Efeito da idade relativa na Copa do Mundo FIFA® sub-20 masculina de 2019

  • Dharlan Ferreira Teixeira Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.
  • Davi Correia da Silva Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.
  • Guilherme Figueiredo Machado Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa-MG, Brasil.
  • Victor Neiva Lavorato Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.
Palavras-chave: Copa do Mundo Sub-20, Idade relativa, Idade cronológica

Resumo

O efeito da idade relativa é fator importante diante do processo de formação de atletas, principalmente quando se é considerado fatores que dizem respeito ao desenvolvimento físico e cognitivo dos atletas. O presente estudo teve como objetivo analisar o efeito da idade relativa na Copa do Mundo FIFA® Sub-20 masculina, disputada em 2019. Para isso, foi realizada a análise da data de nascimento de cada atleta das 24 seleções que disputaram o mundial, sendo os atletas divididos em quartis: Q1 (janeiro-março), Q2 (abril-junho), Q3 (julho-setembro) e Q4 (outubro-dezembro). Foi possível observar que a maior parte dos atletas estavam situados nos quartis Q1 e Q2, sendo, do total da amostra, 37,97% e 26,94%, respectivamente. Não foram encontradas diferenças entre os quartis Q2 e Q3. Quando foram analisados somente os atletas classificados para a segunda fase do Mundial, nota-se comportamento semelhante à análise do total de atletas, não sendo encontradas diferenças somente entre os quartis Q2 e Q3. Quando foram analisados somente os atletas desclassificados na primeira fase do Mundial, foram encontradas diferenças entre os quartis Q1 e Q2; Q2 e Q3; Q2 e Q4; Q3 e Q4. Conclui-se que durante o mundial o efeito da idade relativa esteve presente, onde houve uma prevalência de atletas nascidos no Q1 em relação aos demais. Além disso, as diferenças entre os quartis analisados foram mais pronunciadas nos atletas das equipes classificadas para a segunda fase do torneio.

 

Biografia do Autor

Dharlan Ferreira Teixeira, Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.

Graduando em Educação Física pelo Centro Universitário Governador Ozanam Coelho.

Davi Correia da Silva, Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.

Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Viçosa; Professor do curso de Educação Física do Centro Universitário Governador Ozanam Coelho.

Guilherme Figueiredo Machado, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa-MG, Brasil.

Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Viçosa.

Victor Neiva Lavorato, Centro Universitário Governador Ozanam Coelho, Ubá-MG, Brasil.

Educador Físico; Professor no curso de Educação Física na Faculdade Governador Ozanam Coelho; Doutorando em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Ouro Preto-MG, Brasil.

Referências

-Altimari, J.M.; Altimari, L.R.; Paula, L.; Bortolotti, H.; Pasquarelli, B.N.; Ronque, E.R.; Moraes, A.C. Distribuição do mês de nascimento dos jogadores das seleções brasileiras de futebol. Revista Andaluza de Medicina del Deporte. Vol. 4. Num. 1. 2011. p. 13-16.

-Andrade, M.O.C.; Costa, I.T. Como a eficiência do comportamento tático e a data de nascimento condicionam o desempenho de jogadores de futebol? Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo. Vol. 29. Num. 3. 2015. p. 465-473.

-Balikian, P.; Lourenção, A.; Ribeiro, L.F.P.; Festuccia, W.T.L.; Neiva, C.M. Consumo máximo de oxigênio e limiar anaeróbio de jogadores de futebol: comparação entre as diferentes posições. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 8. Num. 2. 2002. p.32-36.

-Carli, G.C.; Luguetti, C.N.; Ré, A.H.N.; Böhme, M.T.S. Efeito da idade relativa no futebol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília. Vol. 17. Num. 3. 2009. p. 25-31.

-Del Campo, D.G.D.; Vicedo, J.C.P.; Villora, S.G.; Jordan, O.R.C. The relative age effect in youth soccer players from Spain. Journal of Sports Science & Medicine. Vol. 9. Num. 2. 2010. p.190.

-Gonzalez Aramendi, J. Mes de nacimiento y éxito en el Fútbol. Estudios del Efecto Relativo de la Edad en el Fútbol guipuzcoano. Euskonews & Media. Osasuna. Num. 2004. 2004. p.702-727.

-Malina, R.M.; Bouchard, C.; Bar-Or, O. Crescimento maturação e atividade física. 2nd ed. São Paulo. Phorte. 2009.

-Marques, P.R.R.; Pinheiro, E.S.; Coswig, V.S. Efeito da idade relativa sobre a seleção de atletas para as categorias de base de um clube de futebol. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 41. Num. 2. 2019. p. 157-162.

-Musch, J.; Grondin, S. Unequal competition as an impediment to personal development: A review of the relative age effect in sport. Developmental Review. New York. Vol. 21. Num. 2. 2001. p. 147-167.

-Rabelo, F. N, e colaboradores. Efeito da idade relativa nas categorias do futebol brasileiro: critérios de seleção ou uma tendência populacional? Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 38. Num. 4. 2016. p. 370-375.

-Seabra, A.; Maia, J.A.; Garganta, R. Crescimento, maturação, aptidão física, força explosiva e habilidades motoras específicas. Estudo em jovens futebolistas e não futebolistas do sexo masculino dos 12 aos 16 anos de idade. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Porto. Vol. 2. Num. 2. 2001. p.22-35.

-Silva, D.C.; Padilha, M.B.; Costa, I.T. O efeito da idade relativa em copas do mundo de futebol masculino e feminino nas categorias sub-20 e profissional. Revista da Educação Física/UEM. Maringá. Vol. 26. Num. 4. 2015. p. 567-572.

-Williams, A. M.; Reilly, T. Talent identification and development in soccer. Journal of Sport Sciences. Vol. 18. Num. 9. 2000. p. 657-667.

Publicado
2020-09-07
Como Citar
Teixeira, D. F., Silva, D. C. da, Machado, G. F., & Lavorato, V. N. (2020). Efeito da idade relativa na Copa do Mundo FIFA® sub-20 masculina de 2019. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 12(48), 289-293. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/945
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##