O exercício de pular corda como forma de treinamento de força para goleiros

  • Rafael Militão de Souza Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Camila Angeliski da Silva Lourenço Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Milene Boscaratto dos Santos Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Heloisa Fiori Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Matheus de Azevedo Cardoso Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Matusalem Alves Antunes Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Rodrigo Bassani Filho Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • André Felipe Caregnato Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
Palavras-chave: Goleiro, Pular-corda, Força, Treinador de goleiro, Potência

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar os ganhos de força a partir do treinamento de corda em goleiros de 12 a 15 anos da categoria de base de um clube de futebol da cidade de Curitiba. O trabalho foi realizado como forma de aquecimento durante todo o período de análise. Para a avaliação e coleta de dados foi utilizado teste de impulsão horizontal e vertical no início, meio e fim do período de avaliação. Em termos de resultados, foi avaliado a diferença de ganhos entre o primeiro e último teste. Utilizou-se de estatística inferencial, com o Test t para amostras dependentes, com nível de significância alfa de 5%. Ao final conclui-se que o treinamento de corda a partir do protocolo proposto, melhora os níveis de potência em membros inferiores significativamente, conforme demonstração dos ganhos obtidos durante todo o período de estudo.

Biografia do Autor

Rafael Militão de Souza, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Camila Angeliski da Silva Lourenço, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Milene Boscaratto dos Santos, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Heloisa Fiori, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Matheus de Azevedo Cardoso, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Matusalem Alves Antunes, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

Rodrigo Bassani Filho, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.

Graduação em Educação Física.

André Felipe Caregnato, Centro Universitário UniDomBosco, Curitiba-PR, Brasil.
Mestrado e Doutorado em Educação Física, UFPR.

Referências

-American College of Sports Medicine. ACSM. Progression Models in Resistance Training for Healthy Adults. Medicine and Science in Sports and Exercise, Indianapolis. Vol. 34. Núm. 2. p.364-380. 2002.

-Barnett, B.E. Parâmetros Temporais no Salto Interpretada por Adultos e Crianças. in: Clark, J.E.; Humphrey, J.H. (Ed.). Avanços no Desenvolvimento Motor. New York. MAS. p. 1-22. 1988.

-Barbosa Junior, A.; Galdino, M. L. O Lado Forte do Goleiro de Futebol. Revista Treinamento Desportivo. Vol. 9. Núm. 1. 2008.

-Bompa, T. O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. Phorte, 2002.

-Bompa, Tudor O. Treinamento de potência para o esporte. São Paulo. Phorte. 2004.

-Bueno, F. C. R. Padrão de coordenação do pular corda: um estudo desenvolvimental. Unesp. Rio Claro. 2004.

-Carlesso, R. A. Manual de treinamento do goleiro. Rio de Janeiro. Palestra. 1981.

-Cavagna, G.A. Storage utilization of elastic energy in skeletal muscle. Exercise and Sport Sciences Review. Vol. 5. p.89-129. 1977.

-Cronin, J.B.; e colaboradores. Reliability and validity of a linear position transducer for measuring jump performance. Journal of Strength and Conditioning Research. Champaign. Vol. 18. Núm. 3. p.590-593. 2004.

-Fernandes, J.F. A prática da avaliação física. Rio de Janeiro. Shape Editora e Promoções. 1999.

-Fleck, S.J.; Kraemer, W.J. Designing resistance training programs. 2nd ed. Champaign, Illinois. Human Kinetics Publishers. 1997.

-Frisselli, A.; Mantovani, M. Futebol: teoria e prática. 1999.

-Gomes, F. V. A influência do treinamento de força nos níveis de impulsão horizontal e vertical em goleiros de futebol de campo na fase da adolescência. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 3. Núm. 7. p. 67-71. 2011.

-Komi, P.V.; Bosco, C. Utilization of stored elastic energy in leg extensor muscles y men and women. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 10. Núm. 4. p. 261-5. 1978.

-Mcardle, W. D.; e colaboradores. Exercise physiology: energy, nutrition, and human performance. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 23. Núm. 12. p. 1403. 1991.

-Queiroz, R. M. Profissão goleiro: da iniciação ao alto rendimento. Phorte. 2012.

-Tavares, O.; Telles, S. A preparação de goleiros e sua evolução. Rio de Janeiro. Congresso. 2006.

-Silva, L. H.; Pellegrini, A. M. Mecanismos de controle do pular corda em função de restrição da tarefa. Brazilian Journal of Motor Behavior. Vol. 2. Núm. 1. p. 31-39. 2007.

-Schenau, G.V.I.; e colaboradores. Does elastic energy enhance work and efficiency in the stretch-shortening cycle?. Journal of Applied Biomechanics. Vol. 13. Núm. 4. p. 389-415. 1997.

-Weineck, J. Manual do treinamento esportivo. 2ª edição. São Paulo. Manole. 1989.

-Zatsiorsky, V. M.; Kraemer, W. J. Ciência e prática do treinamento de força. Phorte. 1999.

Publicado
2020-09-07
Como Citar
Souza, R. M. de, Lourenço, C. A. da S., Santos, M. B. dos, Fiori, H., Cardoso, M. de A., Antunes, M. A., Bassani Filho, R., & Caregnato, A. F. (2020). O exercício de pular corda como forma de treinamento de força para goleiros. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 12(48), 166-172. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/860
Seção
Artigos Científicos - Original