Análise das ações ofensivas e defensivas dos finalistas (França e Portugal) da UEFA Euro 2016

Lincoln Cruz Martins, Heloise Elena de Simas, Moacir Pereira Junior

Resumo


Objetivo: identificar ações ofensivas e defensivas dentro do modelo de jogo das equipes finalistas da UEFA Euro 2016 (França e Portugal) e relacionar a forma de ataque que mais concluiu em finalização com os gols marcados pelas mesmas. Método: Esta pesquisa é do tipo descritivo de caráter quantitativo. Foram assistidos na integra e analisados todos os jogos dos finalistas da UEFA Euro 2016. Coletou-se dados referentes a qual momento do jogo ocorreu os gols das equipes, quais formas de ataque que mais terminaram em finalização, em qual setor do campo as seleções mais recuperaram a posse de bola, qual o comportamento defensivo adotado por ambas. os dados foram catalogados e colocados no programa Microsoft Excel, onde se obteve o percentual dos mesmos. Resultados: Em relação aos gols marcados as duas equipes obtiveram resultados iguais para organização ofensiva. Identificou-se como ação ofensiva que mais terminou em finalização o ataque posicional em ambas. O setor do campo que as equipes mais recuperaram a posse de bola foi o setor médio defensivo. No que diz respeito ao comportamento defensivo, a França exerceu mais a zona pressing, enquanto Portugal a zona passiva. Conclusão: No âmbito da fase ofensiva observou-se uma relação entre os gols marcados e as ações ofensivas terminadas em finalização, devido a serem compostas por um tempo grande de realização e com longa troca de passes. Em carácter defensivo foi observado que equipes que utilizam a zona pressing tendem a recuperar a bola mais rápido e próximo do gol que está atacando.

 

ABSTRACT

Analysis of Offensive and Defensive Actions of the Finalists (France and Portugal) of the UEFA EURO 2016

Objective: Identify offensive and defensive actions of the finalists' game model in the UEFA Euro 2016 (France and Portugal) and relate to the attack form that most ended in finalization with the goals scored by them. Methods: This research is a descriptive study with quantitative approach. All the matches of the UEFA Euro 2016 finalists were watched in full and analyzed. The data were collected regarding to the moments of the game that the team's goals were scored, being analyzed which attack forms most ended in finalization, in which sector of the field the teams most recovered the ball possession, which defensive behavior was adopted by both. All the data were cataloged and placed in the Microsoft Excel program, so the percentage of them was obtained. Results: In relation to the goals scored both teams obtained equal results for offensive organization. It was identified that the offensive action that most ended in finalizations was the positional attack for both teams. The field sector where the teams most recovered the ball possession was in the defensive middle sector. As far as the defensive behavior is concerned, France exerted more of the pressing zone, while Portugal used the passive zone. Conclusions: In the context of the offensive phase, it was observed a relation between the goals scored and the offensive actions that resulted in finalization, due to both being composed by a long period of accomplishment, with extensive exchange of passes. Related to the defensive character it was observed the teams that use the zone pressing tend to recover the ball faster and near the goal that they are attacking.


Palavras-chave


Futebol; Esportes; Avaliação de desempenho profissional

Texto completo:

PDF

Referências


-Andújar, P.S.B. Eurocopa 2000: Análisis de Portero. El Entrenador Español. 2002. p. 47-57.

-Carling, C. Applying match analysis to improve defending performance. Insight Live, [S.l.], 15 nov. 2005. Choosing a computerised match analysis system. Insight, [S.l.]. 2001. p. 30-31.

-Collet, C., Nascimento, J.V., Ramos, V., Stefanello, J.M.F. Construção e validação do instrumento de avaliação do desempenho técnico-tático no voleibol. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desenvolvimento Humano. 2011. p. 43-51.

-Frattini, E.T. A observação do adversário no futebol: aspectos táticos importantes para uma boa análise. Universidade Estadual de Campinas. Campinas. 2010.

-Garganta, J.M. A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. 2001. p. 57-61.

-Garganta, J.M. Modelação Tática do jogo de Futebol: Estudo da organização da fase ofensiva em equipas de alto rendimento. Tese de Doutorado. Universidade do Porto. Porto. 1997.

-Gil, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Atlas. 2010.

-Grant, A.; Williams, M.; Reilly, T.; Borrie, T. Analysis of the successful and unsuccessful teams in the 1998 World Cup. Coaching. 1998.

-Gréhaigne, J.F; Mahut, B.; Fernandez, A. Qualitative observation tools to analyse soccer. Int J Perform Anal Sport. 2001. p. 52-61.

-Hughes, M.; Franks, I. Analysis of passing sequences, shots and goals in soccer. J Sports Sci. 2005. p. 509-514.

-Hughes, M.; Robertson, K.; Nicholson, A. Comparison of patterns of play of successful and unsuccessful teams in the 1986 World Cup for soccer. In: Reilly, T.; Lees, A.; Davids, K.; Murphy, W.J. Organizers. Science and football. Liverpool: E & FN Spon. 1988. p. 363-367.

-Leitão, R.A.A. Futebol: análises qualitativas e quantitativas para verificação e modulações de padrões e sistemas complexos de jogo. Dissertação de Mestrado. Unicamp. Campinas. 2004.

-Leitão, R.A.A. O jogo de futebol: investigação de sua estrutura, de seus modelos e da inteligência de jogo, do ponto de vista da complexidade. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas. Campinas. 2009.

-Leocini, M.P.; Silva, M.T. Entendo o futebol como um negócio: um estudo exploratório. Revista Gestão & Produção. 2005. p.11-23.

-Luhtanen, P.H.; Korhonen, V.; Ilkka, A. A New notational analysis system with special reference to the comparison of Brazil and its opponents in the World Cup 1994. Reilly, T.; Bangsbo, J.; Hughes, M. Science and football III. London: E & FN Spon; 1997. p. 229-232.

-Machado, J.C; Barreira, D.; Garganta, J. Eficácia ofensiva e variabilidade de padrões de jogo em futebol. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. 2013. p. 667-677.

-Molina, F.J.C. Estudio de las variables relacionadas con la técnica utilizada en la consecución de los goles en la Eurocopa 2000. Aplicación práctica al entrenamiento. El Entrenador Español. 2001. p. 32-44.

-Moutinho, C. A importância da análise do jogo no processo de preparação desportiva nos jogos desportivos colectivos: o exemplo do voleibol. As ciências do desporto e a prática desportiva. Porto: FCDEF-UP. 1991. p. 265-75.

-Oliveira, J.G.G. Conhecimento específico em Futebol: Contributos para a definição de uma matriz dinâmica do processo ensino-aprendizagem /treino do jogo. Tese de Mestrado. Universidade do Porto. Porto. 2004.

-Pivetti, B. Periodização tática: o futebol arte alicerçado em critérios. São Paulo. Phorte. 2012.

-Ramos, A.T. Uma “(des)baromatriz(acção)” concepto-comportamental da(s) zona(s) pressing. Dissertação de Mestrado. Universidade do Porto. Porto. 2005.

-Ramos, M.J.A. Modelação Tática do jogo de Futebol: Estudo da organização da fase ofensiva em equipes de alto rendimento. Dissertação de Licenciatura. Universidade do Porto. Porto. 2009.

-Ruano, M.A.G., Calvo, A.L. Análisis discriminante de lãs estadísticas de juego entre bases, aleros y pivots em baloncesto masculino. Apunts: Educación Física y Deportes. 2007. p. 86-92.

-Santos, R.M.M; Moraes, E.L; Costa, I.T. Análise de padrões de transição ofensiva da Seleção Espanhola de Futebol na Copa do Mundo FIFA 2010. Revista Brasileira Educação Física e Esporte. 2015. p. 119-126.

-Silva, F.; Américo, H.; Santos, R.; Teoldo. I. Análise dos padrões de recuperação da posse de bola da seleção brasileira de futebol na copa do mundo FIFA 2014. Anais do 5º Congresso Internacional dos Jogos Desportivos. 2015.

-Silva, P. A análise do jogo em Futebol. Um estudo realizado em clubes da Liga Betandwin. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Lisboa. 2006.

-Szwarc, A. The efficiency model of soccer player’s actions in cooperation with other tem players at the Fifa World Cup. Humam Movement. 2008. p. 56-61.

-UEFA Euro. O formato de competição da UEFA Euro 2016. Disponível em: http://pt.uefa.com/uefaeuro/about-euro/format/index.html. Acesso em: 07 dez 2017.

-Universidade do Futebol. Futebol: um jogo também de ocupação de espaço. 2009. Disponível em: . Acesso em: 31 out 2017.

-Universidade do Futebol. Linhas verticais de marcação; Princípios operacionais de ataque e defesa; e as coisas que Claud Bayer não escreveu. 2008. Disponível em: . Acesso em: 31 out 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Antonio Coppi Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui