RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff <p>ISSN 1984-4956 versão online</p> <p>A <strong>Revista Brasileira de Futsal e Futebol (RBFF)</strong> é uma publicação do <strong>Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercí­cio (IBPEFEX)</strong>, é de periodicidade quadrimestral, com publicação de artigos cientí­ficos, fruto de pesquisas e estudos de cientistas, professores, estudantes e profissionais que lidam com o Futsal, o Futebol e a Pedagogia do Esporte no sentido da aprendizagem, da iniciação e do alto rendimento no âmbito, da saúde, do esporte, da educação e da sociedade.</p> <p>&nbsp;</p> <p>The&nbsp;<strong>Brazilian Journal of Futsal and Football (RBFF)</strong>&nbsp;is published by the&nbsp;<strong>Brazilian Institute for Research and Education in Exercise Physiology (IBPEFEX)</strong> every four months with publication of scientific articles, result of research and studies of scientists, professors, students and professionals who deal with Futsal Football and Sport Pedagogy towards learning, initiation and high performance within, the health, the sport, education and society.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Revista Brasileña de Fútbol Sala y Fútbol (RBFF)</strong>&nbsp;es publicada por el&nbsp;<strong>Instituto Brasileño para la Investigación y Educación en Fisiología del Ejercicio (IBPEFEX)</strong>, se publica cada cuatro meses, con la publicación de artí­culos cientí­ficos, el resultado de la investigación y los estudios de cientí­ficos, profesores, estudiantes y los profesionales que se ocupan de Fútbol Sala, Fútbol, Pedagogí­a y Deporte, en el sentido de aprendizaje, la iniciación y de alto rendimiento, en la salud, en el campo de los deportes, la educación y la sociedad.</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="/index.php/rbff/about/submissions#onlineSubmissions"><strong>Clique aqui para submeter seu artigo</strong></a></p> <p>&nbsp;</p> <p>A <strong>RBFF</strong> é indexada nas seguintes <a href="/index.php/rbff/announcement/view/1">bases de dados</a>:</p> <div> <ul> <li class="show"><a href="http://infotrac.galegroup.com/itweb/aoneed" target="_blank" rel="noopener">ACADEMIC ONEFILE</a>, <a href="http://journal-index.org/index.php/asi" target="_blank" rel="noopener">ASI</a>, <a href="http://www.base-search.net/" target="_blank" rel="noopener">BASE</a>, <a href="http://dialnet.unirioja.es" target="_blank" rel="noopener">DIALNET</a>, <a href="http://doaj.org/" target="_blank" rel="noopener">DOAJ</a>, <a href="http://www.drji.org/" target="_blank" rel="noopener">DRJI</a>, <a href="http://ebscohost.com/" target="_blank" rel="noopener">EBSCO</a>, <a href="http://www.who.int/hinari/" target="_blank" rel="noopener">HINARI</a>, <a href="http://infotrac.galegroup.com/itweb/aoneed" target="_blank" rel="noopener">INFORME ACADÊMICO</a>, <a href="http://oaji.net/" target="_blank" rel="noopener">OAIJ</a>,&nbsp;<a href="https://www.redib.org/pt-pt" target="_blank" rel="noopener">REDIB</a>,&nbsp;<a href="http://www.sherpa.ac.uk/romeo/" target="_blank" rel="noopener">SHERPA RoMEO</a>, <a href="http://www.ebscohost.com/academic/sportdiscus-with-full-text" target="_blank" rel="noopener">SPORTDISCUS</a>, <a href="http://www.sumarios.org" target="_blank" rel="noopener">SUMÁRIOS.ORG</a>, <a href="http://apps.webofknowledge.com" target="_blank" rel="noopener">WEB OF SCIENCE</a>,&nbsp;<a href="https://www.worldcat.org/" target="_blank" rel="noopener">WORLDCAT</a></li> </ul> <div>&nbsp;</div> </div> <div>nas <a href="/index.php/rbff/announcement/view/4">bases indexadoras</a>:</div> <div>&nbsp;</div> <div> <ul> <li class="show"><a href="http://www.citefactor.org/" target="_blank" rel="noopener">CITEFACTOR</a>, <a href="http://ezb.uni-regensburg.de/" target="_blank" rel="noopener">CZ3</a>,&nbsp;<a href="http://diadorim.ibict.br" target="_blank" rel="noopener">DIADORIM</a>, <a href="http://www.freemedicaljournals.com/" target="_blank" rel="noopener">FMJ</a>, <a href="http://globalimpactfactor.com/" target="_blank" rel="noopener">GIF&nbsp;(Global Impact Factor)</a>, <a href="http://generalimpactfactor.com/" target="_blank" rel="noopener">GIF (General Impact Factor)</a>,&nbsp;<a href="http://scholar.google.com.br" target="_blank" rel="noopener">GOOGLE SCHOLAR</a>,&nbsp;<a href="http://impactfactorservice.com/" target="_blank" rel="noopener">IIFS</a>,&nbsp;<a href="http://www.journalindex.net/" target="_blank" rel="noopener">JOURNAL INDEX</a>,&nbsp;<a href="http://www.jourinfo.com/index.html" target="_blank" rel="noopener">JOURNAL INFORMATICS</a>, <a href="http://www.journals4free.com/" target="_blank" rel="noopener">J4F</a>, <a href="http://www.journaltocs.ac.uk" target="_blank" rel="noopener">JOURNALTOCS</a>, <a href="http://www.latindex.unam.mx" target="_blank" rel="noopener">LATINDEX</a>, <a href="https://portalnuclear.cnen.gov.br/livre/Inicial.asp" target="_blank" rel="noopener">LIVRE!</a>, <a href="http://miar.ub.edu/" target="_blank" rel="noopener">MIAR</a>, <a href="http://www.periodicos.capes.gov.br" target="_blank" rel="noopener">PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES</a>, <a href="http://seer.ibict.br/" target="_blank" rel="noopener">SEER</a>, <a href="http://sindexs.org/Default.aspx" target="_blank" rel="noopener">SIS</a>, <a href="http://www.sjifactor.inno-space.org/" target="_blank" rel="noopener">SJIF</a>, <a href="http://sjournals.net/" target="_blank" rel="noopener">SJOURNALS INDEX</a>, <a href="http://oasisbr.ibict.br" target="_blank" rel="noopener">OASISBR</a>, UIF, <a href="http://qualis.capes.gov.br/webqualis/" target="_blank" rel="noopener">QUALIS PERIÓDICOS</a></li> </ul> </div> <div> <p>&nbsp;</p> <p>e nas <a href="/index.php/rbff/announcement/view/7">universidades/bibliotecas</a>:&nbsp;</p> <ul> <li class="show"><a href="https://neos.library.ualberta.ca/uhtbin/cgisirsi/x/0/0/57/5?user_id=WUAARCHIVE&amp;searchdata1=ocn895736911" target="_blank" rel="noopener">ALBERTA</a>&nbsp;(Canada),&nbsp;<a href="http://aleph-www.ub.fu-berlin.de/F/BJNPRR5F7A6N8XBPRLPE4M9UIN7LDKVAA4CN54TM5SB5QBD2SB-07562?func=find-e&amp;request=Revista+brasileira+de+obesidade%2C+nutri%C3%A7%C3%A3o+e+emagrecimento&amp;find_scan_code=FIND_WRD&amp;adjacent=N" target="_blank" rel="noopener">BERLIN</a>&nbsp;(Alemanha),&nbsp;<a href="http://ul-newton.lib.cam.ac.uk/vwebv/search?searchCode1=ISSN&amp;searchType=2&amp;argType1=any&amp;searchArg1=1984-4956" target="_blank" rel="noopener">CAMBRIDGE</a>&nbsp;(Inglaterra),&nbsp;<a href="https://opac.ub.tum.de/search?bvnr=BV043314178" target="_blank" rel="noopener">MUNIQUE</a>&nbsp;(Alemanha),&nbsp;<a href="https://searchworks.stanford.edu/?q=895736911" target="_blank" rel="noopener">STANFORD</a>&nbsp;(Estados Unidos), <a href="http://copac.jisc.ac.uk/" target="_blank" rel="noopener">COPAC</a>,&nbsp;<a href="https://ie.on.worldcat.org/oclc/895736911" target="_blank" rel="noopener">IE LIBRARY</a>, <a href="http://www.rebiun.org/" target="_blank" rel="noopener">REBIUN</a>,&nbsp;<a href="http://www.worldcat.org/oclc/895736911" target="_blank" rel="noopener">WORLDCAT</a></li> </ul> </div> <div> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><a href="/index.php/rbff/announcement/view/5"><strong>FATOR DE IMPACTO DA RBFF</strong></a></p> <p><strong><a href="/index.php/rbff/announcement/view/6"><strong>CIRC DA RBFF</strong></a></strong></p> </div> pt-BR <p>Autores que publicam neste periódico concordam com os seguintes termos:</p> <ul> <li class="show">Autores mantém os direitos autorais e concedem ao periódico o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Creative Commons Attribution License BY-NC</a> que permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial neste periódico.</li> <li class="show">Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada neste periódico (ex.: publicar em repositório institucional ou como capí­tulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial neste periódico.</li> <li class="show">Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citaçõo do trabalho publicado (Veja <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</li> </ul> coppinavarro@ibpefex.com.br (Antonio Coppi Navarro) francisco@francisconunesnavarro.com.br (Francisco Nunes Navarro) qui, 24 mar 2022 03:42:34 -0700 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Análise tática observacional do Atlético de Madrid campeão Espanhol de 2021 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1201 <p>Este trabalho teve como objetivo realizar um acompanhamento do Atlético de Madrid durante a temporada 2020/2021. Pautando-se por uma metodologia qualitativa de análise observacional, complementada por dados quantitativos, o estudo buscou evidenciar as escolhas táticas do treinador da equipe Diego Simeone, diante dos desafios que a temporada apresentou à equipe. O estudo acompanhou os jogos da Uefa Champions League, Copa do Rei e La Liga, essa última conquistada pela equipe Colchonera. Foi possível observar importantes mudanças táticas realizadas pela equipe durante a temporada, com destaque para a adoção do sistema com 3 zagueiros. Por fim, advoga-se a necessidade de mais estudos deste tipo, tendo em vista a necessidade de análises aprofundadas sobre as diversas equipes de futebol.</p> Carlos Augusto Magalhães Júnior Copyright (c) 2022 Carlos Augusto Magalhães Júnior https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1201 qui, 24 mar 2022 03:39:03 -0700 A abordagem geográfica do futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1200 <p>O artigo evidencia como o futebol cada vez mais se utiliza de conhecimentos pertinentes à Geografia, bem como de geotecnologias, mas não incorpora conceitos da Geografia e nem emprega geógrafos. Observa-se também que a própria produção científica e a literatura acadêmica geográficas não se empenham no estudo do futebol, realizando, quando muito, análises sobre as dimensões sociais e/ou políticas concernentes ao esporte. Partindo deste diagnóstico, um dos objetivos do artigo é sinalizar o enorme potencial que a ciência geográfica pode ter para o futebol, bem como sugerir e indicar o possível surgimento de um novo campo de estudos para a Geografia. Outro objetivo é reivindicar a possibilidade de geógrafos poderem atuar em comissões técnicas e em outras funções do meio futebolístico. Para atender aos objetivos, o artigo apresenta uma conhecida estratégia de defesa, denominada marcação individual por setores, sob um ponto de vista geográfico, no qual a própria estratégia não passa de uma operação de regionalização para melhor reger o território da grande área. Ao final, após discorrer sobre os conceitos de Região e Território, bem como o uso que estes podem ter no futebol, conclui-se que o futebol perde muito quando se utiliza de ferramentas e métodos que são fundamentalmente geográficos, mas não se aprofunda no estudo da própria geografia. O que se propõe aqui é uma nova maneira de se enxergar e de se pensar o futebol, a partir de uma abordagem geográfica.</p> Tobias Leal Burgos Copyright (c) 2022 Tobias Leal Burgos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1200 qui, 24 mar 2022 03:37:18 -0700 A percepção da dor e a motivação em jogadores de futebol: contribuições da neurociência http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1179 <p>Este artigo trata sobre uma revisão bibliográfica acerca da percepção da dor e como esta afeta a motivação e os estados psicológicos em jogadores de futebol. Para tanto, foi realizada uma pesquisa narrativa de cunho bibliográfico utilizando as bases eletrônicas PubMed, Scielo e Capes. O objetivo geral deste estudo foi identificar a relação existente entre a percepção da dor e a motivação em jogadores de futebol. Com os resultados, percebeu-se que, mesmo com dor, os atletas, em casos de suportá-la, evitam informá-la à comissão técnica por medo de ficarem de fora do elenco (perdendo a titularidade e relevância). Além disso, os atletas são muito afetados na motivação, principalmente no que tange os fatores psicológicos em momentos de lesões, chegando a casos de depressão e estresse quando ficam longos períodos afastados. Conclui-se, então, que os atletas se motivam intrinsecamente em sua maioria. O treinador, bem como suas metodologias, são os principais fatores de motivação extrínseca A percepção subjetiva exacerbada da dor é um dos fatores desmotivacionais, principalmente em casos de lesões, o que ocorre em função do caráter heroico que se cria em torno do atleta e da alta competitiva de cobrança de rendimento. Justamente por isso, deve ser feito um acompanhamento psicológico com estes jogadores tanto de divisões maiores quanto menores, buscando auxiliá-los sempre, não somente em momentos de lesão. Sugere-se ainda que sejam conduzidos mais estudos na área para uma maior compreensão do fenômeno estudado.</p> Victor Matheus Lopes Martinez, Samuel Greggio Copyright (c) 2022 Victor Matheus Lopes Martinez, Samuel Greggio https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1179 qui, 24 mar 2022 03:36:05 -0700 Análise da relação entre habilidade de mudança de direção, velocidade e potência na adolescência http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1206 <p>Sprint, mudança de direção, desempenho de salto desempenha um papel importante no sucesso de esportes de equipe baseados em campo, como o futebol. Este estudo tem como objetivo indicar a relação entre os parâmetros de sprint linear (10m, 30m), mudança de direção (HUFA com e sem bola), salto vertical (CMJ) e potência (potência de pico, média de pico) em jogadores de futebol de 11 a 12 anos. Trinta e seis jogadores de futebol do sexo masculino (idade média 12,55±0,50 anos, estatura média 155,63±9,34 cm, peso corporal médio 46,57±8,15, média de anos de treinamento 3,58±0,96) das categorias U12 e U13 de um time de futebol turco A Super Liga participou deste estudo. A normalidade dos dados foi analisada com o teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade da variância foi analisada com o teste de Levene. A análise estatística dos dados obtidos foi realizada pelo Teste de Correlação de Pearson, pois os dados eram paramétricos. A significância estatística foi aceita como p&lt;0,05. De acordo com os achados, foi encontrada uma correlação significativa altamente negativa entre o sprint linear de 10 me 30 m com a potência de pico e a potência média (p&lt;0,01). Houve uma correlação moderada, significativa negativa entre mudança de direção sem desempenho de bola e potência média (p&lt;0,05). Também foi encontrada correlação moderada, significativa negativa entre a mudança de direção do HUFA com o desempenho da bola e a potência média (p&lt;0,05). Consequentemente, a força das pernas é importante e os treinamentos devem incluir exercícios para melhorar a força das pernas, se a velocidade de sprint, a velocidade máxima e a velocidade de mudança rápida de direção dos jogadores de futebol nessa faixa etária são desejadas.</p> Gürkan Diker, Raif Zileli, Hüseyin Özkamçı, Sadi Ön Copyright (c) 2022 Gürkan Diker, Raif Zileli, Hüseyin Özkamçı, Sadi Ön https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1206 qui, 24 mar 2022 03:32:29 -0700 Conhecimento tático declarativo e o tempo de reconhecimento visual em situações de jogo de jogadores de futebol de diferentes contextos http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1198 <p>Introdução: O futebol está em constante evolução técnico-tática, o que demanda rápidas e assertivas leituras de jogo e tomada de decisão dos atletas. Objetivo: Levantar reflexões sobre o conhecimento tático declarativo e o tempo de reconhecimento visual em situações de jogo de jogadores de futebol em diferentes contextos (categorias, posições e experiências) presentes no Brasil. Materiais e Métodos: Pesquisa qualitativa de cunho descritiva. Participaram do estudo cinco atletas de diferentes categorias, experiências e posições que realizaram uma avaliação online do TacticUP. O tempo de experiência futebolística dos atletas é de 16±3,67 anos. Resultado: O desempenho dos atletas foi qualitativamente similar; O atleta do sub-17 apresentou o menor tempo de resposta, sugerindo que o fator experiência não foi decisivo para o resultado.&nbsp; O nível competitivo não foi identificado como parâmetro para o melhor desempenho, visto que o atleta universitário se sobressaiu em relação ao atleta profissional. As especificidades das posições foram identificadas no desempenho, por exemplo, posições mais ofensivas desempenharam melhor ações ofensivas. Conclusão: Foram identificados indícios de que os atletas em suas diferentes categorias obtiveram diferenças no conhecimento tático declarativo e no tempo de reconhecimento visual em situações de jogo, embora essa diferença não tenha demostrado nível mais alto dos atletas de categorias superiores. Outra consideração é referente ao tempo de experiência que não foi um quesito decisivo. Como analisado também, atletas de diferentes posições, sendo ou não da mesma categoria, apresentaram características específicas das suas posições.</p> João Marcelo Niquini Caríssimo, José Marcelo Alves Cassimiro, Marcella de Castro Campos Velten, Siomara Aparecida da Silva Copyright (c) 2022 João Marcelo Niquini Caríssimo, José Marcelo Alves Cassimiro, Marcella de Castro Campos Velten, Siomara Aparecida da Silva https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1198 qui, 24 mar 2022 03:31:35 -0700 Desempenho físico de atletas de futebol pós-infecção por coronavirus: um estudo de caso http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1197 <p>O novo coronavírus provoca a doença COVID-19 que ataca predominantemente pulmões e coração. Atletas infectado se apresentam normalmente como assintomáticos ou com sintomas leves. No entanto, isso não garante que não haja sequelas da doença, nem que isso não afetará o desempenho deles. O objetivo desse estudo de caso foi avaliar o desempenho físico de atletas de futebol que foram infectados pelo novo coronavírus. Cinco atletas de diferentes posições de jogo tiveram sua composição corporal (peso, altura, % de gordura), capacidade aeróbica (VO<sub>2 </sub>max e distância percorrida), velocidade (tempo de teste e velocidade atingida) e potência de membros inferiores (distância) avaliadas. As avaliações de desempenho foram realizadas em três momentos distintos: 1) antes do diagnóstico de COVID-19; 2) 45 dias após retornarem aos treinamentos (AV2); e 3) 112 dias após o retorno aos treinos (AV3). Os atletas realizaram teste do tipo RT-PCR e, após positivados, foram mantidos em quarentena/isolamento por 15 dias, bem como tiveram seus sintomas monitorados. Todos os parâmetros avaliados apresentaram queda na AV2 em comparação a AV1. Por outro lado, todos os parâmetros apresentaram melhora em AV3 comparado a AV2, e com valores similares ou acima de AV1. Conclui-se que capacidade aeróbica, velocidade e potência são negativamente afetas pela infecção por coronavírus em atletas com sintomas leves. Ademais, a recuperação da performance física foi similar ou superior a nível basal após 112 dias de treinamento pós-infecção e quarentena.</p> Jackson Costa, Vinicius Rodrigues, Heloiana Faro Copyright (c) 2022 Jackson Costa, Vinicius Rodrigues, Heloiana Faro https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1197 qui, 24 mar 2022 03:30:02 -0700 Comparação do tempo de reação em atletas de futsal http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1195 <p>No futsal, devido às rápidas mudanças situacionais, é preciso que os jogadores possuam reações rápidas, sendo capazes de perceberem situações no ambiente de jogo, interpretá-las, programar respostas e iniciá-las em intervalos curtos de tempo. O objetivo do estudo foi comparar o tempo de reação de escolha em atletas do sexo masculino nas categorias Sub-11, Sub-15 e Adulto. Foi utilizado o Sistema de Viena que mensura capacidades cognitivas através de discriminação de cores e sons. Foram aplicados os testes de reação de escolha, onde existem estímulos visuais, auditivos e motores e o teste de reação simples que consiste em estímulos visuais e motores. Observou-se um menor desempenho no tempo de reação de escolha do grupo Sub-11 quando comparado às outras duas categorias. Não foi encontrada diferença significativa entre o grupo Sub-15 e Adulto.&nbsp; Os resultados sugerem uma grande influência do nível de desenvolvimento cognitivo e uma baixa influência do treinamento esportivo não específico ao teste nesta variável.</p> Maria Eduarda Fontes Assis, Franco Noce, Filipe de Andrade Cândido, André Carlos Rocha Diniz, Marcos Antonio Campelo Lopes, Cristina Carvalho de Melo Copyright (c) 2022 Maria Eduarda Fontes Assis, Franco Noce, Filipe de Andrade Cândido, André Carlos Rocha Diniz, Marcos Antonio Campelo Lopes, Cristina Carvalho de Melo https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1195 qui, 24 mar 2022 03:28:22 -0700 Avaliação do pico de velocidade no teste de carminatti (t-car) em jogadores de futebol da segunda divisão, no início, e no fim de uma pré-temporada http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1189 <p>Introdução e objetivo: A pré-temporada é importante para o desenvolvimento das capacidades físicas dos atletas, sobretudo a potência aeróbia. Contudo, nem sempre se avaliam os resultados das intervenções realizadas neste período. Nosso objetivo foi avaliar o efeito da pré-temporada na potência aeróbia, analisada pelo pico de velocidade (PV) obtido em um teste incremental de campo. Materiais e métodos: Doze atletas homens (idade: 21,8 ± 3,3 anos; estatura: 178,5 ± 7,1 cm; massa corporal: 70,1 ± 5,9 kg; Índice de Massa Corporal: 22,0 ± 1,8 kg/m<sup>2</sup>) da categoria profissional (Segunda divisão brasiliense) realizaram um teste progressivo intermitente (Teste de Carminatti) no início e no final da pré-temporada, para mensuração do PV. Os dados descritos em termos de média ± desvio-padrão, o PV inicial e final foi comparado utilizando o Teste t pareado e o tamanho de efeito (TE) - d de Cohen. A menor diferença importante foi utilizada para analisar a melhora individual dos atletas. Resultados: Observou-se um aumento significativo do PV no final da pré-temporada, quando comparada ao início (15,3 ± 1,0 km/h vs 14,7 ± 0,8 km/h; p=0,002; TE: 0,7). Individualmente, 25,0% dos atletas tiveram uma melhora considerada grande (&gt;0,91 km/h), 16,7% tiveram uma melhora moderada (&gt;0,45 km/h), 33,3% tiveram uma pequena melhora (&gt;0,15 km/h) e 25,0% tiveram alterações pequenas demais para serem consideradas importantes (≤0,15 km/h). Conclusão: Ao final da pré-temporada o PV do time aumentou significativamente, contudo, houve muita heterogeneidade nas respostas. Uma parte dos atletas alcançaram melhoras expressivas, enquanto outros tiveram alterações insignificantes.</p> Thiago Marquez Lacombe Santos, Guilherme Eckhardt Molina, Freddy Enrique Ramos Guimarães, Carlos Janssen Gomes da Cruz, Lorival José Carminatti, Edgard Melo Keene von Koenig Soares Copyright (c) 2022 Thiago Marquez Lacombe Santos, Guilherme Eckhardt Molina, Freddy Enrique Ramos Guimarães, Carlos Janssen Gomes da Cruz, Lorival José Carminatti, Edgard Melo Keene von Koenig Soares https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1189 qui, 24 mar 2022 03:26:07 -0700 Análise do scout do campeonato brasileiro de futebol 2013 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1187 <p>O objetivo foi identificar modelos que explicam as relações entre as diferentes variáveis do Scout e comparar as variáveis entre turnos e mandos de campo do Campeonato Brasileiro 2013. Foram analisados 380 jogos. Os modelos de regressão múltipla indicaram que finalizações, finalizações no gol, gols feitos, saldo de gols, passes certos e posse de bola foram significativos como variáveis dependentes; para o 1º turno, total de finalizações, gols feitos, posse de bola, saldo de gols e passes certos; no 2º turno total de finalizações, gols feitos, posse de bola e finalizações no gol. Identificar modelos e suas variáveis independentes pode contribuir para realização de um trabalho técnico-tático que melhor atende a complexidade do jogo.</p> Rafael Soncin, Wilson Pereira Lima, Rhuan Lopes, Reuder Diniz, Alberto Carlos Amadio, Júlio Cerca Serrão, Bruno Mezêncio Copyright (c) 2022 Rafael Soncin, Wilson Pereira Lima, Rhuan Lopes, Reuder Diniz, Alberto Carlos Amadio, Júlio Cerca Serrão, Bruno Mezêncio https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1187 qui, 24 mar 2022 03:25:18 -0700 Lactato sanguíneo e níveis de tolerância a lactato de jogadores de futsal e futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1186 <p>O objetivo deste estudo é determinar os níveis de ácido lático de jogadores de futsal e futebol, tolerância ao ácido lático e teor de ácido lático durante a recuperação após teste de força máxima. A amostra do estudo é composta por 80 estudantes voluntários do sexo masculino (40 jogadores de futebol e 40 jogadores de futsal) de diferentes universidades. A frequência cardíaca máxima foi alcançada durante o teste Yo-Yo para determinar as distâncias de corrida dos participantes. Após o carregamento, os níveis de ácido lático dos participantes foram medidos logo no final do teste e três minutos após o teste. A distância de corrida dos jogadores de futsal foi de 1976 metros, enquanto a dos jogadores de futebol foi de 2046 metros no teste Yo-Yo. Jogadores de futsal e futebol apresentaram concentração média de ácido lático de 16,277 mmol/le 14,512 mmol/l, respectivamente, logo após o teste Yo-Yo. Jogadores de futsal e futebol apresentaram concentração média de ácido lático de 7,875 mmol/le 7,705 mmol/l mmol/l, respectivamente, três minutos após o teste Yo-Yo. Os jogadores de futebol tiveram uma distância de corrida maior do que os jogadores de futsal. Jogadores de futsal atingiram maiores concentrações de ácido lático e mostraram maior tolerância ao ácido lático do que jogadores de futebol durante o teste de força máxima. Os jogadores de futsal se recuperaram e removeram o ácido lático de seus corpos mais rapidamente do que os jogadores de futebol.</p> Yücel Ocak, Sebiha G. Başpınar, Mehmet Yıldız, Mustafa Furkan Ocak Copyright (c) 2022 Yücel Ocak, Sebiha G. Başpınar, Mehmet Yıldız, Mustafa Furkan Ocak https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1186 qui, 24 mar 2022 03:20:42 -0700 A produção científica sobre atletas deficientes visuais de futebol de cinco http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1185 <p>O objetivo desta revisão sistemática é identificar os estudos científicos sobre os atletas deficientes visuais de futebol de cinco. As bases de dados eletrônicas Scielo, Web of Science, Scopus, Pubmed e Google Scholar foram utilizadas para identificar estudos relacionados ao futebol para pessoas com deficiência visual. As publicações se concentraram em 10 periódicos, sendo três estudos publicados em periódicos nacionais e sete estudos estão em periódicos internacionais, além disso, percebe-se que cinco estudos são da área da cineantropometria, enquanto quatro estudos são da área do treinamento desportivo e apenas um estudo é da área da cinesiologia e biomecânica. Conclui-se que, apesar de ser uma modalidade muito praticada existem poucas evidências na literatura acerca do futebol de cinco para deficientes visuais.</p> Wagner Ataíde Leal, Kalinne Fernandes Silva, Ananias Antônio Martins Neto, Carlos Eduardo de Meireles, Gilmário Ricarte Batista, Julio Cesar Gomes Silva Copyright (c) 2022 Wagner Ataíde Leal, Kalinne Fernandes Silva, Ananias Antônio Martins Neto, Carlos Eduardo de Meireles, Gilmário Ricarte Batista, Julio Cesar Gomes Silva https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1185 qui, 24 mar 2022 03:15:20 -0700 Intensidade de trabalho durante dois jogos amistosos de futsal profissional: um estudo de caso http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1184 <p>O objetivo do presente estudo foi verificar a intensidade de dois jogos amistosos de atletas profissionais de futsal, por meio da frequência cardíaca (FC), somente no tempo de permanência em quadra e da percepção subjetiva de esforço (PSE), pós jogo. Fizeram parte do estudo dez atletas profissionais de futsal com 28,4 ± 3,8 anos de idade, massa corporal de 79,3 ± 9,4 kg, estatura de 176,7 ± 0,5 cm, % gordura de 11,6 ± 2 % e distância média percorrida no Yo - Yo Intermittent Recovery Test Level 1 (YYIR1) de 1.388 ± 291 metros. Foram monitoradas duas partidas amistosas, durante o período preparatório, de uma equipe de futsal visando à preparação para Liga Gaúcha 2020. A intensidade média dos jogos foi de 89 ± 3,6 % FC<sub>máx</sub> e PSE de 8,32 ± 1,3. Os atletas permaneceram 92,4 ± 7,6 % do tempo acima dos 80 % FC<sub>máx</sub>. A intensidade do primeiro jogo foi superior a do segundo jogo (92 ± 1,1 x 86 ± 2,2 % FC<sub>máx</sub>, p&lt;0,001) e PSE de 8,6 ± 1 x 8,05 ± 1,05 (p&lt;0,001), sendo que a equipe ficou em desvantagem no placar no primeiro jogo. O futsal é um esporte intermitente que exige dos atletas altas demandas físicas, pois as intensidades das partidas analisadas foram elevadas. A intensidade do jogo parece ser mais elevada quando a equipe está em desvantagem no placar.</p> Fernando Matzenbacher Copyright (c) 2022 Fernando Matzenbacher https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1184 qui, 24 mar 2022 03:12:08 -0700 Importância da gestão de impressão dos árbitros: um estudo qualitativo http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1177 <p>Os árbitros são as principais partes interessadas em qualquer jogo, pois seu papel é manter a justiça e a justiça intactas no jogo, mas apesar de todo o esforço e contribuições, os árbitros geralmente enfrentam críticas. Assim, o objetivo deste estudo é discutir a perspectiva de boas qualidades dos árbitros juntamente com o gerenciamento de impressão para que os árbitros passem melhor sua impressão em público. O estudo adotou uma abordagem qualitativa e questionou 19 árbitros de cinco esportes diferentes (ou seja, futebol, críquete, basquete, vôlei e handebol) e quatro países diferentes (ou seja, Sérvia, Turquia, Paquistão e Itália sobre sua percepção da importância de gerenciamento de impressão e se uma melhor imagem entre o público pode ajudá-los e sua tomada de decisão.O estudo identificou três temas: as qualidades de um bom árbitro, gerenciamento de impressão para árbitros e estratégias que podem ajudar os árbitros a gerenciar melhor sua impressão. Estratégias foram identificadas, incluindo preparação pré-jogo, branding, desculpas públicas, habilidades de comunicação e uma mente clara.</p> Mücahit Fişne, Ali Hasaan Copyright (c) 2022 Mücahit Fişne, Ali Hasaan https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1177 qui, 24 mar 2022 02:59:36 -0700 Perfil antropométrico, funcionalidade e habilidades técnicas dos jovens futebolistas Moçambicanos http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1175 <p>Introdução e objectivo: no futebol actual existe uma preocupação generalizada em caracterizar os aspectos morfológicos, funcionais, técnicos e tácticos dos jovens futebolistas. Porém, existe uma lacuna informacional quando falamos de jovens futebolistas africanos em geral, e com os jovens futebolistas moçambicanos em particular. Esta pesquisa tem o intuito de comparar o crescimento somático, a composição corporal, a maturação biológica, a funcionalidade e as habilidades técnicas de jovens futebolistas moçambicanos. Materiais e Métodos: Participaram 176 futebolistas masculinos (Sub-15= 62 e Sub-17=114). Indicadores somáticos: altura, peso, perímetros e maturação sexual. Capacidades físicas: salto vertical estático, salto com contramovimento, resistência aeróbica, força e resistência abdominal, agilidade e velocidade de 20 metros. Habilidades técnicas: bateria de testes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF, 1986). Resultados: indicadores somáticos são os principais factores que influenciam as diferenças nas duas categorias; apenas a corrida de velocidade de 20m se revelou diferenciadora entre as duas categorias; os futebolistas com a maturação avançada, evidenciaram vantagens significativas nos indicadores somáticos e funcionais; nas habilidades específicas, observaram-se valores similares e não houve influência da maturação. Conclusão: (i) os indicadores somáticos são os principais factores que influenciam as diferenças entre as duas categorias (ii) futebolistas com a maturação avançada evidenciaram vantagens significativas nos indicadores somáticos e funcionais; (iii) não houve diferenças significativas nas habilidades específicas entre as duas categorias.</p> Jeremias Deolinda Venâncio Mahique, Luis Rodrigues de Vera Mouliaá, Júlio Brugnara Mello, Adroaldo Cezar Araújo Gaya , Sílvio Pedro José Saranga Copyright (c) 2022 Jeremias Deolinda Venâncio Mahique, Luis Rodrigues de Vera Mouliaá, Júlio Brugnara Mello, Adroaldo Cezar Araújo Gaya , Sílvio Pedro José Saranga https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1175 qui, 24 mar 2022 02:58:11 -0700 Na evolução das agremiações, “o toma lá, dá cá” do futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1171 <p>Introduzido como esporte e apreciado por setores privilegiados da sociedade, o futebol difundiu-se no primeiro quartel do século XX entre as camadas mais populares do Brasil. A nascente burguesia industrial brasileira teria observado na prática um elemento também capaz de promover suas marcas, além de disciplinar trabalhadores. A partir da década de 1930, o Estado brasileiro, sob o comando de Getúlio Vargas, conteve as mobilizações promovidas pelos trabalhadores ao enquadrar tanto a classe operária quanto a burguesia industrial sob seu controle; para tanto, um dos elementos utilizados foi o futebol que, além de instrumento de desmobilização política, serviu à edificação de certa identidade nacional. O futebol ganhou consistência entre populares e trabalhadores, proporcionado por indivíduos e grupos, não sem interesses.</p> Agnaldo Kupper Copyright (c) 2022 Agnaldo Kupper https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1171 qui, 24 mar 2022 02:57:33 -0700 O quinto jogador na elite do futsal brasileiro: entre a maior chance de finalizar e o perigo do revés http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1170 <p>O futsal é uma modalidade que vem crescendo cada vez mais, tanto em relação ao nível competitivo das equipes e dos jogadores, quanto no número de praticantes e apoio midiático ao redor do mundo. Fato esse que tem impulsionado pesquisadores e profissionais da área a buscarem um maior entendimento do jogo e de suas variáveis, utilizando-se em larga medida da análise de jogo como ferramenta. Mudanças na regra da modalidade trazem variações no funcionamento do jogo e a alteração referente à atuação do goleiro representou modificações relevantes no futsal. Com isso, o objetivo desse estudo foi analisar a utilização do quinto jogador na elite do futsal brasileiro e identificar sua eficácia. Para isso, foram analisados 14 jogos, através de uma análise sistemática objetiva e não participante, da fase eliminatória da Liga Nacional de Futsal de 2019, totalizando 304 ações com o quinto jogador. A utilização do quinto jogador não se mostrou eficaz, proporcionando um balanço desfavorável de gols às equipes. O linha-goleiro foi mais utilizado que o goleiro-linha (64,5% vs. 35,5%; p&lt;0,001). Também foi mais eficaz em relação à posse de bola (16,8%) e número de finalizações (26,6%) com diferença estatística (p=0,005), porém, trouxe mais prejuízos às equipes (2,6% gols sofridos). A estratégia foi empregada com maior frequência quando as equipes estavam perdendo (65,8%; p&lt;0,001), não se classificando no campeonato (79,6%; p&lt;0,001) e no último período da partida (61,8%; p&lt;0,001).</p> Gabriela Parada Oliveira, João Antônio Volpini de Barros, Rafael Pombo Menezes, Márcio Pereira Morato Copyright (c) 2022 Gabriela Parada Oliveira, João Antônio Volpini de Barros, Rafael Pombo Menezes, Márcio Pereira Morato https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1170 qui, 24 mar 2022 02:56:35 -0700 Análise das técnicas de goleiro mais utilizadas durante os jogos de futsal feminino JASC 2019 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1167 <p>O goleiro é o jogador mais importante de uma partida, sem ele um jogo jamais começa, e suas ações podem ser decisivas para o jogo, tanto positivamente quanto negativamente, desta forma, este trabalho teve como objetivo analisar as técnicas de defesa mais utilizadas pelo goleiro durante o jogo em relação aos setores de finalização. Para a realização deste estudo foram analisados 32 jogos de futsal feminino dos Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC) 2019. Para a análise do estudo foi utilizado um scout adaptado de D’Ávila e colaboradores (2002), considerando apenas as finalizações que acertaram em gol onde o goleiro realizou alguma defesa, ou tenha sofrido o gol. As técnicas do goleiro foram dividiram em quatro quedas (altas, médias, baixas e com os pés) e quatro outras defesas (sem queda, saída fechando o ângulo, arrastada e cobertura), totalizando oito ações técnicas defensivas.</p> Emerson Antonio Brancher, Gustavo Eduardo Leite, Jéssyka Fátima dos Santos, Nubia Nara Slomp Copyright (c) 2022 Emerson Antonio Brancher, Gustavo Eduardo Leite, Jéssyka Fátima dos Santos, Nubia Nara Slomp https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1167 qui, 24 mar 2022 02:54:25 -0700 A liga nacional de futsal 2019: relação entre o contexto técnico-tático da origem dos gols marcados e a posição da equipe na tabela de classificação http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1165 <p>O futsal é um esporte coletivo de enfrentamento entre duas equipes, onde o gol é o objetivo principal. Ele pode ter origem de diversas maneiras e identificar o seu contexto técnico-tático pode ser de grande valia para entender diversos aspectos do jogo e para planejar os treinamentos. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi analisar e identificar se há relação entre o contexto técnico-tático da origem dos gols marcados e a classificação final das equipes na primeira fase da Liga Nacional de Futsal 2019. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo e correlacional. A amostra foi composta por 785 gols feitos na fase classificatória da competição. A coleta de dados foi feita por meio de observação dos vídeos das partidas, disponibilizados livremente no YouTube, nas páginas oficiais das equipes no Facebook e no site oficial da competição. Para analisar os dados utilizou-se uma correlação de postos de Spearman, com grau de significância de p&lt;0,05, realizada por meio do Software Estatístico PAST 4.02. Constatou-se que os gols marcados por meio de contra-ataque, bola parada, defesa de goleiro linha e lateral tiveram correlação com a classificação, ou seja, as equipes que fizeram mais gols originados nestes contextos ficaram melhores colocadas. Conclui-se que estes contextos técnico-táticos devam receber atenção especial nos treinamentos das equipes visando uma melhor classificação nas competições.</p> Diego Camargo Hobus, Rodrigo Rother Copyright (c) 2022 Diego Camargo Hobus, Rodrigo Rother https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1165 qui, 24 mar 2022 02:53:51 -0700 Fatores motivacionais para a prática de futsal e futebol por crianças e adolescentes: uma revisão sistemática http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1191 <p>Compreender os fatores que motivam crianças e adolescentes à prática de esportes auxilia na elaboração de treinos para melhorar a adesão e o processo de ensino e aprendizagem. Este estudo trata-se de uma revisão sistemática cujo objetivo foi levantar os principais fatores motivacionais para a prática de futsal e futebol por crianças e adolescentes. As buscas foram realizadas nas bases SciELO, BVS, Scopus e DOAJ, além da Revista Brasileira de Futsal e Futebol e Revista Brasileira de Futebol. Foram incluídos artigos em língua portuguesa que verificaram a motivação de crianças e/ou adolescentes para a prática de futebol ou futsal. Foram extraídos dos artigos dados referentes a identificação do artigo, caracterização dos participantes, contexto de inserção na modalidade, caracterização da exposição à modalidade, instrumento utilizado para mensurar a motivação e resultados. Um total de 149 artigos foram encontrados na busca e 14 deles foram incluídos na revisão. 14 estudos forneceram dados de 897 crianças e adolescentes envolvidos na prática de futsal e futebol na educação física escolar, escolinhas, projetos sociais e equipes e clubes esportivos. A idade dos participantes variou entre 7 e 18 anos. As crianças e adolescentes praticantes de futebol e futsal motivam-se para a prática destas modalidades predominantemente pelo fator saúde. Os adolescentes praticantes de futebol apresentaram níveis de motivação intrínseca maior do que a extrínseca. Na educação física escolar a competência desportiva foi o fator motivacional de menor importância. Em escolinhas e projetos os fatores competência desportiva e a aptidão física também se destacaram como importantes.</p> Eduardo Coelho, Jean Marlon Machado, Elinai dos Santos Freitas Schutz Copyright (c) 2022 Eduardo Coelho, Jean Marlon Machado, Elinai dos Santos Freitas Schutz https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1191 qui, 24 mar 2022 02:39:42 -0700 Motivação de crianças para a participação em uma escolinha de futsal http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1188 <p>Introdução: A motivação é um fator importante para o ingresso de crianças em escolinhas esportivas e pode variar de acordo com idade e modalidade. Objetivo: Investigar a motivação de crianças para participação em uma escolinha de iniciação esportiva de futsal do sul do Rio Grande do Sul. Materiais e métodos: De natureza qualitativa e abordagem descritiva, o estudo teve a participação de 25 crianças de oito e nove anos. Para a coleta das informações foram utilizados os instrumentos diários de campo e entrevista. Primeiramente, o estudo contou com uma aproximação em que o entrevistador esteve presente, durante o período de um mês nos treinos esportivos, com a intenção de facilitar a interação e familiarização e na sequência, ocorreu a fase de entrevistas em grupo, seguindo um&nbsp;roteiro investigativo preestabelecido. As informações coletadas foram transcritas e realizada a análise de conteúdo para examinar e interpretar as informações. Resultados: Dentre os principais resultados identificou-se que o ingresso foi na maioria dos casos motivados pela própria criança, seguido por interesse dos pais ou responsáveis e por incentivo dos amigos. Entre os motivos que os mantiveram treinando destaca-se o sonho de tornarem-se jogador(a) de futebol, as características e estruturas dos treinos, bem como a importância do apoio social dos amigos e familiares. Conclusão: Compreender tais fatores é relevante para fomentar na prática profissional ações que façam sentido às expectativas e contextos das crianças envolvidas, favorecendo também para a manutenção de seus vínculos com as escolinhas e com a prática esportiva.</p> Maurício Augusto Zagula, Patrícia da Rosa Louzada Silva, Vivian Hernandez Botelho, Eraldo dos Santos Pinheiro, Inácio Crochemore Mohnsam da Silva Copyright (c) 2022 Maurício Augusto Zagula, Patrícia da Rosa Louzada Silva, Vivian Hernandez Botelho, Eraldo dos Santos Pinheiro, Inácio Crochemore Mohnsam da Silva https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1188 qui, 24 mar 2022 02:37:58 -0700 O futsal como meio de promoção da saúde em um projeto social http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1183 <p>As modalidades coletivas acompanham esta tendência de aliar a prática esportiva à promoção da saúde e ao ensino na saúde. Trata-se de uma pesquisa participante, com abordagem qualitativa, que tem como objetivo: Analisar uma ação de promoção da saúde, baseada no ensino e prática da modalidade esportiva futsal, como ferramenta para proporcionar conhecimentos e práticas saudáveis em adolescentes de um núcleo social. A pesquisa foi realizada com 23 alunos do núcleo social do Projeto Manoel Tobias Futsal Sesc, localizado no bairro do Sapiranga/Coité, na cidade de Fortaleza, no estado do Ceará. A coleta dos dados foi executada nos meses de agosto a novembro de 2020. A partir da definição dos cinco temas, eles foram desenvolvidos com os adolescentes que participaram da pesquisa, através da execução dos cinco planos de aula, que culminavam com a roda de conversa no seu encerramento. Como resultado, foi identificado que os alunos participaram de maneira satisfatória, apesar de no início se demonstrarem inibidos, com poucas falas. Com a evolução das aulas, a parte lúdica acabou prevalecendo e os alunos apresentaram uma participação mais efetiva, principalmente durante as rodas de conversa, momento no qual puderam expressar as suas opiniões sobre a relação entre atividade física e saúde. Conclui-se que o ensino na saúde pode e deve ser aproveitado pela modalidade esportiva futsal, promovendo a saúde e proporcionando um estilo de vida mais saudável.</p> Namir da Guia, Antonio Coppi Navarro, Heraldo Simões Ferreira, Cleide Carneiro, Lidia Andrade Lourinho Copyright (c) 2022 Namir da Guia, Antonio Coppi Navarro, Heraldo Simões Ferreira, Cleide Carneiro, Lidia Andrade Lourinho https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1183 qui, 24 mar 2022 02:36:12 -0700 A mulher no mundo do futebol: participação nas aulas de educação física http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1118 <p>Introdução: A luta da mulher pelos seus objetivos, e contra o preconceito, vem de longas datas, inclusive no esporte. No futebol, devido a questões culturais, sempre existiu forte discriminação contra a participação feminina. No âmbito escolar, verifica-se que muitas meninas demonstram interesse na modalidade, apesar das barreiras que ainda enfrentam. Objetivo: o objetivo do presente estudo é identificar a participação da mulher nas aulas de Educação Física. Materiais e métodos: O estudo se caracteriza como uma pesquisa de abordagem quali-quantitativa, com caráter explicativo. A amostra foi constituída por 48 alunas, com faixa etária entre 11 e 17 anos, matriculadas regularmente no Ensino fundamental II de uma escola localizada numa cidade do interior da Bahia. Para a coleta de dados, foi elaborado um questionário composto por sete perguntas objetivas. Resultados: 79% das entrevistadas relataram ter sido introduzidas ao futebol em ambiente escolar, 4% em clubes e 17% na rua. Quanto às barreiras, 75% relataram ter sofrido discriminação, e todas relataram oposição dos colegas, 67% relataram ter participado dos jogos internos na modalidade, e todas relataram haver treinamento feminino na escola. Discussão: Os achados estão em consonância com os dados evidenciados na literatura, e explicita as grandes barreiras enfrentadas pelo futebol feminino, apesar da crescente popularidade do futebol em meio as mulheres.&nbsp; Conclusão:&nbsp; Ainda existem fatores que contribuem negativamente para visibilidade do futebol feminino, como a rejeição e o preconceito. Sugere-se que novos debates sejam fomentados com a finalidade de remover tais barreiras.</p> Adelmax Pedral Cruz, Valeria Silva da Conceição, Frederico Barros Costa, Cássio Murilo Andrade Lima Junior, Jymmys Lopes dos Santos, Fábio Antonio da Silva, Lucio Marques Vieira-Souza Copyright (c) 2022 Adelmax Pedral Cruz, Valeria Silva da Conceição, Frederico Barros Costa, Cássio Murilo Andrade Lima Junior, Jymmys Lopes dos Santos, Fábio Antonio da Silva, Lucio Marques Vieira-Souza https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1118 qui, 24 mar 2022 02:33:39 -0700 Treinamento de goleiros no futebol: Uma descrição metodológica no alto rendimento http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1074 <p>O treinamento de goleiros passa por um momento de evolução entre as antigas tendências e as novas, que estão respaldadas na pedagogia do esporte, logo como analisado neste estudo, ambas estarão presentes, ainda que de forma desigual. O presente estudo teve como objetivo realizar uma descrição metodológica no alto rendimento, a fim de analisar semelhanças e diferenças entre metodologias empregadas no treinamento específico do goleiro no alto rendimento, elucidar esse impacto das metodologias de treinamento a que os goleiros estiveram submersos e verificar que competências técnico-táticas são trabalhadas nos treinamentos específicos. Desse modo, partindo dos resultados obtidos na qual, 81% das ações caracterizaram aspectos técnicos e 19% aspectos táticos, 90% exercícios previsíveis e 10% exercícios imprevisíveis, 68% metodologia analítica e 32% metodologia global. Podemos ter uma conclusão em que, o treino analítico ainda é o mais presente e executado nos treinos.&nbsp; Baseando-se nas características dos exercícios analisados é possível notar uma desconstrução do movimento em relação ao jogo, pois havia atividades na qual as repetições ocorriam de forma fragmentada, com o objetivo de buscar aperfeiçoamento e padrão técnico. Contudo, a metodologia global também esteve presente, mesmo que de forma tímida voltados para a questões táticas, os goleiros estiveram inseridos de forma integrada com o restante do grupo, permitindo que se desenvolvessem dentro de jogos reduzidos com regras adaptadas, sendo assim, o ensino global cujas características presentes no futebol (técnico, tático, físico e emocional) estiveram explicitas nos treinos.</p> Rodrigo Baldi Gonçalves, Luis Felipe Nogueira Silva, Alcides José Scaglia Copyright (c) 2022 Rodrigo Baldi Gonçalves, Luis Felipe Nogueira Silva, Alcides José Scaglia https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1074 qui, 24 mar 2022 02:28:05 -0700 Feedback extrínseco e sua expressão no futebol de base http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/961 <p>Introdução e Objetivos: O feedback é considerado uma das mais importantes ferramentas no processo de gestão de ensino de técnica e de tática na área dos esportes coletivos. Apresenta-se como objetivo geral deste trabalho, analisar as formas de expressão do feedback extrínseco entre treinadores que atuam no futebol de base.&nbsp; Materiais e Métodos: O estudo realizado é do tipo qualitativo, de corte transversal e se caracteriza por uma pesquisa descritiva exploratória, sendo a investigação realizada com seis treinadores, que atuam nas categorias de base de dois grandes clubes federados da cidade de Porto Alegre-Rio Grande do Sul. através de uma entrevista semiestruturada, abordando cinco questões abertas. Discussão: Após análise das entrevistas, verificou-se que os treinadores valorizam o feedback extrínseco no processo de ensino-aprendizagem-treinamento. Sendo que os profissionais entrevistados, a utilização dessa ferramenta deve ocorrer com uma dosagem correta, de forma clara e adequada à faixa etária. Em quase sua totalidade, os entrevistados afirmam que a transmissão de informações assume maior importância em categorias mais novas e/ou em estágios iniciais de treinamento. Analisando a diferença de aplicação, levando em consideração qualidades técnicas e táticas, encontramos divergências de concepções, pois alguns treinadores afirmam utilizar o feedback para todo o grupo de atletas, no entanto outros admitem fazer o uso em maior escala aos atletas titulares. Resultados e Conclusão: O estudo parece revelar que cada treinador tem sua linha de trabalho, não seguindo necessariamente uma proposta de instrução, relativamente ao feedback extrínseco, advinda do clube em que atuam profissionalmente.</p> Rodrigo Carlet, Marcos Xavier de Andrade, Manoel Eduardo do Prado Shamah, José Cícero Moraes, Rogério da Cunha Voser Copyright (c) 2022 Rodrigo Carlet, Marcos Xavier de Andrade, Manoel Eduardo do Prado Shamah, José Cícero Moraes, Rogério da Cunha Voser https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/961 qui, 24 mar 2022 02:23:37 -0700 Na vitória do sistema, a espetacularização do futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1153 <p>Em tempos de globalização capitalista, os donos do campo detém o espetáculo. Os donos do jogo da bola fazem o espetáculo. Ou seja, a universalização do futebol em dias contemporâneos tende a fazer do futebol uma prática-espetáculo, descaracterizando as paixões regionalizadas. Mesmo a modernização dos estádios está restringindo a participação popular. Desta forma, o esporte-espetáculo deve ser entendido como um fenômeno de mercantilização, quer seja, uma forma de praticar atividades esportivas como o futebol relacionadas ao consumo. As barreiras geográficas rompem-se. Nas equipes mais bem estruturadas, em especial europeias, brasileiros, argentinos, nigerianos, italianos, espanhóis, entre tantos outros, estruturam equipes universais, buscando o reconhecimento dos consumidores com os produtos lançados. A televisão possui papel preponderante nesse processo, atrelada à FIFA.&nbsp;</p> Agnaldo kupper Copyright (c) 2022 Agnaldo kupper https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1153 qui, 24 mar 2022 02:16:56 -0700 Futebol, promoção da saúde e projetos sociais http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1163 <p>Introdução e objetivo: A pedagogia do futebol no Brasil, por ser frequentemente influenciada por métodos de treinamento de atletas de alto rendimento, assim como pela cultura do dom inato, caracteriza-se como excludente, reducionista e simplista, por contemplar aqueles poucos que atingirão o profissionalismo, com consequências negativas para a saúde, como exclusão, especialização precoce, busca ao resultado/vitória a qualquer custo, doping. Assim, este estudo bibliográfico tem como objetivo compreender a relação da pedagogia do futebol com a promoção da saúde, principalmente em ambientes educacionais como projetos sociais do terceiro setor. Discussão e conclusão: É necessário o entendimento do conceito ampliado de saúde, como resultado de seus determinantes sociais, e de promoção da saúde, conceituada como promoção de espaços saudáveis, empoderamento da população e desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e atitudes. Por conseguinte, os objetivos do ensino do futebol devem confluir para este conceito, dentro de uma pedagogia inovadora, interessada na formação plena dos alunos. Para tal, se apoia na educação para a saúde, tendo jogos e a reflexão como métodos didáticos.</p> Douglas Verônico Alves da Silva, Rogério Cruz de Oliveira Copyright (c) 2022 Douglas Verônico Alves da Silva, Rogério Cruz de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1163 qui, 24 mar 2022 02:15:51 -0700 Hidratação e estratégias de reposição hídrica em atletas de futebol e futsal http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1154 <p>Introdução: O futebol e o futsal são esportes que promovem perda hídrica nos atletas, que pode impactar diretamente no rendimento. Neste contexto, a hidratação durante uma partida ou treinamento de futebol e futsal e as consequências decorrentes da desidratação, bem como a sua prevenção constituem o foco da presente revisão de literatura. Materiais e Métodos: Para a realização deste estudo foram utilizados 48 artigos sobre diferentes protocolos e/ou estratégias de reposição hídrica nas modalidades esportivas de futebol e futsal, e estudos referente recomendações de hidratação na prática de exercícios físicos, todos publicados entre os anos de 2009 e 2020. Eles foram consultados nas bases de dados “Scielo”, “Google Acadêmico” e “PubMed”. Resultados: É essencial que a reposição hídrica aconteça anteriormente ao início da desidratação e a sede. Ademais, ao adotar um plano de hidratação, é importante levar em consideração a escolha do líquido a ser ingerido e quantidade, respeitando fatores individuais e fisiológicos, sendo que existem recomendações específicas que podem nortear este plano de hidratação. Verificou-se ainda, que muitos atletas desconhecem e/ou negligenciam a importância da hidratação, e iniciam os treinamentos desidratados, portanto, é fundamental que haja maior orientação acerca deste tema para os praticantes destas modalidades. Considerações Finais: Estratégias de hidratação antes, durante, e após, tanto no futebol quanto no futsal são de suma importância para obter bom desempenho, rendimento, e saúde do atleta.</p> Jéssica Pereira , Lais Stefany Albieri de Oliveira , Daniela Miotto Bernardi Copyright (c) 2022 Jéssica Pereira , Lais Stefany Albieri de Oliveira , Daniela Miotto Bernardi https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1154 qui, 24 mar 2022 02:15:05 -0700 Avaliações acessíveis: Testes indiretos de aptidão aeróbia em atletas de futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1066 <p>O presente estudo tem como objetivo apresentar uma revisão de literatura sobre as avaliações acessíveis, testes indiretos de aptidão aeróbia em atletas de futebol.&nbsp; Observando o cenário onde uma grande parte dos clubes não possuem infraestrutura para realizar testes diretos padrão ouro (ergoespirométria) a busca por métodos indiretos de baixo custo estão cada vez mais sendo explorados. Para avaliação da aptidão aeróbia, dentro da literatura possuem uma vasta quantidade de protocolos para mensuração dessa variável. Partindo disso a revisão apresentou a comparação dos resultados de diversos métodos indiretos e direto, com o objetivo de apresentar o método mais indicado e fidedigno para mensuração dessa variável de maneira indireta.</p> Matheus Luis da Silva, Ricardo Cesar Alves Ferreira Copyright (c) 2022 Matheus Luis da Silva, Ricardo Cesar Alves Ferreira https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1066 qui, 24 mar 2022 02:11:12 -0700 A importância da posse de bola no futebol: Uma análise dos times portugueses fc porto e sl benfica http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1162 <p>Esse trabalho tem como objetivo de analisar a importância da posse de bola no futebol, bem como verificar se ela é determinante para o sucesso de uma equipe de futebol, para a análise foi escolhido o campeonato português de futebol, a escolha se dá por conta da boa formação de treinadores Portugueses, e o estudo do jogo da Universidade do Porto e os teóricos Vitor Frade e Júlio Garganta. A pesquisa foi feita através dos dados do site oficial do Campeonato Português chamado de (Primeira liga Nós) que tem como sua federação responsável a federação Portuguesa de futebol, foram pesquisados 68 jogos no total do campeonato (Primeira liga Nós), 34 jogos da equipe do Porto e 34 jogos da equipe do Benfica, e esses jogos pesquisados dessas duas equipes foram analisados a posse de bola delas se tem alguma influência nos resultados dos seus jogos. O Porto fez 34 jogos no campeonato português desses 34, o Porto 29 jogos ele ficou com mais posse de bola do que o adversário na partida, desses 29 jogos foram 21 vitorias, 4 empates, e 4 derrotas, e somente 5 jogos o Porto ficou com menos posse de bola na partida do que o seu adversário e nesses 5 jogos o Porto venceu todos eles. O Benfica fez 34 jogos no campeonato Português desses 34, o Benfica 30 jogos ele ficou com mais posse de bola do que o adversário na partida, desses 30 jogos foram: 21 vitorias, 4 empates, 5 derrotas, e somente 4 jogos o Benfica ficou com menos posse de bola na partida do que o seu adversário e nesses 4 jogos o Benfica venceu 3 jogos e empatou 1 jogo. concluímos que sim ela foi fundamental para as duas equipes durante o campeonato, porque quase sempre as duas equipes conseguiam vencer os seus jogos, e o modelo de jogo das equipes do Porto e do Benfica são parecidos, no momento ofensivo são equipes que ficam com a posse de bola.</p> José Renato Bolsonaro, Mauricio Noveli Rabelo Copyright (c) 2022 José Renato Bolsonaro, Mauricio Noveli Rabelo https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1162 qui, 24 mar 2022 02:05:51 -0700 Análise dos estudos acerca de scout no futsal: uma revisão integrativa http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1161 <p>O objetivo desta revisão integrativa foi analisar os artigos científicos publicados no idioma português sobre scout técnico e tático no futsal. As bases de dados utilizadas foram: Scopus, SportDiscuss, Scielo, Google Acadêmico e Periódicos Capes. Os descritores utilizados foram: “Futsal” AND “Scout”. A análise dos artigos ocorreu por meio dos seguintes indicadores: ano de publicação; periódico de publicação; autores; instituição dos autores; localidade da instituição dos autores; área de conhecimento abordada pelo artigo; instrumento de coleta de dados do artigo; e subtema abordado pelo artigo. Ao todo, foram analisados 26 artigos. A partir de 2013 o número de publicações se manteve estável até 2019, com pico no número de artigos no ano de 2018 (n=4); as instituições com o maior número de autores nas pesquisas analisadas destacam-se a UFMA (n=19), a Universidade Regional de Blumenau (n=14) e a UGF (n=5); os instrumentos de Scout mais reportados pelos artigos foram a análise de vídeo junto com uma planilha de Excel (n=11); os estudos que utilizaram o Scout evidenciaram que a maior parte dos gols ocorreram em locais mais próximos do gol, preferencialmente em regiões centrais; identificou-se que as finalizações, desarme, visão periférica e passe influenciaram o resultado da partida; notou-se que há uma maior proficiência técnico/tática de atletas de categorias de base com idade mais avançada. Conclui-se que há um avanço e interesse na utilização do Scout em análises de jogos de futsal, pois tal instrumento auxilia aos profissionais tomarem decisões mais adequadas com a realidade.</p> Thaís Cristine Jensen, Larissa Levandoski Ligeski, Mylena Aparecida Rodrigues Alves, Bruno Pedroso, Leandro Martinez Vargas, Natasha Santos Lise, Guilherme Moreira Caetano Pinto Copyright (c) 2022 Thaís Cristine Jensen, Larissa Levandoski Ligeski, Mylena Aparecida Rodrigues Alves, Bruno Pedroso, Leandro Martinez Vargas, Natasha Santos Lise, Guilherme Moreira Caetano Pinto https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1161 qui, 24 mar 2022 02:05:07 -0700 Perfil de força máxima de jovens atletas de futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1160 <p>A força máxima tem uma importante contribuição no desempenho de atletas de futebol, pois auxilia no incremento da velocidade linear e com troca de direção, na potência muscular, além de minimizar o risco de lesões musculoesqueléticas. Esse estudo tem como objetivo descrever o perfil de força máxima de (jovens) atletas de futebol. Com uma amostra composta por 39 jogadores de futebol masculino com idade entre 18 e 22 anos (massa corporal em kg 72,28 ±8,54; estatura em cm 176,46 ±7,57, foram medidos os valores de 1RM nos exercícios supino reto, agachamento e levantamento terra, e apresentados categorizados pelas posições em campo. Também foi calculado o coeficiente de força relativa (1RM/massa corporal) dos atletas. Os goleiros se mostraram os atletas mais altos e mais pesados (186,9 ±5,59 cm; 82,14 ±5,79 Kg), e com maiores valores de 1RM no levantamento terra (135,68 ±19,41 Kg), porém nos exercícios supino reto e agachamento, foram os zagueiros que se mostraram os mais fortes (73,24 ±10,7 Kg e 111,48 ±9,97 Kg, respectivamente). Quando verificados os coeficientes de força relativa os achados vão de encontro a outros encontrados na literatura, parecendo haver uma relação proeminente entre a massa corporal e a força máxima.</p> William Tomaz Coelho, Rousseau Veiga, Marcos Paulo de Oliveira da Silva, Gustavo Dias Ferreira, Eraldo dos Santos Pinheiro Copyright (c) 2022 William Tomaz Coelho, Rousseau Veiga, Marcos Paulo de Oliveira da Silva, Gustavo Dias Ferreira, Eraldo dos Santos Pinheiro https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1160 qui, 24 mar 2022 02:04:10 -0700 Correlação da potência máxima medida pelos testes running-based anaerobic sprint test e salto vertical contramovimento em atletas de futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1159 <p>Objetivo: Correlacionar as potências máximas (PMáx) obtidas pelos testes Running-Based Anaerobic Sprint Test (RAST) e Salto Vertical Contramovimento (CMJ) em atletas adultos do futebol. Materiais e Métodos: Quarenta e sete atletas profissionais de futebol (25.5 ± 4.4 anos, 79.4 ± 7.8 kg e 180.0 ± 6.0 cm) participaram deste estudo. O RAST consistiu em seis corridas com a máxima velocidade e com intervalo de 10 segundos entre elas, sendo que o tempo foi obtido por meio de fotocélulas. O CMJ foi realizado sobre um tapete de contato. Os testes foram aplicados em dois momentos distintos, com intervalo de 48 h entre eles, consequentemente a aquecimento físico de cinco minutos. Foi aplicado o teste de correlação de Pearson para avaliar a associação entre as PMáx obtidas pelos dois testes físicos com índice de significância para p&lt;0.05. Resultados: As PMáx obtidas pelos testes RAST e CMJ foram 715.2 ± 99.7 W e 3 786.3 W, respectivamente. A correlação entre as potências derivadas dos dois testes foi considerada muito forte (r=0.70, p&lt;0.0001). Conclusões: O teste de CMJ pode ser um teste alternativo para mensurar a PMáx produzida pelo teste RAST em atletas adultos do futebol.</p> Gianfranco Sganzerla, Fabricio Cesar de Paula Ravagnani, Sander Fric Zanatto, Daniel Traina Gama, Adriano Percival Calderado Calvo, Christianne de Faria Coelho Ravagnani Copyright (c) 2022 Gianfranco Sganzerla, Fabricio Cesar de Paula Ravagnani, Sander Fric Zanatto, Daniel Traina Gama, Adriano Percival Calderado Calvo, Christianne de Faria Coelho Ravagnani https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1159 qui, 24 mar 2022 02:01:38 -0700 O impacto da pandemia covid-19 no futsal gaúcho http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1158 <p>O Futsal tem aumentado seu número de adeptos e sua expansão como modalidade pelo mundo, no entanto, o ano de 2020, foi acometido pala Pandemia da COVID-19, que apresentou modificações no contexto mundial, fazendo com que muitas empresas e colaboradores do futsal, fechassem suas portas. Este impacto, gerou uma alteração no ritmo de crescimento da modalidade. O presente estudo teve por objetivo investigar o impacto da COVID-19 no Futsal Gaúcho, foram investigados os registros nas temporadas de 2016 a 2020 na Liga Gaúcha e Federação Gaúcha de Futsal. O estudo foi aprovado pelo CEP sob o registro nº4.370.002. A modalidade apresentou um crescimento constante, tanto no número de equipes como de participantes, no entanto, a temporada de 2020 foi marcada por uma redução substancial de 65% no número de equipes e 70% na participação de atletas, tanto no naipe masculino como feminino, tendo os maiores indicadores de redução nas categorias: série Bronze, Sub 17, 15, 13, 11 e 09, demonstrando que as restrições impostas pelos decretos atingiram consideravelmente a modalidade.</p> Ben Hur Soares, Adriano Pasqualotti, Carlos Leonardo Simionato da Rocha , Adriano Alberti , Sergio Adriano Gomes Copyright (c) 2022 Ben Hur Soares, Adriano Pasqualotti, Carlos Leonardo Simionato da Rocha , Adriano Alberti , Sergio Adriano Gomes https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1158 qui, 24 mar 2022 01:58:50 -0700 Indicadores antropométricos e maturacionais, sua associação à aptidão física e às habilidades técnicas em jovens futebolistas moçambicanos http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1156 <p>Introdução: No processo de preparação esportiva dos jovens futebolistas, há uma multiplicidade de fatores determinantes do sucesso ao mais alto nível competitivo o que torna complexa a análise do seu desempenho. Objetivo: Verificar a associação entre os indicadores do crescimento somático, composição corporal e maturação biológica com a funcionalidade e habilidades específicas dos jovens futebolistas moçambicanos. Materiais e Métodos: Participaram 62 futebolistas do sexo masculino com idades mínima 12 e máxima 15 anos. Indicadores somáticos: estatura, massa corporal, perímetros protocolo Lohman e Maturação sexual Tanner. Funcionalidade: Salto sem contramovimento e salto com contramovimento protocolo de Bosco, Yo-Yo&nbsp; test nível 1 (YY-IE1) protocolo Krustrup; força e resistência abdominal, velocidade de deslocamento 20 metros, agilidade protocolo PROESP. Habilidades especificas protocolo de Kiekendall e FPF. Análise estatística utilizada foi a estatística descritiva i.e média e desvio padrão, a aderência à normalidade foi pelo teste Komolgorov-Smirnov. A análise de regressão múltipla foi usada para estudar a associação entre as variáveis. Resultados: As variáveis Estatura, Massa Corporal, maturação biológica e idade de Inicio da Pratica foram as que se revelaram preditoras. Conclusão: Das associações observadas nos diferentes indicadores estudados, destacam-se as variáveis do crescimento onde, a maturação biológica, foi o principal preditor do desempenho da aptidão funcional, seguido ademais pela influência da estatura, da massa corporal e dos perímetros. Nos indicadores das habilidades específicas, a precisão do chute foi o único preditor das características sócio desportiva em futebol.</p> Jeremias Deolinda Venâncio Mahique, Júlio Brugnara Mello, Luis Rodríguez de Vera Mouliaá, Ytalo Mota Soares, Adrolado Cezar Araújo Gaya, Sílvio Pedro José Saranga Copyright (c) 2022 Jeremias Deolinda Venâncio Mahique, Júlio Brugnara Mello, Luis Rodríguez de Vera Mouliaá, Ytalo Mota Soares, Adrolado Cezar Araújo Gaya, Sílvio Pedro José Saranga https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1156 qui, 24 mar 2022 01:57:44 -0700 Projetando um modelo de identidade de marca na indústria do futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1152 <p>Hoje, o futebol é um dos esportes mais populares do mundo. Sua atratividade particular está firmemente ligada aos conceitos de marca; portanto, este estudo teve como objetivo projetar um modelo de identidade de marca na indústria do futebol. Esta pesquisa aplicada em termos de finalidade e descritiva-survey em termos de natureza. A população estatística do estudo incluiu todos os espectadores, elites, atletas da Premier League iraniana de futebol, 384 dos quais foram selecionados como uma amostra estatística de forma acessível e direcionada. Para a análise dos dados, foram utilizados testes estatísticos descritivos e inferenciais e análise de ajuste de modelos de modelagem de equações estruturais com o software PLS. De acordo com os resultados, todas as dimensões da identidade da marca têm uma relação significativa ao nível de p≤0,05 com a identidade da marca da Premier Football League. A extensão não-produto teve o maior papel ao explicar 93% das mudanças na identidade da marca e, a partir dessa dimensão, a equivalência empírica explicou 91% das mudanças nas variáveis ​​da identidade da marca. Em seguida, a variável relacionada ao produto explicou 86% das mudanças na variável de identidade da marca. Por fim, a identidade visual explicou 85% das mudanças na variável identidade da marca. De acordo com os resultados da pesquisa, sugere-se que os clubes de futebol estão entre os fatores de sua identidade de marca, incluindo; Use a responsabilidade social, a gestão do relacionamento com o cliente, o uso de gerentes especializados em futebol, marketing e economia do esporte.</p> Siavash Khodaparast, Bisotoon Azizi, Vahid Bakhshalipour Copyright (c) 2022 Siavash Khodaparast, Bisotoon Azizi, Vahid Bakhshalipour https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1152 qui, 24 mar 2022 01:55:29 -0700 Comparação do nível ofensivo e defensivo entre goleiras de um campeonato estadual de futsal feminino adulto http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1143 <p>O nível ofensivo e defensivo de goleiros dentro do futsal cresceu exponencialmente, mediante as modificações sofridas nas regras da modalidade, tornando está posição vital para movimentações e vitorias durante partidas. O objetivo do presente estudo foi quantificar e comparar o nível ofensivo e defensivo entre goleiras de equipes classificadas e desclassificas da primeira fase de um campeonato estadual. Foi composto por 29 partidas da Copa Aberto de Futsal Feminino Adulto 2017 em São Luís-MA com oito equipes (divididas e dois grupos). Os registros ocorreram por filmagem em local reservado próximo da quadra. Foram analisadas seis ações de jogos (ofensivas e defensivas). Para estatística foi usado os testes shapiro-wilk e anova two-way com post-hoc de tuckey e bonferroni do software Bioestat 5.3. Foi identificado maior uso de ações ofensivas entre os grupos, as jogadoras classificadas realizaram maior número de ações ofensivas e defensivas, o passe com os pés e lançamentos com as mãos destacaram-se entre ambos os grupos, não foi identificado diferenças significativas em nenhuma ação de jogo entre os grupos. Portanto, as goleiras das equipes classificadas contribuíram mais vezes em movimentações ofensivas e defensivas durante as partidas. Embora não tenha havido diferenças estatísticas significantes entre classificadas e desclassificadas.</p> Bruno Luiz Galvão de Miranda, Antonio Coppi Navarro, Diogo Matheus Barros da Silva, Ester da Silva Caldas, Raphael Furtado Marques, Francisco Navarro, Marlon Lemos de Araújo Copyright (c) 2022 Bruno Luiz Galvão de Miranda, Antonio Coppi Navarro, Diogo Matheus Barros da Silva, Ester da Silva Caldas, Raphael Furtado Marques, Francisco Navarro, Marlon Lemos de Araújo https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1143 qui, 24 mar 2022 01:54:41 -0700 A A eficácia da kinésio tape na dor patelofemoral em jogadoras de futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1140 <p>Introdução e objetivo: O estudo objetivou analisar a eficácia da Kinésio Tape na dor patelofemoral em atletas, jogadoras de futebol na cidade de Montes Claros-MG. Materiais e métodos: Realizou-se um estudo prospectivo em atletas jogadoras de futebol. Nesse sentido, para se confirmar a dor e a comprovação da eficácia do método realizou-se, através da aplicação da escala visual analógica (EVA), no pré e pós-treino, com e sem a Kinésio Tape a avaliação das aletas. Resultados e discussão: Um total de 22 pessoas participaram da pesquisa, sendo que a maior parte das jogadoras (63,6%) sentia dor durante as práticas esportivas e a minoria (9,1%) tinham sinais visíveis de lesões. A análise comparativa entre as medidas de tendência central e a dispersão da variável dor patelofemoral no pré e pós-treino do primeiro dia e no pré e pós-treino (após uso do Kinésio Tape) do segundo dia, observou-se um aumento significativo da dor do pré para o pós-treino no primeiro dia (p=0,005), e uma diminuição para o segundo dia (p=0,017). Conclusão: Conclui-se que a diminuição do nível de dor patelofemoral das atletas jogadoras de futebol com a utilização da Kinésio Tape, comprova a eficácia da técnica. Observa-se também que a dor patelofemoral está relacionada com a instabilidade articular. Ademais, a Kinésio Tape não apresentou pontos positivos, no que se refere à estabilidade, o que permite verificar, desse modo, que as alterações posturais não tiveram relação com a síndrome da dor patelofemoral.</p> Wellington Danilo Soares, Dhyulle Matos Campos, Júlia de Castro Gomes, Jomar Luiz Santos Almeida Copyright (c) 2022 Wellington Danilo Soares, Dhyulle Matos Campos, Júlia de Castro Gomes, Jomar Luiz Santos Almeida https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1140 qui, 24 mar 2022 01:53:54 -0700 Associação entre o tipo de lançamento pela goleira e o resultado da ação no futsal feminino escolar sub-17 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1129 <p>As ações do goleiro dentro do jogo de futsal são relevantes para o sucesso da equipe. Dessa forma, para entender melhor sobre suas ações, o objetivo do presente estudo foi verificar a associação entre o tipo de lançamento pela goleira e o resultado da ação em equipes escolares de futsal feminino da categoria sub-17. A amostra foi composta por 15 jogos de 12 equipes da categoria sub-17 feminina que disputaram um campeonato escolar em 2019. Os jogos foram filmados e quantificou-se o tipo de lançamento realizado pela goleira (curto ou longo) e o resultado da ação. Após a quantificação, os resultados foram analisados por meio do teste qui-quadrado. Os resultados indicaram associação significativa positiva entre o lançamento curto e o resultado ‘’Equipe’’. Da mesma maneira, o lançamento longo teve associação significativa positiva com os resultados ‘’Remate’’, ‘’Equipe Fragmentada’’, ‘’Adversário’’ e ‘’Adversário Fragmentado’’. Esses resultados podem ser explicados pois a meia quadra ofensiva de jogo da equipe com bola está associada com ações nas quais há a perda da posse de bola, como o 1x1 e o contra-ataque. Portanto, conclui-se que o lançamento curto realizado pela goleira é uma ação que está positivamente associada à manutenção da posse de bola, enquanto o lançamento longo está positivamente associado à finalização e à perda da posse de bola.</p> Deborah Guimarães Quirino Electo Conrado, Gibson Moreira Praça Copyright (c) 2022 Deborah Guimarães Quirino Electo Conrado, Gibson Moreira Praça https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1129 qui, 24 mar 2022 01:47:49 -0700 Nível de satisfação de atletas profissionais de futebol da cidade de Patos-PB http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1123 <p>Atualmente o futebol é um dos esportes mais praticados do mundo. A satisfação dos atletas profissionais de futebol é muito importante, pois contribui para melhor desempenho e resultados da equipe. O estudo tem como objetivo analisar os níveis de satisfação dos atletas profissionais de futebol da cidade de Patos-PB. Para tanto, trata-se de um estudo exploratório, é uma pesquisa de campo e de abordagem quantitativa, a amostra se compõe de 40 atletas profissionais de futebol, sendo 20 atletas da equipe do Nacional Atlético Clube de Patos e 20 atletas do Esporte Clube de Patos. Foi utilizado um questionário de satisfação do atleta QSA, apresentados num formato de sete pontos. Assim, o questionário se constituiu de 42 questões respondidas em uma escala de Likert de 1 a 7 pontos, e se divide em 4 dimensões. Os dados obtidos foram analisados pelo programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 25. Desse modo, observou-se que os atletas de futebol da cidade de Patos-PB com relação às dimensões de rendimento, liderança; satisfação com a equipe e na satisfação com a dedicação pessoal encontra-se com média entre moderadamente e extremamente satisfeitos. O que permite concluir que os atletas estão satisfeitos no que diz respeito ao rendimento da equipe, liderança, satisfação pessoal e com a equipe.</p> Alana Simões, José Leonardo Carvalho Copyright (c) 2022 Alana Simões, José Leonardo Carvalho https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1123 qui, 24 mar 2022 01:46:52 -0700 O efeito de um protocolo de hidratação programado na performance física de árbitros de futebol em partidas do campeonato amador http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1119 <p>O objetivo deste manuscrito foi avaliar, em estudo prospectivo e transversal, as respostas fisiológicas e o desempenho de árbitros de futebol submetidos a protocolo de hidratação com isotônicos ou água. Foram estudados dez indivíduos, homens, idade média 37,1 ± 5,0 anos, do quadro do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo, em jogos do campeonato amador. Foi avaliado o peso corporal antes e após as partidas, a medida da diurese pós-pesagem, a frequência cardíaca média, e o estresse térmico (método de Yaglou, Minard, modificado). Aplicaram-se de forma alternada, o Protocolo de Hidratação Habituall (PHH) (800 mL de água), extraído de questionário respondido pelos árbitros participantes, e o Protocolo de Hidratação Proposta (PHP) (1300 mL de isotônico). Os jogos foram filmados e analisados pelos métodos de Withers - distância total percorrida e de Valquer - distribuição da distância em ações. Não houve diferença significativa (p&lt;0,05) entre os protocolos de hidratação habitual e o proposto, em relação às seguintes variáveis: distância total percorrida, diferença percentual da distância total percorrida (segundo tempo versus primeiro tempo), frequência cardíaca média, diferença de peso corporal (pré e pós-partida), volume de líquidos ingeridos, taxa de sudorese, estresse térmico e percentual de desidratação. Concluímos que o uso de água ou isotônico não alterou os mecanismos de regulação térmica e o desempenho dos árbitros de futebol.</p> Cristiano Ralo Monteiro, Milena Fogagnoli, Regis Bruni Andriolo, Lealdo Alves Machado, Yara Queiroga Confessor, Turibio Leite de Barros Neto, Japy Angelini Oliveira Filho Copyright (c) 2022 Cristiano Ralo Monteiro, Milena Fogagnoli, Regis Bruni Andriolo, Lealdo Alves Machado, Yara Queiroga Confessor, Turibio Leite de Barros Neto, Japy Angelini Oliveira Filho https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1119 qui, 24 mar 2022 01:45:04 -0700 Variação da velocidade da bola após o chute das categorias de base do futsal masculino http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1078 <p>A velocidade que a bola atinge no movimento técnico do chute, em um jogo de futsal, pode ser o fator determinante para a assinalação de um gol. O objetivo deste estudo foi avaliar a variação de velocidade do chute, de praticantes da modalidade futsal masculino, nas categorias sub 07, 09, 11 e sub 13, com o uso de um radar BUSHNELL, modelo 101911. Esse estudo tem a relevância e importância para colaborar com esse esporte, e para que se possa melhor compreender como esta técnica se comporta nesta fase de desenvolvimento de meninos. Para tanto, os dados foram coletados em alunos da escolinha de futsal Cristo Rei, na cidade de Marau-RS, onde cada aluno efetuou 03 cobranças do tiro livre de 10m (segundo tiro penal), com intervalo de sessenta segundos entre si, e após foi selecionada a finalização com maior velocidade, tanto com a utilização da segmentação do membro inferior dominante (DO), como para o lado não dominante (NDO). Os dados foram analisados a luz da estatística descritiva e possíveis diferenças significativas entre si. Foi possível identificar que conforme avança a idade, avança a velocidade da bola através do chute, sendo que nos 6 anos (DO- 45,6Km/h; NDO- 35,6Km/h) para os 14 anos (DO- 87,4Km/h; NDO- 69,8Km/h), a velocidade quase dobrou, e as maiores diferenças ocorreram entre as idades dos 9 para os 10 anos, porém, o maior pico de desenvolvimento evidenciado foi da passagem da faixa etária de 12 para 13 anos.</p> Edson Gustavo Dalbosco, Ben Hur Soares, Adriano Pasqualotti, Ricardo Vilasbôas Copyright (c) 2022 Edson Gustavo Dalbosco, Ben Hur Soares, Adriano Pasqualotti, Ricardo Vilasbôas https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1078 qui, 24 mar 2022 01:41:03 -0700 Desempenho de habilidades técnicas entre estudantes adolescentes de diferentes sexos no futsal http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1077 <p>O desempenho de fundamentos técnicos e o tempo de prática dos alunos do futsal podem interferir no nível de aprendizado entre os sexos de adolescentes no ensino fundamental. O objetivo foi comparar o desempenho de fundamentos técnicos e o tempo de prática entre os sexos de adolescentes no futsal. 22 adolescentes (11 meninos e 11 meninas) da faixa etária de 12 a 15 anos, foram divididos em dois grupos do sexo feminino (G1) e do sexo masculino (G2). Os grupos foram avaliados pelo teste Skills. Foram obtidas a idade, massa corporal, estatura, condução de bola, domínio de bola, precisão do chute e precisão de passe. Comparações das variáveis, entre os grupos, foram realizadas com o Teste t de Student para amostras independentes (paramétricos) e com o Teste de U de Mann-Whitney (não-paramétricos) e o nível de significância adotado foi de 5%. Foram identificadas diferenças significativas entre os grupos G1 e G2 apenas na condução (G1=21,0 ± 4,6 s; G2=15,6 ± 3,4 s, p&lt;0,05) e no passe com o pé esquerdo (G1=6,2 ± 4,7 acertos; G2=10,2 ± 4,2 acertos, p&lt;0,05). Foram encontrados valores similares entre os grupos na idade, massa corporal, estatura, tempo de prática, domínio 1,95m, domínio 3,05m, chute e passe com o pé direito (p&gt;0,05). Portanto, o desempenho é maior em adolescentes do sexo masculino apenas nas variáveis de velocidade da condução de bola e na precisão do passe com o pé esquerdo quando comparadas as do sexo feminino no ensino fundamental.</p> Frederico Deponti Brasil, Laryssa Freitas Piecha, Milena Tolfo Tadielo, Pedro Mendes Chaves, Marcos Franken Copyright (c) 2022 Frederico Deponti Brasil, Laryssa Freitas Piecha, Milena Tolfo Tadielo, Pedro Mendes Chaves, Marcos Franken https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1077 qui, 24 mar 2022 01:40:08 -0700 Tempo de posse de bola individual na realização das ações técnicas em atletas da categoria sub-13 de futsal http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/976 <p>O estudo teve como finalidade, determinar o tempo de posse de bola individual, durante a realização das ações técnicas dos atletas de Futsal categoria sub-13. Foram analisados 11 jogos, da equipe campeã, gravados durante a edição de 2013 do campeonato, Estadual de Futsal-RS. Catalogou-se o tempo de posse de bola individual, onde determinou-se que cada vez que o atleta recebia a bola, dava-se o início a contabilização do tempo e encerrava no ato que este transferia sua posse. Todos estes tempos foram registrados e catalogados, determinando que o tempo médio de posse de bola individual na primeira parte do primeiro tempo foi de 1 segundo e 50 centésimos, e na segunda parte do primeiro tempo, a média foi de 1 segundo e 60 centésimos e no segundo tempo do jogo, a média ficou com 1 segundo e 50 centésimos. Fica evidenciado que o futsal, impõem uma intensidade alta ao seu praticante, requerendo uma velocidade de tomadas de decisão na realização das ações técnicas durante o transcorrer dos jogos.</p> Ben Hur Soares, Gabriel Cardoso do Nascimento, Fernando Matzenbacher, Adriano Paqualotti Copyright (c) 2022 Ben Hur Soares, Gabriel Cardoso do Nascimento, Fernando Matzenbacher, Adriano Paqualotti https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/976 qui, 24 mar 2022 01:38:59 -0700 Inclusão de treinos pliométricos para o desenvolvimento de potência em membros inferiores http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/965 <p>O presente estudo tem como objetivo verificar e comprovar que a inclusão de métodos de treinos pliométricos, desenvolvi a potência de membros inferiores dos goleiros de futebol do sub-20 do Paysandu. A amostra do estudo foi feita com quatro goleiros, que estavam treinando frequentemente, com avaliações antropométricas, testes de potência e programas de treinamento durante o período de oito semanas. Com a coleta de dados realizada no período de quatro a quatro semanas foi feito cálculos (regra de três, IMC, cálculo do %gordura) para comparações em tabelas e gráficos. O resultado do trabalho os atletas obtiveram melhoras significativas em: testes de corrida de 20 e 40m, impulsão horizontal e impulsão vertical. Foi constatado depois da pesquisa a evolução dos testes após a inclusão do treino pliométrico com resultados bem significativos o atleta três obteve aproximadamente 11% de melhoras nos testes.</p> Carlos Felipe Frazão Henriques, Moises Simão Santa Rosa de Souza, João Carlos Bouzas Marins, Israel Teoldo da Costa Copyright (c) 2022 Carlos Felipe Frazão Henriques, Moises Simão Santa Rosa de Souza, João Carlos Bouzas Marins, Israel Teoldo da Costa https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/965 qui, 24 mar 2022 01:32:43 -0700 Cinética e cinemática da marcha e chute em atletas de futebol: uma revisão de literatura http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1116 <p>Introdução: O futebol é um esporte praticado a nível mundial e a cada novo ano surgem mudanças e avanços científicos que podem aperfeiçoar ainda mais esse esporte que arrasta milhões de pessoas.&nbsp;&nbsp; Objetivo: Analisar como deve ser os padrões de marcha e chute dos jogadores de futebol, bem como, identificar as respectivas ações musculares que ocorrem no momento da execução para que se tenha êxito nas partidas de futebol. Materiais e Métodos: Este trabalho consiste em uma revisão de literatura nas principais bases de dados Google Scholar, Scielo, Pubmed e livros, com artigos e livros publicados entre os anos 1976 e 2020, indexados na língua portuguesa e inglesa. Para os critérios de inclusão, foram utilizados artigos originais e livros, foram excluídos trabalhos com a ausência dos temas chute, marcha e futebol e artigos que não possuíam o texto na íntegra. Resultados: Foi avaliado 131 artigos completos e 40 livros, e destes, 51 foram utilizados para fundamentação da presente revisão literária. 3 artigos concluíram que há diferenças nos padrões cinemáticos de chute entre praticantes e não praticantes de futebol, chute com bola parada e rolando são semelhantes e ação muscular interfere diretamente na velocidade da bola, 1 artigo concluiu que cada modalidade tem suas características específicas de marcha. Conclusão: A biomecânica pode contribuir no avanço para compreensão dos padrões de marcha e chute, contudo, estudos mais aprofundados são necessários para compreender e fornecer informações atualizadas e material de ponta que possa qualificar os profissionais envolvidos nas respectivas áreas de atuação.&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;</p> Lucas de Bessa Couto Couto, Ronaldo Matias Ferreira da Silva Silva, Kevin César Neves de Oliveira Oliveira, Nataly Afifeh Caetano Yacoub, Patrícia Espíndola Mota Venâncio Copyright (c) 2022 Lucas de Bessa Couto Couto, Ronaldo Matias Ferreira da Silva Silva, Kevin César Neves de Oliveira Oliveira, Nataly Afifeh Caetano Yacoub, Patrícia Espíndola Mota Venâncio https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1116 qui, 24 mar 2022 00:00:00 -0700 Qualidade de vida: Um estudo com atletas de futebol em um time de Montes Claros-MG http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1178 <p>Segundo a Organização Mundial de Saúde a qualidade de vida pode ser definida como “a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”. O presente estudo teve como objetivo analisar a qualidade de vida de atletas de um time de futebol na cidade de Montes Claros-MG. Sendo uma pesquisa com abordagem quantitativa, comparativa e transversal, realizado com 22 atletas de futebol masculino. Para avaliação foi utilizado o questionário The Copenhagen Hip and Groin Outcome Score voltado para avaliar indivíduos fisicamente ativos com queixas no quadril e /ou virilha. Avaliados em 6 subescalas: Sintomas; Dor; Atividades do dia a dia; Atividades esportivas e de lazer; Participação em atividade física e Qualidade de vida. Os dados foram digitados e organizados no Statistical Package for Social Sciences (SPSS, versão 25.0; SPSS Inc. Chicago, IL, EUA). A distribuição dos dados foi avaliada pelos testes de Shapiro-Wilk e Levene para a seleção de testes paramétricos e não-paramétricos. A maior parte dos jogadores n=20 (90,9%) apresentavam sintomas relacionados a virilha/quadril. Pode-se observar que a mesma quantidade de pessoas que tinham sintomas tinha também impacto nas atividades esportivas e de lazer, presença de dor e na qualidade de vida (90,9%). O estudo evidencia que tanto os jogadores titulares como reservas têm uma qualidade de vida influenciada pela presença dos itens avaliados no questionário HAGOS. Afetando assim tanto sua vida pessoal, esportiva e profissional.</p> Wellington Danilo Soares, Bryan Ênio da Silva Alves Santos, Geigislaine Lopes Pereira, André Fabrício Pereira Cruz Copyright (c) 2022 Wellington Danilo Soares, Bryan Ênio da Silva Alves Santos, Geigislaine Lopes Pereira, André Fabrício Pereira Cruz https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1178 qui, 24 mar 2022 00:00:00 -0700 Resenha do filme La Partita http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1133 <p>O objetivo deste estudo foi resenhar o filme La partita (título em português: Decisão), que começou a ser exibido pela Netflix em 2020. Esse longa-metragem aborda centralmente a final de uma competição futebolística de jovens, permeada por duas apostas. O presidente do Sporting Roma aposta 50 mil euros na sua vitória para pagar à instalação de grama sintética no estádio G. S. Quarticciolo, serviço contratado por seu filho, um dependente químico que gera dívidas, comprometendo as finanças do clube. Já o pai do principal atleta da equipe aposta na derrota, e ainda coage o filho a jogar mal e perder. Ainda que a qualidade da obra seja discutível, esse enredo ilustra claramente que o futebol transcende os limites do campo de jogo por meio de práticas sobre esse realizadas, característica que o legitima como um dos objetos das Ciências Humanas e Sociais.</p> Bruno José Gabriel, Bruno Pedroso, Miguel Archanjo de Freitas Junior Copyright (c) 2021 Bruno José Gabriel, Bruno Pedroso, Miguel Archanjo de Freitas Junior https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1133 dom, 07 nov 2021 01:56:21 -0700 O uso de videogames melhora o conhecimento tático declarativo de jovens jogadores de futebol? http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1134 <p>Nosso principal objetivo foi investigar como os videogames influenciaram o conhecimento tático declarativo (CTD) dos jovens jogadores de futebol. Nossa amostra foi composta por 70 jogadores de futebol masculino nas categorias Sub-13, Sub-15 e Sub-17 do Projeto de Extensão ‘Futebol UFJF’. Para a avaliação do CTD, foi utilizado o teste validado por Mangas (1999), cujo instrumento foi adaptado por Giacomini et al., (2011), considerando-se assim a melhor resposta possível e a hierarquia (da primeira à quarta) entre as demais respostas. Em relação à prática de videogame, foi utilizado um questionário de autorrelato. Embora os resultados não tenham mostrado diferença estatisticamente significativa na relação videogame / CTD, o nível de DTK foi maior em atletas que jogaram videogame em comparação com aqueles que não o fizeram (685 ± 47 versus 637 ± 92, p=0,26). Assim, podemos concluir que embora jogar videogame possa estimular o CTD, ele não tem influência significativa em jovens jogadores de futebol com muita experiência na prática esportiva.</p> Felipe Fernandes da Silva, Thadeu Rodrigues, Maicon Radtke, Eduardo Cardoso Vidigal, Aline Ribeiro, Yuri Campos, Francisco Zacaron, Jeferson Vianna, Jefferson Novaes, Marcelo Matta Copyright (c) 2021 Felipe Fernandes da Silva, Thadeu Rodrigues, Maicon Radtke, Eduardo Cardoso Vidigal, Aline Ribeiro, Yuri Campos, Francisco Zacaron, Jeferson Vianna, Jefferson Novaes, Marcelo Matta https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1134 dom, 07 nov 2021 01:56:13 -0700 Panorama do sistema de captação de atletas dos clubes brasileiros de futebol http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1132 <p>O futebol é o esporte mais praticado por jovens no Brasil, este profissionalizou-se na década de 1930. Com o aumento da demanda por jogadores iniciou-se o processo de captação de atletas, sendo as “peneiras” o principal método utilizado. A identificação de talentos é o processo responsável pela entrada de atletas na categoria de base dos clubes, através da utilização de meios e métodos para selecionar os atletas com maiores potenciais a longo prazo, se bem conduzido, torna-se uma boa fonte de renda dos clubes através da venda de jogadores, que atualmente é a segunda maior fonte de receita entre os clubes brasileiros. Este estudo tem como foco o processo de identificação de talentos de atletas de futebol no Brasil, na categoria masculina e feminina, utilizando a metodologia de análise de conteúdo dedutiva, analisando de maneira qualitativa os websites oficiais dos clubes brasileiros. Os resultados demonstraram que a faixa etária apta a serem selecionados pelos clubes é de 5 à 19 anos para a categoria masculina e 13 à 17 anos para a feminina, o principal método utilizado foram os processos seletivos em ambas as categorias, sendo os treinadores e observadores técnicos os responsáveis pela avaliação, utilizando-se principalmente os critérios técnicos e físicos para a aprovação final. Os resultados sugerem que os processos de identificação de talentos no Brasil são suscetíveis ao desperdício de talentos, através do uso majoritário dos processos seletivos, que são incapazes de fornecerem informações fidedignas sobre o desempenho a longo prazo.</p> Henrique do Nascimento Borges, Ana Lúcia Padrão dos Santos Copyright (c) 2021 Henrique do Nascimento Borges, Ana Lúcia Padrão dos Santos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1132 dom, 07 nov 2021 01:56:06 -0700 Efeito da idade relativa e trajetória esportiva: uma análise de jovens atletas indicados ao prêmio Golden Boy http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1131 <p>Introdução: No esporte sabe-se que a data de nascimento pode influenciar diretamente no processo de identificação e desenvolvimento esportivo de crianças e adolescente, tal fenômeno é identificado como o Efeito da Idade Relativa (EIR). Objetivo: Identificar o efeito da idade relativa (EIR) e a trajetória esportiva de jovens atletas indicados ao prêmio Golden Boy. Materiais e Métodos: A amostra foi composta por 102 atletas que foram indicados ao prêmio, entre os anos de 2003 e 2013. Na amostra foram selecionados os 10 primeiros colocados de cada ano. O recorte temporal do levantamento ocorreu com a intenção de apanhar os indicados até o ano de 2013, para que fosse possível analisar a sequência da carreira nos anos posteriores. Foram coletados as seguintes informações sobre os jogadores indicados ao prêmio: data de nascimento e número de convocações para as seleções nacionais até o ano de 2019. A coleta de dados foi realizada diretamente no site do Jornal Italiano Tuttosport&nbsp; (www.tuttosport.com/)&nbsp; idealizador do prêmio. As informações gerais dos jogadores foram obtidas no site O Gol (www.ogol.com.br). A normalidade dos dados foi testada por meio do teste de kolmogorov-Smirnov. Foi realizado o teste qui­-quadrado (χ2) para a comparação da distribuição esperada e observada nos quartis e semestres de nascimento dos atletas. Resultados: Foi observado uma diferença significativa, com maior frequência de atletas nos primeiros quartis (1,2). Em relação a trajetória dos atletas foi observado que 66,7% dos jogadores fizeram no mínimo 20 jogos pelas suas respectivas seleções, e 35,5% não atingiram o valor mínimo estabelecido nesse estudo. Conclusão: Foi constatado o Efeito da Idade Relativa entre os jovens jogadores indicados ao prêmio Golden Boy.</p> Rafael Andrade Gomes, Luciano Bernardes Leite, Leonardo Mateus Teixeira de Rezende , José Geraldo do Carmo Salles Copyright (c) 2021 Rafael Andrade Gomes, Luciano Bernardes Leite, Leonardo Mateus Teixeira de Rezende , José Geraldo do Carmo Salles https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1131 dom, 07 nov 2021 01:55:57 -0700