Incidência temporal dos gols na Copa Libertadores da América

  • Filipe Gomide Carelli Universidade Federal de Viçosa - Departamento de Educação Física (DES)
  • Wellington Augusto Lelis David Universidade Federal de Viçosa - Departamento de Educação Física (DES)
  • Luma De Oliveira Comini Universidade Federal de Viçosa - Departamento de Nutrição e Saúde (DNS)
  • Ítalo Bartole Resende Universidade Federal de Viçosa - Departamento de Educação Física (DES)
  • Giovani Blasi Martino Lanna Faculdade Presidente Antônio Carlos - Visconde do Rio Branco – Minas Gerais – Brasil.
Palavras-chave: Futebol, Gols, Copa Libertadores

Resumo

Introdução: O Futebol é uma modalidade complexa e muitos fatores podem levar ao gol. Pesquisas acerca do gol mostram existir momentos críticos dentro da partida, onde os gols acontecem com maior frequência. Objetivo: Analisar a incidência temporal dos gols na Libertadores 2014. Materiais e Métodos: O estudo é descritivo. Analisou-se 126 jogos das 32 equipes participantes. A coleta dos dados foi realizada diretamente do site da CONMBOL. Cada gol foi classificado de acordo com sua incidência em um dos seis períodos: 0-15 minutos; 16-30 minutos; 31-45 minutos (incluindo os acréscimos); 46-60 minutos; 61-75 minutos e 76-90 (incluindo os acréscimos). Resultados: Foram marcados 324 gols em 126 jogos, obtendo uma média de 2,5 gols por jogo. Os gols foram realizados em sua maioria no segundo tempo das partidas com destaque para os últimos quinze minutos do jogo onde aconteceu 25,31% (n=82) dos gols. Discussão: Marques Junior (2015), em seu trabalho de revisão acerca das evidências sobre o gol no Futebol, encontrou que 55% dos gols acontecem no segundo tempo. Na Copa Libertadores da América de 2014, 25,31% dos gols aconteceram nos últimos 15 minutos. Essa evidência vai de encontro com os resultados da literatura. Fatores táticos, técnicos, físicos, nutricionais e psicológicos podem estar levando a estes resultados. Conclusão: A maioria dos gols ocorreram na segunda etapa da partida com enfâse nos ultimos quinze minutos do jogo.

 

ABSTRACT 

Incidence of the goals in the Copa Libertadores of America

Introduction: Football is a complex and many factors can lead to the goal. Research about the goal shows exist critical moments in the match, where the goals happen more frequently. Objective: to Analyze the temporal incidence of goals in Copa Libertadores 2014. Materials and Methods: The study is descriptive. Analyzed 126 sets of 32 participating teams. The data collection was carried out directly from the CONMBOL Web site. Each goal was classified according to its incidence in one of six periods: 0-15 minutes; 16-30 minutes; 31-45 minutes (including additions); 46-60 minutes; 61-75 minutes and 76-90 (including additions). Results: Were scored 324 goals in 126 games, getting an average of 2.5 goals per game. The goals were carried out mostly in the second half of the matches highlighted by the last fifteen minutes of the game where 25.31% (n = 82) of goals. Discussion: Marques Junior (2015), in his review of the evidence about the goal in football, found that 55% of goals happen in the second half. In 2014 Copa Libertadores, 25.31% of goals happened in the last 15 minutes. This evidence goes against the results of the literature. Tactical, technical factors, physical, nutritional and psychological may be leading to these results. Conclusion: Most goals occurred in the second stage of the match with emphasis in the last fifteen minutes of the game.evidence on the football goal.

Biografia do Autor

Filipe Gomide Carelli, Universidade Federal de Viçosa - Departamento de Educação Física (DES)
Granduando em Educação Física pela Universidade Federal de VIçosa, ingressou na instituição em 2013.
Foi membro do Núcleo de Pesquisa e Estudos em Futebol - NUPEF no período de Maio de 2013 até dezembro de 2014.

Referências

-Barrios, T. C. A incidência de gols na fase classificatória para a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 7. Núm. 23. p.67-71. 2015. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/323/261>

-Carelli, F. G.; Resende, Í. B.; Melo, C. de S.; Valadão, A. de M. P.; David, W. A. L. Incidência de Gols: Um Estudo Comparativo Entre as Copas Libertadores 2014 e Sul-Americana 2014. 2015a. <http://congressos.cbce.org.br/index.php/conbrace2015/6conice/paper/view/7583>.

-Carelli, F. G.; Resende, Í. B.; Melo, C. de S.; Valadão, A. de M. P.; David, W. A. L. Análise da Incidência Temporal dos gols do Campeonato Brasileiro da Série A e B de 2014. 2015b. http://congressos.cbce.org.br/index.php/conbrace2015/6conice/paper/view/7738.

-Drubscky, R. O universo tático do futebol: escola brasileira. Editora Health. 2003.

-Fleury, A. P.; Gonçalves, R. A. R.; Navarro, A. C. Incidência de gols na Copa do Brasil 2007. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 1. Núm. 3. p.225-228. 2009. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/27/27>

-Gomes, P.; Stivan, E.; Luppi, F.; Bien, F. Incidência de gols no campeonato brasileiro de futebol da série A 2009. Lecturas Educación Física y Deportes. 2011.

-Haffner, C.; Stivan, E. C. Incidência de gols no Campeonato Paulista de futebol série A no ano de 2010: uma análise estatística. Lecturas Educación Física y Deportes, 2013.

-Marques Junior, N. K. Evidências científicas sobre o gol do futebol: Uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 7. Núm. 25. p.297-326. 2015. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/342/289>

-Leitão, R. A. A. Analises qualitativas e quantitativas para verificação e modulação de padrões e sistemas complexos de jogo. 2004. Dissertação Mestrado em Ciências do Desporto. Faculdade de Educação Física Universidade Estadual de Campinas. 2004.

-Mascara, D. I.; Calicchio, L.; Chimina, J. G. C.; Navarro, A. C. Análise da incidência de gols no campeonato Paulista 2009: Série A1, A2 e A3. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 2. Núm. 4. p.42-46. 2010. Disponível em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/41/41>

-Ramos, L. A.; Júnior, M. H. O. Futebol: classificação e análise dos gols da eurocopa 2004. Revista Brasileira de Futebol (The Brazilian Journal of Soccer Science). Vol. 1. Núm. 1. p.42-48. 2008.

-Silva, C. D. Fadiga: evidências nas ocorrências de gols no futebol internacional de elite. Lecturas Educación Física y Deportes, 2006.

-Silva, C. D. Gols: uma avaliação no tempo de ocorrência no futebol internacional de elite. Lecturas Educación Física y Deportes. 2007.

-Silva, C. D.; Campos Júnior, R. M. Análise dos gols ocorridos na 18a Copa do Mundo de Futebol da Alemanha 2006. Lecturas Educación Física y Deportes, 2006. Buenos Aires: Out. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd101/gols.htm>.

-Silva, J. R. L. C.; Alves, T. C. Analise da incidência de gols por período de jogo no campeonato pernambucano. Lecturas Educación Física y Deportes, 2012. Buenos Aires: Jun. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd169/incidencia-de-gols-em-futebol.htm>.

-Souza, E. L. N.; Farah, B. Q.; Dias, R. M. R. Tempo de incidência dos gols no Campeonato Brasileiro de Futebol 2008. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 34. Núm. 2. p.421-431. 2011.

-Thomas, J. R.; Nelson, J. K.; Silverman, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

Publicado
2016-12-26
Como Citar
Carelli, F. G., David, W. A. L., Comini, L. D. O., Resende, Ítalo B., & Lanna, G. B. M. (2016). Incidência temporal dos gols na Copa Libertadores da América. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 9(32), 27-31. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/435
Seção
Artigos Científicos - Original