Comportamento coletivo adaptativo dos jogadores da seleção nacional Portuguesa no campeonato da Europa de Futebol 2016

  • Micael Santos Couceiro CIPER, Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa, Estrada da Costa, 1499-002, Cruz Quebrada, Dafundo, Portugal. Ingeniarius, Lda., Rua Coronel Veiga Simão, Edifí­cio CTCV, 3º Piso, 3025-307, Coimbra, Portugal
  • Gonçalo Dias Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Fí­sica, Universidade de Coimbra, Estádio Universitário - Pavilhão III. Stª Clara, 3040-156, Coimbra, Portugal
  • José Pedro Silva CIPER, Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa, Estrada da Costa, 1499-002, Cruz Quebrada, Dafundo, Portugal
  • Duarte Araújo
Palavras-chave: Futebol, Seleção Nacional Portuguesa, Interação, Redes, Defenerância, Adaptabilidade

Resumo

Objetivo: Nos desportos coletivos com bola, um dos aspetos centrais do treino desportivo que, embora em franca evolução, ainda necessita de investigação que o torne operacional para treinadores, é a análise tática rigorosa do desempenho competitivo. Este estudo teve como objetivo testar as propriedades de rede "de-generativa" da Seleção Nacional de Futebol, ou seja, quais os padrões de interação dos jogadores portugueses nos jogos do Campeonato da Europa de Futebol - Euro 2016. Metodologia: Foi implementada uma metodologia baseada em redes "de-gerativas", operacionalizadas por digrafos ou grafos orientados. Resultados: Os resultados obtidos permitem concluir que a metodologia das redes faculta aos treinadores as principais tendências de funcionamento tático da equipa, e sua adaptabilidade ao adversário. Conclusão: Entre as várias aplicações práticas, este estudo permite determinar quem são os jogadores que mais interagem com os seus pares e os mais preponderantes na circulação da bola pela equipa, e de que modo este fluxo de interações está associado ao sucesso.

Referências

-Araújo, D., Davids, K. Team synergies in sport: Theory and measures. Frontiers in Psychology. 2016. Vol. 7: 1449.

-Araújo, D.; Silva, P.; Davids, K. Capturing group tactical behaviors in expert team players. In Routledge Handbook of Sport Expertise. Eds. J. Baker; D. Farrow. (London: Routledge), 2015. p. 209-220.

-Barabási, A.L.; Albert, R. Emergence of Scaling in Random Networks. Science, Vol. 286. Num. 5439. 1999, p. 509-512.

-Couceiro, M.; Clemente, F.; Martins, F. Toward the Evaluation of Research Groups based on Scientific Co-authorship Networks: the Robocorp Case Study. Arab Gulf Journal of Scientific Research, 2013. Vol. 31. Num. 1. p. 36-52.

-Duch, J.; Waitzman, J.S.; Amaral, L.A.N. Quantifying the performance of individual players in a team activity. PLoS ONE. 2010. Vol. 5. Num. 6. e10937.

-Gyarmati, L.; Kwak, H.; Rodriguez, P. Searching for a Unique Style in Soccer. In Proc. 2014 KDD Workshop on Large-Scale Sports Analytics. arXiv: 1409.0308. 2014.

-Horvath, S. Weighted network analysis: applications in genomics and systems biology. Springer: London, UK. 2011.

-Passos, P.; Araújo, D.; Volossovitch, A. Performance Analysis in Team Sports. London. Routledge. 2017.

-Passos, P.; Davids, K.; Araújo, D.; Paz, N.; Minguéns, J.; Mendes, J. Network as a novel tool for studying team ball sports as complex social system. Journal of Science and Medicine in Sport. 2011. Vol. 14. Num. 2. p. 170-176.

-Seifert, L.; Komar, J.; Araújo, D.; Davids, K. Neurobiological degeneracy: A key property for functional adaptations of perception and action to constraints. Neuroscience & Biobehavioral Reviews. 2016. Vol. 69. p.159-165.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
Couceiro, M. S., Dias, G., Silva, J. P., & Araújo, D. (2018). Comportamento coletivo adaptativo dos jogadores da seleção nacional Portuguesa no campeonato da Europa de Futebol 2016. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 10(40), 523-530. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/607
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original