Futebol a maior expressão popular do Brasil: movimentos decolonais

Otávio Nogueira Balzano, Gilberto Ferreira da Silva

Resumo


Na América Latina, como em outras partes do mundo, o campo das ciências sociais faz parte das tendências neoliberais, imperiais e globalizantes do capitalismo e da modernidade. São tendências que posicionam o conhecimento científico ocidental como central, negando ou relegando ao status do não conhecimento, aos conhecimentos derivados de “outro lugar”. Este estudo descritivo com o viés na pesquisa bibliográfica, têm como objetivos descrever as razões da paixão do brasileiro pelo futebol, bem como à importância sociocultural deste esporte no Brasil. Além de revisitar movimentos de(s)coloniais, realizados pelas “pessoas de futebol” que possibilitaram uma leitura “outra” desse esporte. A pesquisa também pretende colaborar com o professor de Educação Física, na sua tarefa de ensinar o futebol, numa perspectiva “outra”, isto é, partindo de movimentos de(s)colonias relacionando com as vivências dos sujeitos envolvidos na construção do conhecimento, com vistas ao rompimento de um modelo hegemônico de ensino.

 

ABSTRACT 

Football the most popular expression in Brazil: decoloniais movements

In Latin America, as in other parts of the world, the field of social sciences are part of the neoliberal, imperialists and globalizing tendencies of capitalism and modernity. Those are tendencies that make the western scientific knowledge as central, denying or relegating to the status of the non-knowledge, to the derivative knowledge from “another place”. This descriptive study is within the bibliographical research, has as goals to describe the reasons of the Brazilian passion for soccer, as the sociocultural importance of this sport in Brazil, and revisiting colonialist movements, made by the “soccer people” that allowed “another” reading of this sport. This research also intends to collaborate with the teacher of sport science, at his task to teach soccer, in an “another” perspective, starting from colony movements within the experiences of the subjects involved in the building of the knowledge, with led to the break of a hegemonic model of teaching.


Palavras-chave


Futebol; Movimento de(s)coloniais; Educação Física

Texto completo:

PDF

Referências


-Achinte, A. A. Epistemos “otras”. Epistemes disruptivas? KULA. Antropólogos del Atlántico Sur. Núm. 6. Abril. 2012. p. 22-34. Disponível em: Acesso em: 27/09/2017.

-Brandão, C. R. A educação como cultura. Campinas. Mercado das Letras. 2002.

-Brasil. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que “estabelece diretrizes e bases da educação nacional”. 1996.

-Brasil. Parecer nº 15, de 2 de junho de 1998. Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. 1998.

-Busso, G. L.; Daolio, J. O jogo de futebol no contexto escolar e extraescolar: encontro, confronto e atualização. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. Vol. 33. Núm. 1. p. 69-86. 2011.

-Candau, V. M. F.; Oliveira, L. F. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista. Belo Horizonte. Vol. 26. Núm. 1. p.15-40. 2010.

-Castilho, N. M. Pensamento descolonial e teoria crítica dos direitos humanos na América Latina: um diálogo a partir da obra de Joaquín Herrrera Flores. Dissertação de Mestrado. São Leopoldo. Universidade do Vale do Rio dos Sinos. 2013. Disponível em p.12-13. Acesso em: 14/11/2017.

-Damatta, R. (Org.) Esporte na sociedade: um ensaio sobre o futebol brasileiro. In: Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro. Pinakotheke. 1982.

-Damo, A. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 2005.

-Daolio, J. Educação Física e o conceito de cultura. Campinas. Autores associados. 2004.

-Daolio, J. (Org.). Cultura: educação física e futebol. Campinas-SP. UNICAMP. 2006.

-Daolio, J. Educação Física escolar: olhares a partir da cultura. Grupo de Estudo e pesquisa Educação Física e Cultura-GEPEFIC. Campinas. Autores associados. 2010.

-Escobar, A. Mundos y conocimientos de otro modo. Tabula Rasa. Núm. 1. p.51-86. enero-diciembre de 2003.

-Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa/Paulo Freire. Paz e Terra. 1996.

-Freire, J. B. Pedagogia do futebol / João Batista Freire. Midiograf. 1998.

-Freitas Júnior, M. A. Razão e paixão no futebol: tentativas de implementação de um projeto modernizador. In Ribeiro, L. (org.). Futebol e Globalização. Jundiaí-SP. Fontoura. 2007. p. 213 - 233.

-Galeano, E. Futebol ao sol e sombra. Porto Alegre: L&PM. 2002.

-Gandin, D. Escola e transformação social. 3ª edição. Vozes. 1995.

-Garchemann, L. Coligay, Tricolor e de Todas As Cores. Editora Libretos, Porto Alegre, 2014.

-Gastaldo, É. “O país do futebol” mediatizado: mídia e Copa do Mundo no Brasil. Sociologias. Núm. 22. 2009.

-Giglio, S. S. Futebol: mitos, ídolos e heróis. Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP. 2007.

-Giulianotti, R. Sociologia do futebol: Dimensões históricas e socioculturais do esporte das multidões. Nova Alexandria. 2002.

-Grosfoguel, R. Para decolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In Santos, B. S.; Meneses, M. P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra. Edições Almedina. 2009. p. 383-417.

-Jesus, G. M. Esporte e mito da democracia racial no Brasil: Memórias de um apartheid no futebol. 2001. Lecturas: Educación Física y Deportes Revista Digital. Disponivel em: .Acesso em: 25/05/2017.

-Kunz, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. 4ª edição. Ijuí: Ed. Unijuí. 2001.

-Kunz, E. Didática da educação física 3: futebol/ Org. Eleonor Kunz. In Homrich, C. A. e Souza, J. C. C. Para além da questão técnica do ensinar/aprender futebol: outras possibilidades. 3ª edição. Ijuí. Unijuí. 2013.

-Maldonado-Torres, N. "Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto", em Castro-Gómez, S.; Grosfoguel, R. (coords.) El giro decolonial: reflexiones para uma diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores. Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos. Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar. 2007.

-Massolo, M. A história oficial e o futebol. ECOS da III Conferência Nacional de Educação Cultura e Desporto, Comissão de Educação Cultura e Desporto da Câmara de deputados. Brasília. TBA Informática e UNESCO. 2002. p. 24-25.

-Matsuki, E. Respeito FC: movimento discute racismo, machismo e homofobia no futebol. EBC. em: Acesso em: 27/09/2017.

-Mesquita, I. Perspectiva construtivista da aprendizagem no ensino do jogo. Jogos Desportivos: formação e investigação. Coleção temas em movimento. (org. Juarez Vieira do Nascimento; Valmor Ramos; Fernando Tavares). Vol. 4. Florianópolis, 2013.

-Milan, B. O país da bola. São Paulo. Best. 1989.

-Mignolo, W. Histórias locais / Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Tradução de Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte. Editora da UFMG. 2003.

-Mignolo, W. Desobediência epistêmica: a opção decolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF. Núm. 34. p. 287-324. 2008.

-Neira, M. G. Ensino de educação física. Coletânea Ideias em Ação. São Paulo. Thomson Learning. 2007.

-Rinke, S. La última pasión verdadera/ história del fútbol en América Latina en el contexto global. Madrid: Iberoamericana Editorial Vervuert, 2007.

-Rodrigues Filho, M. O negro no futebol brasileiro. 4ª edição. Rio de Janeiro. Mauad. 2003.

-Souza, K. M. de. Prezado amigo Afonsinho. Método Editora. 1998.

-Socrates; G. R. Democracia Corintiana: a utopia em jogo. São Paulo. Editora Boitempo, 2012.

-Velozo, E. L. Cultura de movimento e identidade: a Educação Física na contemporaneidade /Emerson Luís Velozo. Tese (doutorado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP: [s.n], 2009.

-Walsh, C. “De-colonialidad e interculturalidad: reflexiones (des)de proyectos políticos epistémicos”, en. Modernidad y pensamiento descolonizador. Memorias seminario internacional. Mario Yapu (compilador), Universidad par la Investigación estratégica en Bolivia U-PIEB. La Paz. 2006. p. 169-183.

-Walsh, C. Son posibles unas ciencias sociales/ culturales otras? Reflexiones en torno a las epistemologias decoloniales. Nómadas (Col). Núm. 26. 2007. p. 102-113.

-Wisnik, J. M. Veneno remédio o futebol e o Brasil. Companhia das Letras. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBFF - Revista Brasileira de Futsal e Futebol

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Antonio Coppi Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui