Avaliações acessíveis: Testes indiretos de aptidão aeróbia em atletas de futebol

  • Matheus Luis da Silva Universidade Paulista, Brasil.
  • Ricardo Cesar Alves Ferreira Universidade Paulista, Brasil.
Palavras-chave: Futebol, Aptidão aeróbia, Avaliação aeróbia

Resumo

O presente estudo tem como objetivo apresentar uma revisão de literatura sobre as avaliações acessíveis, testes indiretos de aptidão aeróbia em atletas de futebol.  Observando o cenário onde uma grande parte dos clubes não possuem infraestrutura para realizar testes diretos padrão ouro (ergoespirométria) a busca por métodos indiretos de baixo custo estão cada vez mais sendo explorados. Para avaliação da aptidão aeróbia, dentro da literatura possuem uma vasta quantidade de protocolos para mensuração dessa variável. Partindo disso a revisão apresentou a comparação dos resultados de diversos métodos indiretos e direto, com o objetivo de apresentar o método mais indicado e fidedigno para mensuração dessa variável de maneira indireta.

Referências

-Ahmaidi, S.; Collomp, K.; Caillaud, C.; Préfaut, C. Maximal and functional aerobic capacity as assessed by two graduated field methods in comparison to laboratory exercise testing in moderately trained subjects. International Journal of Sports medicine. Vol. 13. Num. 3. 1992 p. 243-248.

-Aoki, M. S. Fisiologia, treinamento e nutrição aplicados ao futebol. Fontoura. 2002.

-Bangsbo, J. Energy demands in competitive soccer. Journal of sports sciences. Vol. 12. Sup. 1. p.S5-12. 1994.

-Bangsbo, J.; Iaia, M.; Krustrup, P. The Yo-Yo Intermittent Recovery Test: A useful tool for evaluation of physical performance in intermittent sports. Sports Medicine. Vol. 38. Num. 1. p.1-15. 2008.

-Castagna, C.; Krustrup, P.; Póvoas, S. Yo-Yo intermittent tests are a valid tool for aerobic fitness assessment in recreational football. Eur J Appl Physiol. Vol. 120. Núm. 1. p.137-147. 2019.

-Carminatti, L. J.; Lima-Silva, A.E.; Oliveira, F.R. Aptidão Aeróbia em Esportes Intermitentes - Evidências de validade de construto e resultados em teste incremental com pausas. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol.3. 2004. p.120.

-Calheiros, S.T. P.; Souza, T. M. F. Correlação entre medidas indiretas de mensuração do VO2 Máx em jogadoras de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 5. Núm. 15. 2013.

-Cezar, D. G. M.; Reis, L. F. Comparação entre o teste de cooper e o yoyo endurance test l1 para predição do VO2 máximo em jogadores de futebol amador sub-15. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. São Paulo. Vol. 3. Núm. 7. 2012.

-Costa, E. C.; Guerra, L. M.; Nunes, N.; Pontes, J. F. L. Validade da medida do consumo máximo de oxigênio e prescrição de intensidade de treinamento aeróbico preditos pelo teste de cooper de 12 minutos em jovens sedentários. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 1. Num. 4. 2011.

-Dourado, A. C.; Kiss M. A. P. D. Validação do teste yo-yo (ida e volta) intermitente de resistência aeróbia em jogadores de futebol. Universidade de São Paulo. São Paulo. 2001.

-Gaesser, G. A.; Brooks G. A. Metabolic basis of excess post-exercise oxygen consumption: a review. Med Sci Sports Exerc. Vol. 16. Núm. 1. p.29-43. 1984.

-Impellizeri, F.M.; Rampinini, E.; Castagna, C.; Bishop, D.; Ferrari Bravo, D.; Tibaudi, A.; Wisloff, U. Validity of a repeated-sprint test for football. Int J Sports Med. Vol. 29. Núm. 11. p.899-905. 2008.

-Lucas, R. D. Estimativa do consumo máximo de oxigênio a partir do teste de Carminatti (T-Car) em atletas de futebol e futsal. Caderno de Educação Física e Esporte. Vol. 14. Num. 1. 2016. p. 11-18.

-Lizana, C. J. R. Análise da potência aeróbia de futebolistas por meio de teste de campo e teste laboratorial. Rev Bras Med Esporte. Vol. 20. Num. 6. 2014. p. 447-450.

-McArdle, W.D.; Katch, F.I.; Katch, V.L. Exercise physiology. nutrition, energy and human performance. 7th ed. Guanabara Koogan. 2011.

-Mahseredjian, F.; Barros, N.; Turíbio, L.; Tebexreni, A. S. Estudo comparativo de métodos para a predição do consumo máximo de oxigênio e limiar anaeróbio em atletas. Rev Bras Med Esporte. Vol. 5. Num. 5. 1999. p. 167-172.

-Mazzocante, R. P. Validade do teste de corrida de 1600m em estimar o VO2 max em praticantes de Jiu Jitsu. Educação Física em Revista. Vol. 5. Núm. 2. 2011.

-Pereira, L. Effect of training cessation on endurance runners. The Journal of Sports Medicine and physical fitness. Vol. 56. Núm. 12. p.1583-91. 2016.

-Pereira, L.N.; Monteiro, A.N.; Franca, J, E.G.; Barreto, J.G.; Pereira R.; Machado M. Correlação entre o VO2 max estimado pelo Teste de Cooper de 12 minutos e pelo Yo-Yo Endurance Test L1 em atletas de futebol. Revista Brasileira de Futebol. Vol. 1. Num. 1. p. 33-41. 2008.

-Silva, J. R. Diferença nos resultados dos testes de consumo de oxigênio em atletas de futebol utilizando protocolos de análise direta e indireta. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires. Año 16. Núm. 165. 2012.

Publicado
2022-03-24
Como Citar
Silva, M. L. da, & Ferreira, R. C. A. (2022). Avaliações acessíveis: Testes indiretos de aptidão aeróbia em atletas de futebol. RBFF - Revista Brasileira De Futsal E Futebol, 13(54), 524-529. Recuperado de http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/view/1066
Seção
Artigos Científicos - Revisão