on success in male soccer players. Journal. American Human. O F. Vol. 6300. 2000.

-Herdy, A. H.; Uhlendorf, D. Valores de referência para o teste cardiopulmonar para homens e mulheres sedentários e ativos. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 96. Num. 1. p. 54-59. 2011.

-Johnson, M. S.; e colaboradores. Aerobic Fitness, Not Energy Expenditure, Influences Subsequent Increase in Adiposity in Black and White Children. Vol. 106. Num. 4. p. 2-7. 2000.

-Krustrup, P.; e colaboradores. The Yo-Yo intermittent recovery test: Physiological response, reliability, and validity. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 35. Num. 4. p. 697-705. 2003.

-Malina, R.; Bouchard, C.; Bar-Or, O. Crescimento, Maturação e Atividade Física. 2ª edição. São Paulo. 2009.

-Malina, R. M. Growth and maturation: basic principles and effects of training. In: Children and youth in organized sports. [s.l.]. 2004.

-Mirwald, R. L.; Bailey, D. A. Maximal Aerobic Power. Sports Dynamics. 1986.

-Musch, J.; Hay, R. The Relative Age Effect in Soccer: Cross-Cultural Evidence for a Systematic Discrimination against Children Born Late in the Competition Year. Sociology of Sport Journal. Vol. 16. Num. 1. p. 54-64. 1999.

-Rowland, T. Fisiologia do exercício na criança. 2ª edição. São Paulo. 2008.

-Sallis, J. F.; Buono, M. J.; Freedson, P. S. Bias in estimating caloric expenditure from physical activity in children. Implications for epidemiological studies. Sports medicine. Vol. 11. Num. 4. p. 203-209. 1991.

-Seabra, A.; Maia, J. A.; Garganta, R. Crescimento, maturação, aptidão física, força explosiva e habilidades motoras específicas. Estudo em jovens futebolistas e não futebolistas do sexo masculino dos 12 aos 16 anos de idade. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Vol. 2001. Num. 2. p. 22-35. 2001.

-Slaughter, e colaboradores. Skinfold equations for estimation of body fatness in children and youth. In: human biology. Vol. 60. p. 709-723. 1988

-Stabelini Neto, A.; e colaboradores. Consumo máximo de oxigênio na adolescência: correlação com a maturação sexual, composição corporal e atividade física. Vol. 34. Num. 3. p. 143-151. 2015.

-Strøyer, J.; Hansen, L.; Klausen, K. Physiological Profile and Activity Pattern of Young Soccer Players during Match Play. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 36. Num. 1. p. 168-174. 2004.

-Tanner, J. M. Growth at adolescence. 2nd. ed. Springfield: Oxford: Blackwell Scientific Publications. 1962.

-Ulbrich, A. Z. Aptidão física em crianças e adolescentes de diferentes estágios maturacionais. Fitness & Performance Journal. Vol. 6. Num. 5. p. 277-282. 2007.

-Weineck, J. Biologia do Esporte. 7ª edição. São Paulo. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Antonio Coppi Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui