O desenvolvimento da inteligência corporal cinestésica por meio da modalidade capoeira no primeiro ano do Ensino Médio

  • Kaled Ferreira Barros Licenciado e Bacharel em Educação Física com Habilitação em Treinamento Desportivo pela Universidade Metropolitana de Santos, Brasil. Licenciado em Pedagogia com Habilitação em Gestão Escolar pela Universidade Metropolitana de Santos, Brasil. Especialista em Pedagogia do Esporte Educacional pela Universidade Estácio de Sá, Brasil.
Palavras-chave: Inteligências Múltiplas, Inteligência Corporal Cinestésica, Educação Física Escolar, Capoeira

Resumo

Introdução: Para o presente estudo foi utilizada a Capoeira, uma luta disfarçada em dança e desenvolvida em forma de jogo, como ferramenta para o desenvolvimento da Inteligência Corporal Cinestésica. Objetivo: A fim de verificar a alteração da inteligência dos alunos do Ensino Médio, durante as aulas de Educação Física Escolar, em instituição privada de ensino. Materiais e Métodos: Portanto, foram aplicados três autoavaliações por meio de questionário fechado, na seguinte ordem: ao final da primeira aula, da quarta aula, e da oitava aula. Para verificar tal alteração, utilizou-se a Escala de Percepção Subjetiva do Aprendizado elaborado por Barros (em publicação). Resultado e Discussão: Após aplicação do questionário, verificou-se um pequeno desenvolvimento da Inteligência Corporal Cinestésica. A sensação deveria refletir o quão ele foi capaz de compreender, executar e relacionar o exercício com o conhecimento adquirido, combinando as sensações das capacidades coordenativas; de coordenação motora e de equilíbrio. Não havendo qualquer preocupação com as variáveis das capacidades condicionantes, sem antes ocorrer à aprendizagem da ação motora. Embora seja uma medida subjetiva, a escala de aprendizado revela uma estimativa muito boa da compreensão dos conteúdos. Conclusão: Contudo, estudos relacionados às Inteligências Múltiplas ainda são pouco discutidos na literatura científica, sobretudo, quando considerados a partir do método quantitativo. Logo se espera com este estudo despertar mais pesquisas quantitativas, sobre a relação entre Capoeira e as Inteligências Múltiplas.

 

ABSTRACT

Development of intelligence bodily kinesthetic through mode capoeira in the first year of high school

Introduction: For the present study Capoeira was used, a disguised fight and dance developed in game shape, as a tool for developing Bodily Kinesthetic Intelligence. Aim: In order to verify the change of the intelligence of high school students during the School Physical Education classes in private educational institution. Materials and Methods: Therefore three self-assessments were administered by means of a closed questionnaire, in the following order: the end of the first class, the fourth class, and the eighth class. To verify this change, we used the Scale of Subjective Perception of Learning developed by Barros (in publishing). Result and Discussion: After the questionnaire, there was a small development of Bodily Kinesthetic Intelligence. The feeling should reflect how he was able to understand, relate and perform the exercise with the knowledge gained by combining the sensations of coordinative abilities; motor coordination and balance. With no concern for the variables of capacity constraints, no learning occurs before the motor action. Although it is a subjective measure, the scale of learning reveals a very good estimate of the understanding of the contents. Conclusion: However, studies related to Multiple Intelligences are little discussed in the literature, especially when considered from the quantitative method. Soon we expect this study to awaken more quantitative research on the relationship between Capoeira and Multiple Intelligences.

 

Publicado
2016-01-25
Como Citar
Barros, K. F. (2016). O desenvolvimento da inteligência corporal cinestésica por meio da modalidade capoeira no primeiro ano do Ensino Médio. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 7(27), 563-567. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/360
Seção
Artigos: Edição Especial