A abordagem geográfica do futebol

  • Tobias Leal Burgos Graduação em Geografia e Meio Ambiente da PUC-Rio de Janeiro, Brasil.
Palavras-chave: Geografia do Futebol, Território, Região, Grande àrea, Estratégia de Defesa

Resumo

O artigo evidencia como o futebol cada vez mais se utiliza de conhecimentos pertinentes à Geografia, bem como de geotecnologias, mas não incorpora conceitos da Geografia e nem emprega geógrafos. Observa-se também que a própria produção científica e a literatura acadêmica geográficas não se empenham no estudo do futebol, realizando, quando muito, análises sobre as dimensões sociais e/ou políticas concernentes ao esporte. Partindo deste diagnóstico, um dos objetivos do artigo é sinalizar o enorme potencial que a ciência geográfica pode ter para o futebol, bem como sugerir e indicar o possível surgimento de um novo campo de estudos para a Geografia. Outro objetivo é reivindicar a possibilidade de geógrafos poderem atuar em comissões técnicas e em outras funções do meio futebolístico. Para atender aos objetivos, o artigo apresenta uma conhecida estratégia de defesa, denominada marcação individual por setores, sob um ponto de vista geográfico, no qual a própria estratégia não passa de uma operação de regionalização para melhor reger o território da grande área. Ao final, após discorrer sobre os conceitos de Região e Território, bem como o uso que estes podem ter no futebol, conclui-se que o futebol perde muito quando se utiliza de ferramentas e métodos que são fundamentalmente geográficos, mas não se aprofunda no estudo da própria geografia. O que se propõe aqui é uma nova maneira de se enxergar e de se pensar o futebol, a partir de uma abordagem geográfica.

Referências

-Barletta, F. G. Análise da origem, ocorrência e execução dos gols no futebol. Efdeportes. Buenos Aires. Ano 1. Núm. 132. 2009.

-Bobbio, N.; Dicionário de Política: Poder. 11ª edição. Brasília. UNB. 1998. p. 933-943.

-Brazão, M. A marcação defensiva no futebol de campo. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 11. Núm. 46. p.535-548. 2019.

-Castro, I. E. D.; Geografia e Política - Território, escalas de ação e instituições: O poder e o poder político como problemas. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil. 2005. p. 95-135.

-CBF. FIFA. Regras de Futebol: 2018/2019. Rio de Janeiro: CBF. 2018. p. 48.

-Dicionário Online. 2018. Significado de Abstração. Disponível em: <https://www.dicio.com.br/abstracao/&gt;>. Acesso em: 08/11/2018.

-Giulianotti, R. Sociologia do Futebol. Nova Alexandria. 2002.

-Gomes, P. C. C. Geografia - conceitos e temas: O conceito de região e sua discussão. 2ª edição. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil. 2000. p. 49-76.

-Guterman, M. O futebol explica o Brasil. Editora Contexto. 2009

-Haesbaert, R. Dos múltiplos territórios à múltipla territorialidade. Porto Alegre. p.1-20. 2005.

-Haesbaert, R.; Limonad, E. O território em tempos de globalização. ETC: Espaço, Tempo e Crítica. Vol. 1. Núm. 2. p. 39-52. 2005.

-Lévy, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era informática. Instituto Piaget.1993. p. 143.

-Massey, D. Pelo Espaço: uma nova política da espacialidade. Bertrand Brasil. 2008. p. 33-44.

-Santos, M.; A natureza do espaço: Técnica e tempo. Razão e emoção. 4ª edição. São Paulo. USP. 2006. p. 165-166.

-Souza, M. J. L. D.; Geografia - conceitos e temas: O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. 2ª edição. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil. 2000. p. 77-115.

Publicado
2022-03-24
Como Citar
Burgos, T. L. (2022). A abordagem geográfica do futebol. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 13(56), 791-800. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1200
Seção
Artigos Científicos - Opinião