Comportamento da variabilidade da frequência cardí­aca pré e pós-partidas de Futebol

  • Marcelo Romanovitch Ribas Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil
  • Leonadro Farah Centro Universitário Campos de Andrade (Uniandrade), Curitiba-PR, Brasil
  • Alex Inácio Nunes Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil
  • Jeferson da Silva Souza Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil
  • Marcos Alberto Skavinki Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil
  • Remy Neves Stephan Moro Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil
  • Julio César Bassan Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil
Palavras-chave: Futebol, Variabilidade da frequência cardíaca, Recuperação

Resumo

O Futebol é um esporte complexo, que exige alto ní­vel técnico, tático, fí­sico e psicológico dos atletas. O estudo teve por objetivo determinar o comportamento da VFC pré, pós e 48 horas após diferentes partidas de Futebol. Fizeram parte da amostra 11 atletas masculinos de Futebol de Campo sub 17 da primeira divisão do campeonato estadual paranaense, com idade média de 16,7±0,5 anos. As mensurações da VFC ocorreram em 3 etapas: Antes, após e 48 h após as partidas de Futebol. Para comparar os momentos pré, após e 48h após as partidas foi realizado o teste anova um fator para medidas repetidas, seguida do teste de Tukey (p < 0,05), para identificar diferenças significativas entre os resultados nos diferentes momentos de monitoramento da VFC. Para identificar a associação entre as variáveis, foi calculada a correlação de Pearson para as médias dos diferentes momentos. Ao analisar a VFC pré o intervalo RR apresentou valores médios de 697,6±143,28 ms, pós 566,9±143,9 ms e após 48 h 831,8±142,2 ms. O SDNN mostrou valores pré, pós e após 48 h de 134,5±67,5 ms, 83,4±67,1 ms e 132,2±52,2 ms nesta ordem. A LF pré-jogo teve valores de 44,6±15,7 Hz, pós-jogo 49,7±22,0 Hz e após 48h 43,9±16,0 Hz. A HF pré, pós e após 48 h, valores de 55,1±15,4 Hz, 49,0±21,7 Hz e 55,0±15,7 Hz nesta sequência. Pode-se concluir que as informações encontradas a partir da VFC podem servir de parâmetros para os treinadores criarem estratégias para individualizar as cargas de treino.

Biografia do Autor

Marcelo Romanovitch Ribas, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil

Laboratório de Bioquí­mica e Fisiologia do Exercí­cio - Centro Universitário UnidomBosco.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (CPGEI), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, PR, Brazil.

Leonadro Farah, Centro Universitário Campos de Andrade (Uniandrade), Curitiba-PR, Brasil

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (CPGEI), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, PR, Brazil.

Alex Inácio Nunes, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil

Laboratório de Bioquí­mica e Fisiologia do Exercí­cio - Centro Universitário UnidomBosco.

Jeferson da Silva Souza, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil

Laboratório de Bioquí­mica e Fisiologia do Exercí­cio - Centro Universitário UnidomBosco.

Marcos Alberto Skavinki, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil

Laboratório de Bioquí­mica e Fisiologia do Exercí­cio - Centro Universitário UnidomBosco.

Remy Neves Stephan Moro, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil

Laboratório de Bioquí­mica e Fisiologia do Exercí­cio - Centro Universitário UnidomBosco.

Julio César Bassan, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil

Programa de Pós-Graduação em Educação Fí­sica (PPGEF), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, PR, Brazil.

Programa De Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (CPGEI), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, PR, Brazil.

Referências

-Aubert, A.E.; Seps, B; Beckers, F. Heart Rate Variability in Athletes. Sports Medicine. Vol. 33. Num. 12. 2003. p. 889-819.

-Bricout, V.A.; Dechenaud, S.; Favre - Juvin, A. Analyses of heart rate variability in young soccer players: The effects of sport activity. Auton Neurosci. Vol. 154. Num. 1-2. 2010. p. 112-116.

-Freitas, D.G.S.; Pinto, A.; Damasceno, V.O.; Freitas, V.H.; Miloski, B.; Filho, M.G.B. Efeitos do treinamento sobre variáveis psicofisiológicas na pré-temporada de futebol. Rev Bras Med Esporte. Vol. 20. Num. 1. 2014. p. 26-31.

-Garet, M.; Tournaire, N.; Roche, F.; Laurent, R.; Lacour, J.R.; Barthelemy, J.C. Individual interdependence between nocturnal ANS activity and performance in swimmers. Med Sci in Sports Exer. Vol. 36. Num. 12. 2004. p. 2112- 2118.

-Gomes, A.M.R.; Faria, E.L. Etnografia e aprendizagem na prática: explorando caminhos a partir do futebol no Brasil. Educ Pesqui. Vol. 41 (esp). 2015. p. 1213-1228.

-Guideline - Heart rate variability. Standards of measurement, Physiological interpretation, and clinical use. Task Force of the European Society of Cardiology and The North American Society of Pacing and Electrophysiology (Membership of the Task Force listed in the Appendix). European Heart Journal. Vol. 17. 1996. p. 354-381.

-Leite, G.S.; Sampaio, L.M.M.; Serra, A.J.; Miranda, M.L.J.; Brandão, M.R.F.; Wichi, R.B. Analysis of Knowledge Production about Overtraining Associated with Heart Rate Variability. JEPonline. Vol. 15. Num. 2. 2012. p. 20-29.

-Longo, A.; Ferreira, D.; Correia, M.J. Variabilidade da Frequência Cardíaca. Rev Port Cardiol. Vol.14. Num. 3. 1995. p. 241-262.

-Lunz, W.; Miranda, R.N.; Dantas, E.M.; Morra, E.A.S.; Carletti, L.; Perez, A.J.; Mill, J.G. Comparação da resposta autonômica cardiovascular de praticantes de musculação, corredores de longa distância e não praticantes de exercício. Rev Bras Educ Fís Esporte. Vol. 27. Num. 4. 2013. p. 531-541.

-Macias, I.M.A. Variabilidad de la frecuencia cardíaca en relación con el ciclo menstrual: revisión. Rev Andaluza de Medicina Del Deporte. Vol. 8. Num. 4. 2015. p. 14-15.

-Matos, F.O.; Samulski, D.M.; Lima, J.R.P.; Prado, L.S. Cargas elevadas de treinamento alteram funções cognitivas em jogadores de futebol. Rev Bras Med Esporte. Vol. 20. Num. 5. 2014. p. 388-393.

-Melo, V.A. Futebol e Cinema: relações. Rev Port Cien Desp. Vol.6. Num.3. 2006. p. 362-370.

-Oliveira, S.R.; Pedro, E.R.; Milanez, F.V.; Bortolotti, H.; Victor-Costa, M.; Nakamura, Y.F. Relação entre variabilidade da frequência cardíaca e aumento no desempenho físico em jogadores de futebol. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 14. Num. 6. 2012. p. 713-722.

-Olivete, B.D.; Andrade Junior, C.; Farah, L.; Bassan, J.C.; Ribas, M.R. Comportamento da Variabilidade da Frequência Cardíaca nos 5 Minutos Iniciais e nos 5 Minutos Finais em Uma Sessão de Parkour. Rev Uniandrade. Vol. 17. Num. 1. 2016. p. 21-28.

-Pichot, V.; Roche, F.; Gaspoz, J.M.; Enjolras, F.; Antoniadis, A.; Minini, P.; Costes, F.; Busso, T.; Lacour, J.R.; Barthelemy, J.C. Relation between heart rate variability and training load in middle-distance runners. Med Sci Sports Exerc. Vol. 32. 2000. p. 1729-1736.

-Praça, G.M.; e Colaboradores. Caracterização da demanda física de pequenos jogos no futebol: influência do estatuto posicional. R Bras Ci Mov. Vol.2 3. Num. 1. 2015. p. 58-64.

-Ravagnani, F.C.P.; Garcia, A.; Coelho-Ravagnani, C. F.; dos Reis Filho, A. D.; Voltarelli, F. A. Avaliação Física de jogadores de Futebol pertencentes a diferentes categorias. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 4. Num. 11. 2012. p. 67-73. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/70>

-Rebelo, A.N.; Costa, O.; Rocha, A.P.; Soares, J.M.; Lago, P. Is autonomic control of the heart rate at rest altered by detraining? A study of heart rate variability in professional soccer players after the pretraining period and after preparatory period for competitions. Rev Port Cardiologia. Lisboa. Vol. 16. Num. 6. 1997. p. 535-41.

-Silva, J.F.; Guglielmo, L.G.A.; Dittrich, N.; Floriano, L.T.; Arins, F.B. Relação entre aptidão aeróbia e capacidade de sprints repetidos no futebol: efeito do protocolo. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 13. Num. 2. 2011. p. 112-116.

-Soares, J.; Rebelo, A.N.C. Fisiologia do treinamento no alto desempenho do atleta de futebol. Rev USP. Vol. 99. 2012. p. 91-106.

-Vanderlei, L.C.M.; Pastre, C.M.; Hoshi, R.A.; Carvalho, T.D.; Godoy, M.F. Noções básicas de variabilidade da frequência cardíaca e sua aplicabilidade clínica. Rev Bras Cirurgia Cardio. Vol. 24. Num. 2. 2009. p. 205-217.

Publicado
2019-01-15
Como Citar
Ribas, M. R., Farah, L., Nunes, A. I., Souza, J. da S., Skavinki, M. A., Moro, R. N. S., & Bassan, J. C. (2019). Comportamento da variabilidade da frequência cardí­aca pré e pós-partidas de Futebol. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 10(40), 612-620. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/645
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original