Determinação do limiar anaeróbio em jovens futebolistas em teste de campo com e sem a bola

Danilo Rodrigues Bertucci, Danilo Demarchi, Nuno Manuel Frade Sousa, Vilmar Baldissera

Resumo


O futebol é um dos esportes mais populares no mundo, ademais, como principal característica exibe uma série de capacidades físicas. A aptidão aeróbia tem como um dos principais componentes o Limiar anaeróbio (LAn) que é fundamental para os futebolistas. O objetivo do presente estudo foi identificar a intensidade do LAn em jovens futebolistas por meio das concentrações de lactato no sangue em um teste crescente de campo com e sem a condução da bola. Foram estudados 16 jovens do sexo masculino na faixa etária de 14 a 15 anos divididos randomicamente em dois grupos, grupo exercício (GE) e grupo controle (GC), GE realizou o teste incremental com a condução de bola, enquanto o GC sem a condução da bola. Não houve diferenças na velocidade, lactacidemia relacionada ao LAn e percentual da carga máxima. No entanto, a escala de Borg na VAT foi significativamente maior no GE a Vmáx significativamente maior no GC. Esses resultados indicam que a percepção de esforço pode ser afetada em situações específicas de jogo, além da possibilidade de afetar a velocidade máxima em um teste crescente. Concluímos que a condução da bola durante um teste incremental para a determinação do LAn não é suficiente para alterar a velocidade relacionada a ele, mas os resultados indicam que a Velocidade máxima sofreu interferência dessa variável

 

ABSTRACT

Anaerobic threshold determination on youth football players in tests with and without ball

Higher anaerobic threshold (AT) means, theoretically, that a player could maintain a higher average intensity in an activity without accumulation of lactate. Thus, the aim of study was to identify the velocity in AT (VAT) in young football players in an incremental test (IT) with/without the domain of the ball during the test. Sixteen adolescents (mean ±SD, 14.5 ± 0.5, 58.0 ± 6.7 kg, 158 ± 11 cm and BMI 22.9 ± 1.2 kg/m2) and they are divided in two group control group (CG, n = 8) and exercise group (EG, n = 8). The incremental test (IT) on training field, which consisted in stages begun in 7km/h with increasing speed of 1km/h every two minutes. The EG performed the IT with the domain of the ball during the test and the CG performed the same situation without ball domain. VAT (km/h) and blood lactate concentration in VAT (mmol/L) were not significantly different (EG, 10.9 ± 1.1 and CG, 11.3 ± 0.7 with p = 0.250) and (EG, 3.4 ± 1.0 and CG, 2.9 ± 0.7 with p = 0.368) respectively. However, Borg scale in VAT was significantly different (EG, 17.5 ± 0.5and CG, 14.5 ± 0.5* with p = 0.005), it represents change in their perceived exertion, “somewhat hard” to “very hard”. The involvement with ball, was not sufficient to change VAT or blood lactate concentration on VAT, but, this situation may affect the rating of perceived exertion in young players.


Palavras-chave


Limiar de lactato; Testes específicos; Escala de Borg

Texto completo:

PDF

Referências


-Balikian, P.; e colaboradores. Consumo máximo de oxigênio e limiar anaeróbio de jogadores de futebol: comparação entre as diferentes posições. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 8. Núm. 2. p. 32-36. 2002.

-Binder, R. K.; e colaboradores. Methodological approach to the first and second lactate threshold in incremental cardiopulmonary exercise testing. Eur. J. Cardiovasc. Prev. Rehabil. Vol. 15. Núm. 6. p. 726-734. 2008.

-Borg, G. A. V. Psychophysical bases of perceived exertion.Medicine and science in sports and exercise. 1982.

-Casajus, J. A. Seasonal variation in fitness variables inprofessional soccer players. Journal medicine and Physical Fitness. Vol. 41. p. 463-469. 2001.

-Coelho, D. B.; e colaboradores. Limiar anaeróbio de jogadores de futebol de diferentes categorias. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 11. Núm. 1. p. 81-87. 2009.

-Edwards, A. M.; Clark, N.; Macfadyen, A. M. Lactate and ventilatory thresholds reflect the training status of professional soccer players where maximum aerobic power is unchanged. Journal of Sports Science and Medicine. Vol. 2. Núm. 1. p. 23-29. 2003.

-Ekblom, B. Applied Physiology of Soccer. Sports Medicine. Vol. 3. Núm. 1. p. 50-60. 1986.

-Eston, R. G.; e colaboradores. The validity of predicting maximal oxygen uptake from perceptually regulated graded exercise tests of different durations. p. 535-541. 2006.

-Graef, F. I.; Fernando, L.; Kruel, M. Heart rate and perceived exertion at aquatic environment : differences in relation to land environment and applications for exercise prescription – a review. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 12. Núm. 11. p. 198-204. 2006.

-Helgerud, J.; e colaboradores. Aerobic endurance training improves soccer performance. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 33. Núm. 13. p. 1925-1931. 2001.

-Junior, M. C.; e colaboradores. Comparação do consumo máximo de oxigênio entre jogadores de futsal que atuam em diferentes posições. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 6. Núm. 20. p. 146-152. 2014.

-Loures, J. P.; e colaboradores. Specific determination of maximal lactate steady state in soccer players. Journal of strength and conditioning research / National Strength & Conditioning Association. Vol. 29. Núm. 1. p. 101-106. 2015.

-Monteiro, W.; Simão, R.; Farinatti, P. Manipulação na ordem dos exercícios e sua influência sobre número de repetições e percepção subjetiva de esforço em mulheres treinadas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Núm. 2. p. 146-150. 2005.

-Ré, A. N. Características do futebol e do futsal: implicações para o treinamento de adolescentes e adultos jovens. EFDeportes.com. Revista Digital. Núm. 127. 2008.

-Santos, P.; Soares, J. Capacidade aeróbia em futebolistas de elite em função da posição específica no jogo. Revista Portuguesa De Ciências Do Desporto. Vol. 1. p. 7-12. 2001.

-Simões, H. G.; e colaboradores. Blood glucose responses in humans mirror lactate responses for individual anaerobic threshold and for lactate minimum in track tests. European journal of applied physiology and occupational physiology. Vol. 80. Núm. 1. p. 34-40. 1999.

-Simões, H. G.; e colaboradores. Lactate Threshold Prediction By Blood Glucose and Rating of Perceived Exertion in People With Type 2 Diabetes. Perceptual & Motor Skills. Vol. 111. Núm. 2. p. 365-378. 2010.

-Stølen, T.; e colaboradores. Physiology of soccer: An update Sports Medicine. 2005.

-Teixeira, J. A. A.; e colaboradores. Caracterização da Composição Corporal, Potência Aeróbia, Anaeróbia e Força de Membros Inferiores de Adolescentes Praticantes de Futsal com Diferentes Frequências Semanais de Treinamento. Revista Brasileira de Reabilitação e Atividade Física. Vol. 3. Núm. 1. p. 29-36. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Antonio Coppi Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui