Biomarcadores de Estresse no Futebol - Parte 2: Dosagem Sanguínea dos Níveis de Estresse Oxidativo

  • Joaquim Maria Ferreira Antunes Neto Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
  • Bruna Bergo Nader Instituto de Ensino Superior de Itapira (IESI). Núcleo de Estudos Multidisciplinares do Estresse (NEME)
  • Caio Cesar Donadon Programa de Pós-Graduação Latu Sensu da Universidade Gama Filho
  • Daniela Cristina Sandy Turolle Instituto de Ensino Superior de Itapira (IESI). Núcleo de Estudos Multidisciplinares do Estresse (NEME)
  • Elaine Ribeiro Instituto de Ensino Superior de Itapira (IESI). Núcleo de Estudos Multidisciplinares do Estresse (NEME) Instituto de Ensino São Francisco (Mogi Guaçu). Cursos de Enfermagem e Nutrição
Palavras-chave: Estresse oxidativo, Futebol, Avaliação bioquímica, Treinamento, Biomarcadores

Biografia do Autor

Joaquim Maria Ferreira Antunes Neto, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutor em Biologia Funcional e Molecular, Departamento de Bioquímica, Instituto de Biologia - UNICAMP.

Licenciado em Educação Física e Bacharel em Treinamento Esportivo - UNICAMP

Publicado
2013-09-07
Como Citar
Antunes Neto, J. M. F., Nader, B. B., Donadon, C. C., Turolle, D. C. S., & Ribeiro, E. (2013). Biomarcadores de Estresse no Futebol - Parte 2: Dosagem Sanguínea dos Níveis de Estresse Oxidativo. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 5(17). Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/185
Seção
Artigos Científicos - Revisão