Marcadores bioquímicos na síndrome de overtraining em jogadores de futebol masculino

  • Bruna Fabiula Fernandes Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
  • Thamara Cristina Pinheiro Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
  • Maria Cecilia Kohler Panno Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
Palavras-chave: Overtraining, Marcadores, Futebol

Resumo

O overtraining (OT) é o resultado do desequilíbrio entre a demanda do exercício e capacidade de recuperação do organismo, sendo os jogadores de futebol uma população de risco. O fisioterapeuta e a equipe multiprofissional estão envolvidas com o atleta e, assim, devem saber reconhecê-la e traçar o melhor programa de prevenção e reabilitação. Além dos sintomas, outra forma de identificação é através dos marcadores bioquímicos, sendo os principais: creatina fosfoquinase (CK), cortisol, lactato desidrogenase (LDH), ureia e creatinina. O objetivo deste estudo foi analisar e descrever trabalhos retrospectivos que utilizaram marcadores bioquímicos para identificar a síndrome de OT em jogadores de futebol masculino. Método: Pesquisas nos bancos de dados do Scielo, Portal de Periódicos da Capes, PubMed, Lilacs e Portal de Pesquisa BVS com publicação entre 2005 e 2014, livros textos relacionados ao tema através das palavras chaves. Resultado: Foram analisadas 30 referências, dentre as quais 5 estavam de acordo com a metodologia aplicada. Dos marcadores, CK teve aumento em 2 estudos e diminuição em um, sendo atribuído ao repouso. Dois estudos demonstraram aumento de lactato e outros dois de cortisol. Apenas um estudo avaliou ureia, que permaneceu nos valores de referência e outro avaliou aumento de creatinina. Conclusão: A síndrome de OT é comum em jogadores de futebol masculino, porém não há marcadores bioquímicos específicos, até porque não há valores referenciais padronizados que possam ser utilizados. Sugere-se estudo que correlacione os principais marcadores com o OT de jogadores de futebol masculino a fim de encontrar valores referenciais específicos para detecção desta.

 

ABSTRACT 

Biochemical markers of overtraining syndrome in male football players

Overtraining (OT) is the result of the imbalance between the demand of the exercise and resilience of the body, football players are a risk population. The physiotherapist and the multidisciplinary team are involved with the athlete and thus should know to recognize it and draw the best rehabilitation program. In addition to the symptoms, other form of identification is through biochemical markers, the main being creatine phosphokinase (CK), cortisol, lactate dehydrogenase (LDH), urea and creatinine. The objective of this study was to analyze and describe retrospective studies that used biochemical markers to identify the OT syndrome in male football players. Methods: Research in Scielo databases, journals Portal Capes, PubMed, Lilacs and VHL Research Portal with publication between 2005 and 2014, text books related to the subject through keywords. Results: 30 references were analyzed, of which 5 were in accordance with the methodology applied. Markers, CK had an increase of 2 studies and only one declined, being assigned to the home. Two studies showed increased lactate and two of cortisol. Only one study evaluated urea which remained on benchmarks and another increase of creatinine assessed. Conclusion: OT syndrome is common in male soccer players, but there is no specific biochemical markers, because there is no standardized reference values that can be used. It is suggested study that correlates the main markers with the OT male football players to find specific reference values to detect this.

Biografia do Autor

Bruna Fabiula Fernandes, Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
Saúde
Thamara Cristina Pinheiro, Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
Saúde
Maria Cecilia Kohler Panno, Associação Catarinense de Ensino - Faculdade Guilherme Guimbala
Saúde
Publicado
2016-05-14
Como Citar
Fernandes, B. F., Pinheiro, T. C., & Kohler Panno, M. C. (2016). Marcadores bioquímicos na síndrome de overtraining em jogadores de futebol masculino. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 8(30), 242-247. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/419
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original