Incidência temporal de gols na Copa Libertadores da América entre os anos de 2008 e 2017

  • Karen Cristine Rodrigues Alves Universidade do Estado de Minas Gerais, Divinópolis-MG, Brasil.
  • Marco Túlio Silva Batista Universidade do Estado de Minas Gerais, Divinópolis-MG, Brasil.
  • André Ihgor da Silva Universidade do Estado de Minas Gerais, Divinópolis-MG, Brasil.
Palavras-chave: Análise, Futebol, Gol

Resumo

O objetivo desse estudo foi analisar a incidência de gols nos jogos da Copa Libertadores da América entre os anos de 2008 a 2017. No total foram analisados 1254 jogos, nos quais a ocorrência de gols foi mensurada em subdivisões de 15 minutos ao longo do tempo de jogo. Os resultados encontrados indicaram uma superioridade de gols ocorridos nos períodos finais de jogo em relação aos períodos iniciais, no entanto o número de gols foi similar entre os anos de competição. Esses resultados vão ao encontro com o que é apresentado na literatura e pode ser explicado por alguns aspectos, como por queda do desempenho físico dos jogadores e pressões psicológicas ocorridas nos finais das partidas.

Referências

-Ananias, G.E.O.; Kokubun, E.; Molina, R.; Silva, P.R.S.; Cordeiro, J.R. Capacidade funcional, desempenho e solicitação metabólica em futebolistas profissionais durante situação real de jogo monitorados por análise cinematográfica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 4. Num. 3. 1998.

-Andrade, M.T.; Boaventura, J.F.A.; Mendes, T.T.; Santos, L.C.E. Distribuição temporal dos gols do campeonato brasileiro de futebol 2006-2010. Revista Brasileira de futebol. Vol. 8. Num. 1. 2015. p.11-18.

-Argolo, J.S. Análise temporal dos gols no futebol feminino nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Edição Suplementar 1. São Paulo. Vol. 7. Num. 24. 2015. p.191-194.

-Bezerra, M.A.A.; Bezerra, G.G.O.; Julião, J.F.; Bottcher, L.B.; Lopes, C.R.; Sousa, E.T. Análise da incidência temporal de gols na Copa do Brasil 2017. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Edição Suplementar 1. São Paulo. Vol.10. Num. 40. 2018. p.641-645.

-Carelli, F.G.; David, W.A.L.; Comini, L.O.; Bartole, I.R.; Lanna, G.B.M. Incidência temporal dos gols na Copa Libertadores da América. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 9. Num. 32. 2017. p.27-31.

-Conmebol. Confederacíon Sudamericana de Fútbol. 2019. Disponível em: . Acesso em: 26/05/2019.

-Corrêa, D.K.A.; Alchierr, J.C.; Duarte, L.R.S.; Strey, M.N. Excelência na produtividade: a performance dos jogadores de futebol profissional. Psicologia: Reflexão e Crítica. Vol. 15. Num. 2. 2002. p.447-460.

-Costa, Y.P.; Júnior, N.K.M.; Silva, E.L.S.; Batista, G.R. Comparação entre a quantidade de gols realizado no campeonato brasileiro de futebol 2017 em função do tempo de jogo. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 11. Num. 43. 2019. p.203-207.

-Cunha, S.A.; Binotto, M.R.; Barros, R.M.L. Análise da variabilidade na medição de posicionamento tático no futebol. Revista Paulista de Educação Física. São Paulo. Vol. 15. 2001. p.111-116.

-Drummond, L.R.; Drummond, F.R.; Silva, C.D. A vantagem em casa no futebol: comparação entre a Copa Libertadores da América e UEFA Champions League. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo. Vol. 28. Num. 2. 2014. p.283-292.

-Garganta, J. A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Porto. Vol.1. Num. 1. 2001. p.57-64.

-Junior, N.K.M. Evidências científicas sobre o gol do futebol: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 7. Num. 25. 2015. p.297-311.

-Máscara, D.I.; Calicchio, L.; Chimina, J.G.C.; Navarro, A.C. Análise da incidência de gols no campeonato paulista 2009: série A1, A2 e A3. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 2. Num. 4. 2010. p.42-60.

-Monteiro, C.R.; Guerra, I.; Barros, T.L. Hidratação no futebol: uma revisão. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Rio de Janeiro. Vol. 9. Num. 4. 2003.

-Mortimer, L.; Condessa, L.; Rodrigues, V.; Coelho, D.; Soares, D.; Silami-Garcia, E. Comparação entre a intensidade do esforço realizada por jovens futebolistas no primeiro e no segundo tempo do jogo de Futebol. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Porto. Vol. 6. Num. 2. 2006. p.154-159.

-Moraes, J.C.; Cardoso, M.F.S.; Vieira, R.; Oliveira, L. Perfil caracterizador dos gols em equipes de futebol de elevado rendimento. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 4. Num. 12. 2012. p.140-150.

-Ribeiro, A.G.S.V.; Teodoro, L.R.; Silva, A.S.; Baganha, R.J.; Oliveira, J.J.; Lacerda, F.V. Incidências de gols na Copa do Mundo de futebol 2014. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 9. Num. 33. 2017. p.160-164.

-Rissati, J.P.M. Incidência temporal de gols no futebol: análise do Sul-americano sub-20. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 10. Num. 36. 2018.

-Silva, C.D.; Júnior, R.M.C. Análise dos gols ocorridos na 18ª Copa do mundo de futebol na Alemanha 2006. Efdeportes. Revista Digital. Buenos Aires. Outubro. 2006.

-Souza, E.L.N.; Farah, B.Q.; Dias, R.M.R. Tempo de incidência dos gols no Campeonato brasileiro de futebol 2008. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Florianópolis. Vol. 34. Num. 2. 2012. p.421-431.

-Tavares, F.; Oliveira, J. Estratégia e táctica nos jogos desportivos coletivos. Universidade do Porto. 1996. p. 51.

Publicado
2021-07-17
Como Citar
Alves, K. C. R., Batista, M. T. S., & Silva, A. I. da. (2021). Incidência temporal de gols na Copa Libertadores da América entre os anos de 2008 e 2017. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 13(52), 80-87. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1062
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original