Diferenças de desempenho entre potência anaeróbia e salto vertical no Futebol

  • Sergio de Sousa Aluno de Mestrado do Programa de Pós Gradução Associado UEM/UEL
  • Wellingotn Roberto Hogera Rodrigues Aluno do Curso de Especialização em Fisiologia, Metabolismo do Exercício e Treinamento da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) Presidente Prudente.
  • Eduardo Quieroti Rodrigues Mestre em Saúde Pública pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Saúde Pública da USP.
Palavras-chave: Força, Treinamento. Avaliação, Resistência

Resumo

O futebol atual requer especificidade nos métodos de treinamento e avaliações. O objetivo do estudo foi analisar as diferenças de desempenho e as correlações entre teste de potência e de saltos verticais em futebolistas. 18 jogadores de futebol participaram do estudo, sendo divididos em grupo 1 (9) atacantes e zagueiros (19,2 ± 0,5 anos; 68,3 ± 2,8kg; 177,5 ± 2,4cm) e grupo 2 (9) meio campistas e laterais (G2 - 20,2 ± 0,7 anos; 70 ± 1,5kg; 174,4 ± 1,8cm) os mesmos passaram por duas avaliações, sendo o teste de Wingate no 1º dia e execução dos saltos verticais sem (SVSC) e com contramovimento no 2º dia (SVCM). O tratamento estatístico dos dados foi feito através do teste de Shapiro-wilk para normalidade, após confirmação, foi aplicado o Teste t-Student para amostras independentes, todos os testes com significância de p<0,05, software SPSS 17.0. Resultados: O teste de wingate e de saltos verticais não apontaram diferenças. Conclusão: Conclui-se que os grupos não apontaram diferenças posicionais.

 

ABSTRACT

Differences in performance between anaerobic power and vertical jump on football

The football should be specific in training and assessment.  The aim of this study was to analyze the differences in test performance in power and vertical jump in football. 18 football players were divided into Group 1 (9) attackers and defenders (19.2 ± 0.5 years; 68.3 ± 2.8 kg; 177.5 ± 2.4 cm) and Group 2 (9) external defenders and midfielders (G2 - 20.2 ± 0.7 years; 70 ± 1.5 kg; 174.4 ± 1.8 cm) they underwent two assessments, and the Wingate test on day 1 and implementation of vertical jumps with (VJCM) and without countermovement on day 2 (VJWM). The statistical analysis from data was done using the Shapiro-wilk for normality, and t-student for comparison between groups, significance P<0,05, software SPSS 17. Results: No differences are found in wingate test and evaluation of vertical jumps. Conclusion: It was concluded there no performance differences between different positions.   

Biografia do Autor

Sergio de Sousa, Aluno de Mestrado do Programa de Pós Gradução Associado UEM/UEL
Aluno de Mestrado do Programa de Pós Gradução Associado UEM/UELAluno de Mestrado do Programa de Pós Gradução Associado UEM/UEL
Wellingotn Roberto Hogera Rodrigues, Aluno do Curso de Especialização em Fisiologia, Metabolismo do Exercício e Treinamento da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) Presidente Prudente.

Aluno do Curso de Especialização em Fisiologia, Metabolismo do Exercício e Treinamento da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) Presidente Prudente.

Eduardo Quieroti Rodrigues, Mestre em Saúde Pública pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Saúde Pública da USP.

Mestre em Saúde Pública pelo Programa de Pós-Graduação Strictu Sensu em Saúde Pública da USP.

Publicado
2016-01-25
Como Citar
Sousa, S. de, Hogera Rodrigues, W. R., & Rodrigues, E. Q. (2016). Diferenças de desempenho entre potência anaeróbia e salto vertical no Futebol. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 7(26), 441-446. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/374
Seção
Artigos Científicos - Original